Publicado por: João Frigerio | 15/fevereiro/2009

Salários europeus continuam “descontrolados”

Como eu havia escrito no meu post anterior, na semana que passou a ECA (Associação de Clubes de Futebol Europeus), orgão que substituiu o G14, teve sua assembléia geral.

E a expectativa de todos era saber como a associação se posicionaria em relação à discussão de teto salarial no futebol europeu.

Uefa

Pois eis que a ECA resolveu (ao menos por enquanto) que teto salarial não é de sua competência e que esse assunto deve ser tratado pela Uefa, através de seu já existente sistema de licensas (Licensing system).

A justificativa dada pelo chairman Karl-Heinz Rummenigge é que esse assunto “é muito complicado. Para começar, a instituição de um teto salarial seria uma afronta às leis e traria problemas junto à Comissão da UE. É portanto difícil de encontrar uma solução”.

Na verdade isso todos já sabiam. Imaginava-se, no entanto, que, se fosse consenso entre os clubes, o teto salarial não seria implantado imediatamente, mas uma comissão seria formada justamente para fazer um lobby junto a autoridades da União Européia.

Uma importante informação dada por Rummenigge é que de fato existem clubes contrários a tal controle. E na hora de dar nomes aos bois, ele deixou escapar que alguns desses que contestam a ideia são grandes clubes ingleses. O que não chega a ser surpresa, já que a Premier League é disparada a mais rica do mundo.

Após a coletiva do Rummenigge, eu tive a chance de bater um rápido papo tête-à-tête com o presidente do Barça, Joan Laporta. Ainda esta semana você vai conferir como foi essa conversa aqui no F&N.

Enquanto isso, aproveite as últimas horas para votar na enquete sobre o salary cap:

Ainda nesta segunda, o Marcos vai colocar os resultados finais no ar e trazer uma nova questão para os leitores do blog.

Anúncios

Responses

  1. João, na verdade o salary caps em sua essência não é um teto salarial. É um teto orçamentário para o futebol. O clube teria liberdade para manobrar o valor dos salários dentro do teto estabelecido. A Inglaterra é contra porque entendem que se eles praticarem o salary caps, a Premier perderia em competitividade pois, no entender deles, os espanhóis e italianos não irão faze-lo. Pessoalmente acho que o futebol europeu está alavancado de maneira perigosa e numa espiral crescente. Em algum momento isto vai explodir.

  2. Olá Ricardo,

    Obrigado pela participação.

    Vc tem toda razão e na verdade eu já havia explicado isso em meu post anterior (por isso resolve não entrar em detalhes de novo). ‘Teto salarial’ é uma tradução livre para o termo ‘salary cap’, bastante difundido nos EUA e na Europa, mas que é ‘evitado’ pelos dirigentes de clubes aqui na Europa. Eles preferem utilizar ‘controle’ de gastos.

    Agora eu coloquei o link para o post anterior no começo da nota. Ou se quiser, basta seguir este link: https://futebolnegocio.wordpress.com/2009/02/07/controle-de-salarios-no-futebol/

    Deixe-me só esclarecer que os times ingleses, segundo Rummenigge, são contra esse controle mesmo se for instituído em toda a Europa. Ou seja, a razão não é receio de que tal controle acontecesse apenas na Inglaterra e não em outros países. De qualquer forma, um limite salarial em toda a Europa ajudaria a clubes menores a se aproximarem dos clubes mais ricos, em termos de capacidade financeira, e isso, pelo jeito, não interessa aos clubes mais ricos do planeta.

  3. De certa forma é o que é feito em algumas ligas norte-americanas, que tenta deixar seus torneios mais competitivos, diminuindo a diferença entre os mais fortes e os mais fracos.
    Eu, particularmente, sou contra. Defendo um controle externo em relação aos clubes, que devem respeitar as leis e regras de seus países de origem. A competência não pode ser punida. Os incompetentes que tentem melhorar.
    Abs. e parabéns pelo post, João Carlos

  4. Então João… É aquele velho dilema… Quem não deve não teme…

    A que interesses serviriam continuar despejar milhares e milhares de dólares em clubes em época de assumida recessão?

    Opinião Pessoal: Acho que isso tem muito haver com o fenômeno que vem desde o início dos anos 90 de injeção de petrodólares dos Oligarcas russos no capital aberto dos clubes ingleses.

    Abs!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: