Publicado por: Amir Somoggi | 13/fevereiro/2009

Polêmica sobre o clube mandante

O clássico do próximo domingo entre São Paulo e Corinthians trouxe mais uma vez à tona uma discussão polêmica sobre o direito do clube mandante em reservar somente 10% do estádio para a torcida adversária.

Esse é um assunto que gera discussões apaixonadas e minha opinião (embora não agrade todos os leitores), é de que o futebol brasileiro precisar compreender o que significa ter o mando de uma partida de futebol profissional. Sou favorável a que o clube mandante disponibilize 10% da carga de ingressos para a torcida do time adversário.

O mando de jogo em qualquer competição de futebol significa vender boa parte do estádio antecipadamente para o torcedor, negociar corporate suits com empresas, respeitar contratos de licenças de exploração de catering nos jogos e garantir uma série de ações de marketing no estádio. Assim, o erro do São Paulo foi a forma como divulgou a exigência.

Em minha opinião o correto seria anunciar para imprensa na pré-temporada e informar o torcedor e o mercado da nova postura frente ao assunto.

Inter e Milan

O momento desse confronto entre São Paulo e Corinthians não poderia ser mais propício, já que nesse fim de semana teremos o derby milanês entre Inter e Milan, que serve de exemplo de como dois clubes grandes mandam seus jogos no mesmo estádio e preservam seus direitos como clube mandante.

inter

No estádio Giuseppe Meazza no bairro de San Siro, tanto o torcedor da Inter como do Milan tem seu lugar assegurado em toda a temporada nos jogos de seu clube como mandante.

milan

Ambos vendem seus carnês (abbonamenti) na pré-temporada e em qualquer partida disponibiliza quase a totalidade do estádio para seu torcedor.

Outros clubes italianos também dividem seus estádios, que é um assunto que abordarei em um futuro post.

Assim, espero que com essa polêmica na mídia, o mercado brasileiro possa aproveitar para entender o conceito do que representa ser o clube mandante de uma partida em casa, sendo o estádio em questão do próprio clube ou público.


Responses

  1. “Em minha opinião o correto seria anunciar para imprensa na pré-temporada e informar o torcedor e o mercado da nova postura frente ao assunto.”

    ^^^This.

    Faltou ética à diretoria do SPFC.

    Faltou pulso à FPF que é a verdadeira mandante da partida.

    Olá Afonso,

    Realmente a forma adotada pelo São Paulo não foi correta.

    Mas o assunto é indispensável para os clubes estabelecerem o conceito de matchday nos estádios brasileiros.

    Um abraço.

    Amir

  2. Eu acho que outros fatores deveriam ser analisados. Direito do São Paulo, sem dúvida. Mas, talvez, um retrocesso.

    Ah, link de vocês está no meu blog já!

    beijos!!!!

    Olá Yule,

    Obrigado pela indicação.

    É um assunto polêmico, mas acredito que deve ser amplamente discutido.

    O Corinthians é um belo exemplo. Já teria que ter acertado uma parceria com a Prefeitura nos moldes dos clubes de Milão há muito tempo.

    O Museu do Futebol ficou em obras e o clube já poderia ter aproveitado…

    O clube precisa maximizar cada uma das fontes de receitas com seus jogos em casa ( como mandante), mesmo os que jogam em estádios públicos.

    Um abraço.

    Amir

  3. Concordo.
    Essa gurizada do eixo rio-sp ta muito mal acostumada.

    Por exemplo aqui no sul, é impossivel nos dias de hoje termos um GRE-nal meio a meio, por causa da alta quantidade de sócios que ja tem ingresso garantido. Os clubes tem que priorizar seus torcedores e nao o do oponente.

    O jeito que encontraram de fazer um GRE-nal meio a meio foi levando as duas equipes a jogarem em Erechim (360km de Porto) assim todo mundo sai feliz.

    Olá Mathues,

    Obrigado pelo depoimento, pois os dois clubes de Porto Alegre têm caracterísitcas similares ao clubes europeus e vários aspectos e dois deles são: a relação do clube e torcida com o estádio como seu território e também pela relação que criaram com seus sócios.

    Aqui em SP os clubes precisam enxergar o clássico local como visitante, como um jogo fora de casa mesmo, com se fosse em outra cidade.

    Um abraço.

    Amir

  4. Eu possuo a mesma opinião. O SPFC está certo em fornecer 10% da carga de ingressos.
    Mas, acho que a atitude foi radical pra este momento.
    Porque o São Paulo F.C. destratou o seu mais “fiel” cliente. E hoje, evidentemente, não surtirá efeito.

    Porém, porém…..

    O Corinthians tem que tratar de conseguir uma parceria privada para construir o tão sonhado estádio, para que eles mesmos possam arrecadar 100% da renda sem ter que pagar aluguel tanto para o São Paulo F.C quanto à Prefeitura da cidade de SP. E tantas outras formas de receitas que uma Arena proporciona.

    Abraços

    Olá Ricardo,

    Uma pena o SPFC não ter informado no início do ano, por isso muitas vezes as idéias corretas naufragam no futebol brasileiro.

    Acredito que a arena do Corinthians é viável quem sabe em um pós-crise, mas acho absolutamente necessário o clube mapear o Pacaembu, pois há milhões de reais a serem explorados dentro do estádio…

    Um abraço.

    Amir

  5. Muito bonito falar em “match day”, “corporate suits”, “marketing”…

    Porém…

    Isso é modernidade? –
    http://lancenet.com.br/clubes/CORINTHIANS/noticias/09-02-13/487069.stm?sao-paulo-cuida-de-acesso-para-corintianos

    E isso, é profissionalismo? –
    http://lancenet.com.br/clubes/CORINTHIANS/noticias/09-02-13/487556.stm?ingressos-sao-paulo-conserta-dois-equivocos

    Olá Thiago,

    Obrigado pelos links.

    Realmente as iniciativas pecam logo no início, o que é péssimo para a credibilidade do clube.

    Um abraço.

    Amir

  6. Concordo com o Matheus.
    Acho q o erro nesse caso foi anununciar com pouca antecedência, já que se trata de uma “quebra” dos precedimentos que eram adotados anteriormente.

    Olá Roberto,

    Realmente o grande erro foi ter tomado a decisão na semana do jogo.

    Um abraço.

    Amir

  7. Caros,

    Independente do atropelo da decisão do São Paulo ela faz todo sentido do ponto de vista econômico e segurança ao mesmo tempo. Não neste domingo mas a médio/longo prazo.

    Fazendo uma pesquisa na internet e somando 14 jogos entre São Paulo e Corinthians desde 2002 no Morumbi, tem-se uma média de 29.900 pagantes por jogo. Pergunta: sabendo que a torcida adversária estará menos presente e, portanto, com menor risco de violência dentro e fora do estádio, será que a presença de sãopaulinos não aumentará? Há anos muita gente deixou de ir aos clássicos, gente que em jogos menores aparece. Não poderão voltar a dar as caras nos clássicos? “Corremos o risco” de daqui a algum tempo descobrir que esta medida até aumentou o faturamento do São Paulo.

    Abç

    Olá Álvaro,

    Muito interessante a sua pesquisa.

    Seguramente essa média de público deve-se em parte a presença dos torcedores corintianos nos jogos.

    Isso é uma realidade e pelo que li uma preocupação do Ministério Público.

    O matchday passa obrigatoriamente pelo clube tratar o seu jogo em casa como estratégico e em uma festa para sua torcida em seus domínios.

    Um abraço.

    Amir

  8. O SP tomou a atitude correta, mais foi incoerente em nao ter dado essa noticia com antecedencia para o corintias, apenas nisso pecou, no resto esta absolutamente correto.

    Olá JK,

    Por isso aqui no blog defendemos o planejamento das ações, assim atitudes corretas seguem um cronograma e não geram polêmica quando deveriam servir de benchmark.

    Um abraço.

    Amir

  9. Mais que uma cutucada no Corinthians ou na FPF, essa atitude “visa” a adequação do Morumbi para a Copa de 2014 e consequentemente ao maior conforto de seu torcida.

    A de se questionar ai, se o SPFC avisou em cima da hora ou não. Eu já leio sobre isso desde Dezembro, quando começaram as reformas do Setor Visa. Parece que não é novidade.

    Essa atitude foi tão boa pros donos da casa, que antecipadamente 30 mil ingressos já foram vendidos, fora os 10% do visitantes.

    Uma hora isso teria que acontecer, que bom que foi agora.

    Olá Rodrigo,

    Espero que o SPFC consiga para toda a temporada ampliar sua média de público e um dos caminhos é estruturar campanhas contínuas de massa, exaltando os seus jogos em casa, de forma bastante passional.

    Por isso a importância de saber maximizar cada jogo em seu estádio.

    Um abraço.

    Amir

  10. Concordo com o seu texto, no entanto, imagino que as coisas devam ser realizadas seguindo alguma ordem, algo como princípio, meio e fim. Assim sendo, antes de partir para a cópia do que já ocorre na Europa e em outros lugares, nosso futebol paulista necessita de alguns ajustes, principalmente quanto à organização.

    Antes de tomar essa controversa decisão, a diretoria tricolor poderia ter conversado com a alvinegra e chegado a um acordo que beneficiasse ambas as partes, pois unidos, os times grandes tornam-se ainda mais fortes.

    E ao invés de se instalar esse clima de guerra, de acusações, com certeza refletido em seus torcedores, poderíamos estar debatendo os aspectos referentes ao clássico em si, que fazem a beleza do futebol, nos tempos de hoje, apagada em detrimento das lamentáveis notícias que figuram na mídia nessa iminência de Majestoso.

    Abraços alvinegros!

    Olá Lara,

    Obrigado pelo comentário.

    Sem dúvida a forma como o SPFC fez acabou minando toda a repercussão positiva que poderia causar.

    Com relação ao modelo europeu, sempre falo sobre isso com dirigentes de clubes do interior de SP, que são meus alunos.

    Não é pegar uma “receita de bolo” e aplicar no Brasil. Até porque cada clube em qualquer lugar do mundo tem características muito particulares.

    Por exemplo, o Espanyol nunca adotará tudo o que o Barça faz, mas segue princípios em sua gestão que o aproxima de qualquer clube europeu.

    Manchester United, Chelsea, Barcelona e Real Madrid e Getafe, Espanyol, etc ou qualquer clube do mundo deve compreender quais os conceitos fundamentais da gestão de clubes de futebol.

    Cada um na sua realidade deve entender que há parâmetros conceituais já estabelecidos que podem ser seguidos pela Industria do Futebol.

    Esses conceitos são todos aplicáveis para qualquer clube de qualquer tamanho, em qualquer lugar, em projetos com patrocinadores, relacionamento com os torcedores, exploração do estádio e maximização de conteúdos com a mídia.

    Essa visão clara de como estruturar os negócios no futebol deve ser estudada pelo mercado brasileiro, há bos exemplos em clubes de diferentes tamanhos no mundo.

    Um abraço.

    Amir

  11. Eu sou um dos maiores admiradores da “guerra” de torcidas dentro do estádio. Calma, digo a “guerra” pra ver qual torcida tá maior, de qual espetáculo é mais bonito.

    Mas o caminho para o profissionalismo, é sem volta, e quem não pegar o bonde só vai ver os outros se distanciando. E um clássico com 50% de ingressos pra cada torcida a segurança é menor do que um clássico com 10% para os visitantes.

    E como disseram o Álvaro e o Rodrigo, isso tende a levar mais são paulinos ao estádio, principalmente o torcedor familiar, com os filhos, que é uma fatia que começa a retornar aos estádios e que tem muito para contribuir com os cofres dos clubes.

    Olá Gustavo,

    Você está correto, o profisionalismo muda tradições históricas no futebol, mas em contrapartida pode oferecer uma nova realidade de relacionamento com seus milhões de torcedores, por exemplo.

    Acredito que um ambiente mais seguro dentro dos estádios pode atrair de volta milhões de brasileiros que têm medo de frequentar os jogos de seus clubes.

    Por isso a importância do mercado do futebol discutir esse tema profundamente, os direitos do clube mandante.

    Um abraço.

    Amir

  12. Discordo completamente da afirmação que mais torcedores “familia” irão ao estádio neste domingo.
    Já foi noticiado que a PM, apesar de ter preparado um esquema de emergência para prevenir e intervir em ocorrências que possam ocorrer em diversos pontos da cidade, manifestou muita preocupação, pelo incomum clima de tensão criado para este clássico.
    Este não será um jogo para famílias. Os corinthianos que irão ao estádio serão, majoritariamente, integrantes de torcidas organizadas; será uma verdadeira “tropa de elite”. Por outro lado, a Folha de São Paulo noticiou que as organizadas do São Paulo foram informadas das alterações que ocorreriam para este clássico, já em dezembro, e passaram a se planejar para realizar emboscadas pela cidade, aproveitando-se da provável superioridade numérica.

    O jornalista Juca Kfouri, em seu blog, compartilha da opinião de que este não será um jogo para “torcedores comuns”; o que chega até a ser contraditório, pois JK foi uma das vozes que se ergueram para defender o inconseqüente comportamento da diretoria sãopaulina.

    Olá Marcelo,

    Acredito que esse ambiente acabou sendo criado principalmente pelas diretorias dos clubes.

    E mesmo com poucos corintianos, em relação ao que seria o normal, criou-se um clima de “guerra” entre os clubes.

    Um abraço.

    Amir

  13. Marcelo, o Juca e o Cosme Rímole noticiaram em seus blogs, esse clima de guerra.

    Um erro deles, que foram no embalo dos dirigentes.

    Não vai haver clima de guerra, a PM já estava por dentro dessas mudanças a algum tempo.

    A maioria das cadeiras vendidas pelo setor visa, foram para famílias, na comunidade do SP, muitos pais postaram depoimentos dizendo que, depois de muitos anos poderão assistir um classico no Morumbi ao lado de seus filhos e esposas.

    Ano passado, o público pagante doi de 41 mil, com o estádio dividido. Até hoje meio dia, 35 mil ingressos já haviam sido vendidos ó para torcedores tricolores.

    O público será de no mínimo 45 mil pessoas, uma mostra de que a torcida tricolor gostou da idéia e apoiou o clube.

    Olá Rodrigo,

    Obrigado pela informação!

    Vamos aguardar a partida e o borderô pode até mostrar esse movimento de novos torcedores.

    Um abraço.

    Amir

  14. Marcelo,

    Bem lembrado o clima de guerra desnecessário criado pelas diretorias. Mas mesmo que amanha seja um jogo mais tenso, com o passar do tempo, a tendência é que mais famílias frequentem o clássico.

    Abraços

    Olá Gustavo,

    Realmente espero que isso ocorra.

    Mas para mudar nosso atual ambiente, todos os clubes brasileiros devem buscar esse mesmo objetivo.

    Um abraço.

    Amir

  15. Amir,

    Obrigada pela atenção na resposta ao meu comentário. Concordo contigo, claro.

    Gostaria de conversar contigo sobre um assunto referente a tua área de atuação, posso te enviar um email?

    Ah… O único que tenho é o do blog: mailto:futebolnegocio@gmail.com

    Abraços!

    Olá Lara,

    Já te enviei um email.

    Um abraço.

    Amir

  16. Concordo com sua afirmação. O São Paulo acabou de fechar uma parceria com a VISA. Neste acordo , a maior parte do setor vermelho da arquibancada foi disponibilizado para esta empresa fazer a comercialização dos ingressos. No site http://www.futebolcard.com.br , pode-se comprar um ingresso neste setor como se fosse teatro , escolhendo a fileira e o assento que se quer sentar. Sem dúvida há muito o que se avançar nesta área de carnês e exploração de estádio , porém acredito que o primeiro passo foi dado e esta decisão sem dúvida teria que ser tomada. Em resumo , não é nada pessoal entre a diretoria tricolor a do Corinthians e sim um primeiro passo para uma maior exploração comercial do Morumbi.

    Grande Py,

    Muito bom tê-lo qui no blog.

    Realmente o SPFC está na direção correta.

    Já que o clube não optou por implodir o Morumbi e construir uma nova arena, com shopping, hotel, etc, foi atrás de parceiros para reformar o estádio para 2014, o que para gerar resultado precisa de um ambiente mais atrativo para o torcedor de maior poder aquisitivo.

    O projeto da FutebolCard é muito bom e assim como ajudou o Palmeiras( maior ticket médio com venda de ingressos no Brasil), vai contribuir para o São Paulo ampliar o gasto médio do torcedor no estádio.

    O que o clube precisa arrumar são as facilities para o torcedor comum, não os que estão nos camarotes.
    (como você bem sabe como proprietário de cativas no estádio).

    Continue comentando aqui no blog.

    Um abraço.

    Amir

  17. Amir,

    Obrigada! Te respondi lá…

    Abraços…

  18. Agora só nos resta aguardar a “solução definitiva” que será dada pelo nosso honrado Promotor Paulo Castilho…. o número mágico será de 5% para a torcida visitante … uaolllll ! sorte que não pensaram em algo como 3,78 % ou coisa parecida…

    Realmente o Ministério Pùblico tem total interesse no assunto.

    Seria importante aproveitar apresença do promotor e pedir que ele investigue a ação da polícia nos estádios, exclusão dos bandidos das torcidas, cambistas nos estádios, flanelhinhas, etc,etc,etc.

    O que não falta é problema para ser solucionado.

    Um abraço.

    Amir

  19. Notícia retirada da internet. O caminho é este!

    A partida entre São Paulo e Corinthians na tarde deste domingo levou ao estádio do Morumbi 33.991 pagantes. Com o público presente no jogo o embate superou a média de espectadores do Majestoso nos últimos dez anos.

    De 27 de fevereiro de 2005 até a atual data a média de público nos jogo entre São Paulo e Corinthians era de 32.242 pagantes, número que foi deixado pra trás com a platéia que esteve no Cícero Pompeu de Toledo acompanhando ao embate válido pela oitava rodada do Campeonato Paulista.

    A renda da última partida também foi a maior dos últimos clássicos contra o Corinthians. No atual encontro dos rivais, as bilheterias arrecadaram R$ 1.066.800,00.


    Olá Py,

    Obrigado pelas informações.

    Embora a primeira vista 32 mil torcedores seja pouco, pelos dados apresentados o ticket médio da venda de ingressos foi de R$ 33,1, que representa um aumento de 57% em relação ao apresentado na Série A 2008.

    A tendência é oferecer mais conforto com preços mais altos e assim ampliar o gasto médio do torcedor.

    Publiquei uma análise no site Futebol Finance sobre o gasto médio do torcedor nos estádios durante o Campeonato Brasileiro 2008.

    http://www.futebolfinance.com/publico-nos-estadios-campeonato-brasileiro-de-2008-parte-ii

    Um abraço.

    Amir

  20. A dias atrás havia postado que:

    – Público pagante seria de pelo meno 45 mil pessoa.

    – Muitas famílias estariam presentes no Morumbi e não havia motivo para pânico, como propagou alguns setores da imprensa.

    Como postado pelo companheiro Rodrigo Py, o público presente foi de 33 mil pessoas. Bem abaixo das parciais de ingressos vendidos noticiadas pelo clube, mas acima da média dos últimos classicos. Talvez por que boa parte das pessoas que compraram o pacote da Libertadores não utilizaram o ingresso bonus para o jogo.

    Nenhuma briga no metrô e nos trens foram registrdas. Não houve confusão na Gomes Pedrosa.

    O único e grave incidente ocorreu com a torcida do Corinthians, causada principalmente por algumas centenas de marginais travestidos de torcedores.

    Pela renda e pelo público, ficou claro que é viável continuar com essa posição tomada pelo SP. Para a torcida tricolor foi muito bom, para o clube também. No próximo classico, nao teremos tanta confusão pré-jogo e a tendencia é aumentar o público.

    Olá Rodrigo,

    Acredito que uma das questões mais importantes nesse momento seria analisar a atuação da polícia nos estádios brasileiros.

    Analisando os borderôs fica claro que o policiamento consome altos valores a cada partida, que saem do bolso do torcedor.

    Um abraço.

    Amir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: