Publicado por: Amir Somoggi | 21/janeiro/2009

Qual o futuro do Chelsea?

O jornal The Sunday Times publicou uma notícia recentemente abordando o possível interesse do magnata Roman Abramovich em vender o Chelsea, clube atolado em dívidas.

chelsea-atletas1

Segundo a matéria Abramovich comprou o clube londrino em 2003 por £60 milhões e naquele momento suas dívidas eram de aproximadamente £80 milhões. Desde a compra o russo conseguiu desenvolver globalmente a marca do clube e transformá-lo em uma potência em termos de marketing, fazendo do clube de Stamford Bridge um player destacado na Football Industry, já que as receitas geradas pelo clube apresentaram evolução de cerca de 112% desde a compra.

Por outro lado, no mesmo período as dívidas do Chelsea cresceram incríveis 1.100%, em função dos altos gastos na aquisição de atletas e altos salários para os jogadores. Escrevi um post sobre o assunto que pode ser lido aqui.

Para muitos o Chelsea é um brinquedo na mão do multibilionário e por isso as perdas com o clube não interfeririam em sua fortuna. Entretanto com a crise financeira global, Roman Abramovich segundo o jornal inglês, perdeu £3 bilhões, o que talvez tenha motivado o magnata a mandar pessoas de sua confiança a alguns paises árabes tentando oferecer o clube.

Segundo a matéria o custo estimado para adquirir o Chelsea seria de cerca de £800 milhões e no atual momento somente os magnatas árabes poderiam desembolsar um valor desses.

Para muitos aqui no Brasil o Chelsea estava tranqüilo, já que tinha o respaldo dos bilhões do Abramovich, mas com a crise global parece que as coisas mudaram um pouco.

Será que o torcedor está satisfeito com a possível transferência do clube para algum bilionário árabe?

E será que esse momento financeiro delicado do clube e de seu proprietário não afetará o desempenho do time nas competições?

Anúncios

Responses

  1. Esse negócio de torcer pra time de magnata, seja russo, árabe, deputado federal … dá no mesmo.
    O negócio é torcer pros times clássicos que não tem dono. Tipo o Corinthians, ops. Deixa pra lá! hahaha

    Olá Rodrigo,

    Os torcedores ingleses seguramente pensam como você, mas não têm essa possibilidade.

    Na Inglaterra os clubes estão nas mãos de magnatas sendo muitos deles estrangeiros. Muitos jornalistas da Inglaterra invejam a realidade de Real Madrid e Barcelona, que se mantiveram como clubes, faturam tanto ou mais que os ingleses e são adiministrados por uma diretoria eleita por seus sócios.

    Um abraço.

    Amir

  2. Amir, vou me basear no ultimo estudo da Delloite.
    E depois quero saltar pra uma questão Liga num geral.
    A Inglaterra com seus clubes adquiridos por magnatas (o que eu não gosto) ocupam 5 lugares num Top 20. Até Tottenham está na lista. E no estudo do exercício 2008-09 não duvido que apareça o Man. City.

    Já na Espanha, com uma liga forte tecnicamente, mas bem mais pobre que a inglesa por causa de clubes que ainda são atrasados em nível europeu. E há tbm clubes relativamente ricos falindo como Valencia. -Me corrija por favor-. Porém, possui o 1º e 3º do Ranking e como vc disse, administrados por uma diretoria eleita por sócios.

    A Itália pega 4 lugares com Juventus, Roma Inter e Milan, estes dois ultimos tbm adquiridos por magnatas. Não sei qto aos outros dois primeiros.
    Uma liga ainda mais pobre.

    Aí eu pergunto: Tá certo os clubes venderem seus patrimônios para trilhonários e estes ajudarem a fazer uma liga igualmente trilhonária? Estamos vendo as consequências.

    Ou ainda deixamos os clubes intactos e bem administrados -com seus sócios, etc – porém, sofrendo com uma desigualdade econômica e técnica com outros clubes mal administrados ajudando a enfraquecer o valor da Liga num geral?

    Sendo que nas duas questões levamos em conta que ainda há desigualdades técnicas e econômicas
    .
    E respondo suas perguntas: a 1ª, eu acho que eles não estão nem um pouco satisfeitos.Pois, deve ser duro ver seu clube sendo tratado dessa maneira.

    A 2ª, depende. Se começar a afetar os salários dos jogadores. Quem sabe.

    Abraços

    Olá Ricardo,

    Realmente os clubes ingleses são destaque no estudo da Deloitte e a Premier League se consolidou definitivamente como a maior Liga do futebol global e a terceira do esporte no mundo.

    Entretanto se fizermos uma análise clube a clube fica claro que Real Madrid e Barcelona não devem nada aos ingleses em termos de geração de receitas.

    Especialmente o Barça na temporada 2008-09 chamará ainda mais a atenção do mundo quando apresentar seu faturamento, que deve ficar próximo de 380 milhões de euros, mesmo sendo um clube de futebol sem fins lucrativos.

    Um abraço.

    Amir

  3. Acho certo vender o Chelsea para algum magnata arabe, o problema é que esses arabes só entendem de petróleo, e eles nao sabem como montar um time do começo, ele chegam querem trazer o principal jogador de um clube que ja é intificado com o mesmo, por dinheiro que daria para ter um ótimo elenco.

    Se eu fosse um bilionário, e comprasse o chelsea, primeiro pagaria as dividas, depois traria jogadores bons mas nao tão caros, investiria na base e manteria o Felipão, que no meu ponto de vista, é o melhor treinador do mundo.

    Olá Matheus,

    Realmente os magnatas árabes estão de olho nos clubes e creio que mais investidores do Oriente Médio entrarão no futebol europeu.

    A questão colocada por você é fundamental, a administração de um time de futebol é completamente diferente dos negócios tradicionais e talvez por isso muitas vezes esses projetos megalomaníacos como do Man.City acabam naufragando.

    Talvez o melhor exemplo recente foi o Real Madrid e seus galáticos, que se transformou em um benchmark em termos mercadológicos, mas um fracasso esportivo.

    Um abraço.

    Amir

  4. Oi Amir, com certeza o torcedor não fica nada satisfeito quando vê seu time numa situação dessas, sendo passado de mão em mão. De repente um bilionário desses tem um prejuízo em outros negócios e acaba se desfazendo de um clube de muita história e tradição. E muitas vezes o futebol pode ser usado para lavagem de dinheiro, uma das preocupações levantadas pela própria Fifa.
    No Brasil ainda predomina o modelo associativo, embora comecemos a ver com mais frequencia alguns clubes comprados por uma empresa ou por um determinado empresário. Acho que a questão nem é tanto o modelo, mas a forma como o clube é administrado. E o negócio futebol também. Afinal o ideal seria que o clube desse lucro e conseguisse bons resultados em campo.
    Apesar do exemplo do Chelsea e de o futebol ser um esporte imprevisível, onde nem sempre o melhor ganha, acredito que uma coisa está atrelada à outra.
    Abs. João Carlos

    Olá João Carlos,

    Você está certíssimo em sua colocação.

    Em geral o torcedor não está muito preocupado com a situação financeira de seu clube, ficando unicamente interessado em que o clube dispute bem as competições.

    Entretanto dívidas e dificuldades financeiras impactam diretamente a questão esportiva.

    Aqui no Brasil criou-se o mito que clubes não devem dar lucro, pois são entidades sem fins lucrativos.

    Entretanto sem estar capitalizado um clube não tem força para montar times competitivos, investir em infra-estrutura, etc e acabam sendo obrigados a fechar parcerias, muito mais rentáveis para os seus parceiros do que para o clube, em geral marcas centenárias, com ampla cobertura de mídia e milhões de torcedores.

    Um abraço.

    Amir

  5. Amir.

    É liquido e notório que a crise mundial vem devastando as finanças dos paises mundo a fora.
    Mais seria a unica /melhor solução, a venda do clube aos arábes?

    O nome Chelsea, hoje é considera uma marca potencial aos olhos do mercado de merchan… e demais .

    Um trabalho envolvendo o torcedor do Chelsea, não traria melhores resultados?

    Abraço!!!

    Olá Carlos,

    O Chelsea conseguiu se transformar em uma grande marca global e sua geração de receitas, desde a compra em 2003, está entre os melhores exemplos do esporte global.

    A questão é que o formato adotado é inviável, já que o clube acumula pesadas perdas a cada ano.

    O caminho é rever esse modelo de gestão e principalmente investir em projetos na base, para conseguir bons jogadores com custo mais baixo.

    Mas creio que pelo nível de gasto do time, a venda seria a única saída para tentar equacionar sua delicada situação financeira.

    Um abraço.

    Amir

  6. esse time meu o chelsea e de coraçao ate morre vamos chelsea vamos passa o tranto por simar


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: