Publicado por: Robert Alvarez Fernández | 20/maio/2009

Lições que vem dos Estados Unidos – As obsessões do Marketing do Esporte

Caros amigos, após algum tempo de ausência por conta de obrigações profissionais volto a este espaço para reencontrar os amigos e tentar trazer alguma contribuição à administração do esporte que tanto gostamos, a ausência até que não foi tão longa, coisa de duas semanas, mas sinto falta dessa interação.

Estive em uma conferência recentemente em companhia de William Sutton, uma das maiores referências mundiais no tema marketing aplicado ao esporte; tal oportunidade me causa orgulho pois ontém ele era minha referência bibliográfica para pesquisas e aulas enquanto que hoje tive o privilégio de estar lado a lado com ele em uma conferência debatendo o tema. Tivemos várias conversas, expus nosso ponto de vista, características de nosso ambiente de negócios, nossas dificuldades e nossas idéias, acredito que aprendemos muito com essa interação e futuros projetos podem surgir deste contato.

Uma das apresentações da conferência trata de forma bem resumida de uma visão diferente do operacional e do que estamos acostumados a ver nas publicações de marketing aplicado ao esporte tanto no Brasil como no exterior, gostaria de compartilhar com vocês alguns destes pensamentos.

A proposta apresentada vem no formato de seis grandes recomendações, ou obsessões, como o Prof. Sutton gosta de apresentar.

Por que obsessões? Por que devemos perseguir sempre o “ótimo”; contentar-se com conseguir o “bom” impede de chegarmos ao ápice; e para chegar ao ótimo devemos ser persistentes, inquietos…..obsessivos.

Vamos às obsessões.

Obsessão número 1 : Para alcançar seus objetivos de negócio certifiquemo-nos de contratar as melhores pessoas, os melhores profissionais que há no mercado. Não devemos ter medo de contratar pessoas ambiciosas que podem, a qualquer momento, buscar uma posição acima da que ocupa, inclusive a sua, dentro ou fora da organização. Uma constelação brilha mais que uma estrela só.

Obsessão número 2 : Pesquisar e aprender as melhores práticas dentro e fora do ramo de atividade em que se atua. Nem sempre no ramo do esporte estão observadas as melhores práticas de como encantar o cliente. As oportunidades de observação e de aprendizado em como administrar, mercadorizar e, consequentemente, extrair os melhores resultados de seu negócio estão em outros esportes, outras formas de entretenimento e em outros negócios. Aprendamos, por exemplo, como funcionam os programas de fidelidade de hotéis, companhias aéreas e tentemos aplicar alguma coisa no nosso ramo.

Obsessão número 3 : Usar ferramentas tecnológicas analíticas para melhor entendimento do comportamento, um a um, de seu consumidor e segmentar seu mercado de forma a criar bens e estruturas de serviços de forma a atender todas as formas de consumo que o vínculo com a associação esportiva, ou com o esporte, podem gerar. Daí vem um pouco das minhas propostas, por exemplo, de tentar entender o que leva o torcedor aos estádios, o valor econômico do torcedor dentre outras iniciativas de pesquisa de abordagem positivista que empreendo.

Obsessão número 4 : Preocupar-se com a exepriência do consumidor e empreender esforços para continuar a melhorá-la; esforço esse que nunca termina; recomendada a literatura, para quem trabalha com serviços sobretudo : “HUG YOUR CUSTOMER”, de Jack Mitchell.

Obsessão número 5 : Preocupar-se com os objetivos de negócio de seus parceiros comerciais, entender o porque daquela empresa patrocinar seu clube ou sua modalidade esportiva e busque dar a ele soluções de negócio, ajudando-o a atingir seu objetivo. Venda soluções de negócio ao invés de minutos na televisão, centímetros quadrados e assim por diante.

Obsessão número 6 : Com a ciência e a arte do marketing : Ciência : ferramentas analíticas como na obs. 3 ; Arte do marketing : preocupar-se com estilo, apresentação do ambiente onde o serviço é prestado, na abordagem ao consumidor, criação e entendimento de indicadores como Retorno sobre a Experiência e assim por diante.

São recomendações de caráter mais estratégico, vindas de um mercado que está pra lá de maduro, mas não dorme em berço esplêndido, o mundo muda, o consumidor muda e é preciso constantemente adaptar-se ao mercado.

Pergunto ao leitor, sempre participativo e interessado em nossas discussões; não vale a pena nossos profissionais de marketing do futebol, e do esporte em geral, tentar pensar desta forma, ou parecido?


Responses

  1. Caro Robert,

    Parabéns pelo texto e pela conferência.

    O São Paulo acaba de fechar uma parceria com a Sport Track, empresa que realiza pesquisa sobre os hábitos de consumo esportivo. Segue o link da matéria na Máquina do Esporte:
    http://maquinadoesporte.uol.com.br/v2/noticias.asp?id=13061

    Acho importante e espero que outros clubes comecem a pensar a respeito disso.

    Como diz a Obsessão número 5: Preocupar-se com os objetivos de negócio de seus parceiros comerciais, entender o porque daquela empresa patrocinar seu clube … Venda soluções de negócio ao invés de minutos na televisão, centímetros quadrados e assim por diante.

    Isso está em falta nos clubes brasileiros.

    Abraços,
    Bruno Assumpção

    Caro Bruno, obrigado pelo comentário e pela participação.

    Considero esta iniciativa do São Paulo como um passo importante para o seu departamento de marketing; conhecer o público e suas demandas é fundamental para traçar boas ações de mercado, espero que tenha sucesso e outros aprendam com isso.

    Quanto à sua observação relativa à OBS#5, concordo, e para tal é necessário que os clubes tenham profissionais capacitados e de ampla visão empresarial ao invés de, na maioria dos casos, pessoal sem a devida formação. Além disso, eles precisam ter poder de decisão, delegação, para que não se escondam embaixo de suas mesas ao ver conselheiros e diretores pedindo ingressos e camisas….em resumo : profissionalização.

    Abraços,

    Robert

  2. Professor, que honra hein?

    Como diria um amigo meu: Vamos por partes, como o Jack, The Stripper (e não The Ripper).
    However, não foge à máxima… hhehehahuah

    1º Isso é praticamente inexistente no país! Preferem contratar jogadores HORRÍVEIS com salários mensais ultrapassando $60 mil (valor arbitrário por minha parte) ao invés de 6 profissionais qualificados, trabalhando “full time” pagando lhes $10 mil por mês.

    Ricardo, é questão de prioridade, o imediatismo impera; porém creio que deva haver recursos pra tudo, é só aprender a gastar de forma séria.

    2º e 3º
    Outro fator praticamente inexistente. Uns ali outros acolá o fazem. E olha que temos pelo menos 2 excelentes empresas no ramo que podem ser contratadas. Reiterando, cadê os databases nos Sites Oficiais e QUALITATIVAS nas ruas?

    Temos mais de duas empresas que podem fazer isso, pode crer.

    4º Entram e saem políticos, alteram-se planejamentos, estratégias, e por aí vai. Como aprimorar o que já se tem em mãos com um amadorismo superando o profissionalismo?

    5º Cadê o brand equity??? Tá na hora de mostrarem que podem captar mais. E não é só isso, é chegar no torcedor e falar: vem cá. Essa é a NOSSA marca! Somos vitoriosos, fortes, imponentes, etc… E também chamar os “partners” pra ativarem essa parceria na rua, para que ambos faturem e ganhem lealdade desses torcedores cada vez mais inconstantes.

    6º E o relacionamento clube-torcedor? É só chegar no estádio, pagar caro pelo péssimo atendimento, conforto e proteção?
    Cadê os programas de sócio torcedores que aproximam mais os torcedores, fazendo deles parte do clube (o que sempre foram, mas não têm oportunidade).

    Esse é o ponto primordial, é o core business do esporte como um todo, que está negligenciado pelos clubes em geral; esperemos uma transformação.

    Bom é isso aê,
    Um post inspirador!

    Abs,


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: