Publicado por: João Carlos Assumpção | 28/junho/2009

O inglês de Joel

Muito já se falou a respeito, muito já se brincou sobre ele, mas considero um exagero e até uma falta de respeito o que algumas pessoas estão fazendo em relação a Joel Santana. O inglês dele é ruim? É e concordo que chega a ser divertido. Só que daí a fazer a festa do Youtube, virar deboche, alvo de ironias e sarcasmo acho demais.

Joel-Bafana

Joel diz ser vítima de preconceito. Não sei se é o termo correto, mas vejo como louvável o fato de ele estar tentando aprender inglês. Tem muita gente que deveria e simplesmente não tenta. Joel é corajoso, um treinador que fala a linguagem do boleiro e tem todo o direito de se indignar com as críticas sobre o seu inglês, embora seja da tese de que o melhor é ele as ignorar, especialmente as maldosas.

Infelizmente há muitos brasileiros que gostam de debochar de tudo e de todos, especialmente de quem está tendo sucesso ou ganhando muito dinheiro, caso do ex-técnico flamenguista. Não vou comentar a passagem de Joel pelo futebol sul-africano, mas muitos dos que tiram um sarro dele gostariam de estar ganhando cerca de 200 mil dólares mensais.

É pena que a Internet, apesar de muito útil, acabe, em diversas oportunidades, virando arma de quem gosta de se divertir às custas dos outros, como estão fazendo agora com Joel, mas sem se identificar. Terra de ninguém. Nos programas de TV, pelo menos, quem critica costuma dar as caras para bater, o que é diferente. Mas isso já é outro assunto…

*****

E outro assunto é a Copa-2014, no Brasil, cujos estádios, segundo o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, devem estar prontos na metade de 2012. Continuo torcendo para que sejam feitos com verba privada, mas duvido que isso vá ocorrer.

Quanto às sedes, elas têm que ser fixas, como costumava acontecer até a Copa de 1990, na Itália. Nos Estados Unidos, lembro que, depois de dois jogos na Califórnia, quem quisesse acompanhar o Brasil tinha que atravessar o país para ir a Detroit ver a partida contra a Suécia. Assim ficava complicado. E, como os EUA, o Brasil é um país continental e é um assunto para os organizadores do Mundial analisarem com carinho.


Responses

  1. Nos países de língua inglesa eles costumam valorizar o esforço em aprender o idioma local. É engraçado, sim, mas é melhor do que os preguiçosos que muitas vezes nem fazem este esforço.

  2. É louvável o esforço do Joel. Ele está tentando aprender inglês e faz um bom trabalho frente à seleção sul-africana. Torci muito para eles ficarem em terceiro lugar. Pena mesmo. O time ainda é um pouco inocente, mas não vai passar vexame na Copa.

  3. Vocês gostaram do Brasil de Dunga, Lúcio e Kaká ontem? Não acharam que a ESPN pegou muito no pé do time, que no final acabou sendo o campeão? Três Copas da Confederação, duas delas, o bicampeonato, com o Dunga. A imprensa está crítica demais.

  4. 1) ATUALIZEM MAIS O BLOG! A ENQUETE É A MESMA FAZ UM BAITA TEMPO!
    2) A imprensa gosta de criticar mesmo. Dunga mostrou que é melhor que o Parreira. Lembram do livro que o Parreira lançou antes da Copa? Se fosse lançar depois, não venderia um exemplar. Nem as filhas dele comprariam _quaquaquaquá.
    3) Leiam Saramago. Um dos maiores escritores deste planeta reclamou da Internet e dos blogs em excesso. Sabiam que o Brasil é o segundo país com maior número de blogs? O DE VOCÊS É BOM, MAS CADÊ A ATUALIZAÇÃO? Mas a grande maioria não dá para ler. O espaço não é democrático, liberdade de expressão se confunde com baboseira, agressão gratuita e libertinagem. Como bem falou nosso querido Saramago, com a Internet e os blogs as pessoas têm escrito mais. Mas escrito pior.
    4) Por que vocês e os demais blogueiros não criam um espaço só para os leitores cadastrados? É uma forma de saber quem está lendo e se comunicando com vocês. Como os jornais fazem na seção de cartas dos leitores. O cara tem que dar as caras, endereço, telefone e tudo o mais para a gente saber quem é que está escrevendo.
    Abraços do Fabrício Gonçalves, de Joinville

  5. O torcedor sul-africano foi injusto com o Joel. Tem que entender que o time é limitado e já fez muito ao chegar à semifinal. Jogou muito bem contra Brasil e Espanha.

  6. Tudo bem, João Carlos?
    Por um desses enormes acasos, escrevi no último sábado um post no meu blog que tratava exatamente deste assunto, sobre o qual temos opiniões idênticas.
    No texto, ainda comento sobre como é diferente quando o estrangeiro vem ao nosso país. Quando ele não fala nosso idioma, nos esforçamos para nos comunicarmos no dele. E quando ele tem alguma noção de português elogiamos sua iniciativa.
    Êta complexo terceiromundista!

    Um abraço.

  7. Fico ate ofendido de ver pessoas de baixa indole,querendo depresiar o trabalho de quem tenta se esforça!!!…Mas se no ingles ele não manda bem , na linguagem do futebol ele cala a boca dos ipocritas .

    Um abraço…10 pro bolg!

  8. Obrigado a todos pelos comentários. Em relação ao post, penso exatamente como escreveu o Michel Costa. Adoramos quando um estrangeiro chega ao nosso país e tenta aprender nossa língua, mas ridicularizamos o brasileiro que tenta aprender o inglês quando vai ao exterior e encontra dificuldades. Joel tem se esforçado bastante. Por isso merece os parabéns, não as gozações. Já sobre o desempenho de Joel como técnico da África do Sul considerei bom na Copa das Confederações, depois de uma estreia desastrosa contra o Iraque. Só queria lembrar que, no caso dele, já era ridicularizado quando trabalhava no Brasil por seu jeito bonachão de ser. Uma pena. Abraços a todos, João Carlos

  9. Pior é jogador que vai para Europa, não aprende o idioma e ainda por cima esquece de falar português.

    O Joel mostra que absorvendo tudo de bom que a África do Sul lhe oferece.

  10. O João Carlos volta em alto estilo, que lhe é peculiar e tratando de um tema que causa reações apaixonadas e alguma polêmica.

    Minha opinião é similar a dos nossos leitores; o Joel está no mínimo se esforçando e isso é legal, ninguém nasceu sabendo nem o idioma nativo.

    Quanto ao trabalho dele, acredito que ele esteja até fazendo mais com o material que tem. Acredito que a África do Sul não fará papel ruim na Copa, dentro dos seus limites.

    Abraços,

    Robert
    Equipe Futebol & Negócio.

  11. Falou e disse, Robert. Assino embaixo do que você escreveu. Sou fã dos seus textos, mesmo me manifestando pouco, e dos do João Carlos e ds do Amir também. Parabéns ao trio. Abraços do Álvaro.

  12. Pòlêmicas, polêmicas, polêmicas. Vamos por partes: A) Dunga está um sucesso na seleção. Aposta acertadíssima de Ricardo Teixeira, ao contrário da que ele fez com Falcão, um fiasco que não deu certo como técnico e foi ser comentarista. Aliás chato como ele só. Melhor dizendo, chato como o Caio. Chega do politicamente correto, que volte logo o nosso queridíssimo Casão; B) Copa com sedes fixas na primeira fase não tem graça. Quem vem de fora quer mais é se divertir e conhecer lugares novos. Sua ideia não é boa não.

  13. Francisco, sobre o item B, tenho de concordar com o João Carlos.

    O Brasil é um país gigante e tem uma infra-estrutura de transportes muito precária.

    Abraços,

    Robert
    Equipe Futebol & Negócio.

  14. Um abraço aos amigos dete fórum.
    Parabéns pelos temas abordados. Infelizmente, os nossos dirigentes continuam caminhando pela contra-mão da realidade, mas o dever de alertar está sendo exercitado aqui.
    Grande abraço.
    Jota Lacerda
    http://www.jotalacerdacomenta.blogspot.com

  15. Francisco, em relação ao item A) não acho que Falcão tenha sido fiasco como técnico. Simplesmente não teve o tempo suficiente para trabalhar, mas levou à seleção vários jogadores que depois fizeram história com a camisa amarelinha. Mas concordo que o Dunga tem obtido resultados melhores e está de parabéns pelo que fez até aqui. Evoluiu muito de 2006 para 2009 e formou um belíssimo grupo, o que Parreira não conseguiu fazer para a Copa da Alemanha. Abs. a todos, João Carlos

  16. O Joel é exemplo de sucesso, de orgulho para todo brasileiro….ele fala e todos entendem…qual o problema?

  17. Louvável não, e sim uma lição a um monte de brasileiros que perdem tempo na internet com besteirol ao invés de tentar ao menos ser melhor que uma pessoa que tenta um lugar ao sol.

    Abraço…

    Esporte Social – Esporte, sociabiliação e saúde! http://www.esportesocial.com

  18. Só pra voltar ao item B), já comentado pelo Robert, o torcedor que quiser viajar, como reclama o Francisco, pode fazê-lo por conta própria, entre um jogo e outro. Mas com sedes fixas, caso não queira, não precisará fazer o deslocamento, ainda mais se for da região Norte para a Sul ou a Sudeste, por exemplo. E pode fazê-lo mais pra frente da competi~ção, se for o caso. Abs. a todos novamente, João Carlos

  19. De fato é louvável o Joel estar tentando (não mais do que isso) falar inglês. Daí a achar que os jogadores o entendem sem a necessidade de intérprete porque “a língua do futebol é universal” é balela. O jogador não tem como saber o que o treinador quer se este não se faz entender. Talvez a prancheta ajude, mas sinceramente não acredito que seja o suficiente. Quanto ao comentário sobre o fato de debocharem ” especialmente de quem está tendo sucessou ou ganhando muito dinheiro…”, desnecessário o comentário, mostrando uma visão limitada e obtusa.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: