Publicado por: Amir Somoggi | 20/dezembro/2008

Corinthians, receitas em 2008

A contratação do Ronaldo Fenômeno pelo Corinthians caiu como uma bomba no mercado brasileiro de futebol. Essa contratação possibilita ao clube iniciar a temporada de 2009 em um ambiente favorável para o desenvolvimento de seus negócios. Analisando a receita atual do clube identifiquei de forma bastante realista novos R$ 10 milhões a serem gerados pelo clube graças a associação com o jogador. Esses recursos seriam provenientes principalmente de novos contratos de patrocínio, royalties com venda de camisas e produtos licenciados em geral e receitas com os jogos do clube no Pacaembu.

 

Entretanto se a diretoria de marketing do clube conseguir estruturar projetos comerciais que desenvolvam as atuais receitas do clube, por meio de ações de marketing e ativação de patrocínio e do próprio licenciamento de sua marca, o clube pode ampliar ainda mais suas receitas, podendo em 2009 agregar entre R$ 20 e R$ 30 milhões novos.

 

Essa análise realizada por mim toma como base que o novo craque do Corinthians pode agregar em novos recursos  entre 10% e 30% da receita global do clube. A projeção futura de novos recursos potenciais fica ainda mais clara, ao se analisar os dados financeiros do Corinthians em 2008, considerando o período de novembro a dezembro em comparação com os 12 meses de 2007.

 

A primeira conclusão que se chega é que os dados publicados pelo clube em seu site oficial mostram uma boa evolução de suas receitas, sem considerar os recursos gerados com as transferências de seus jogadores, mesmo jogado a Série B em 2008, o que é muito positivo. Em 2008 as receitas sem considerar as transferências cresceram 37%, produzindo novos R$ 23 milhões até o momento para o clube.

 

De janeiro a novembro de 2008 em comparação a 2007, as receitas com bilheteria cresceram 97%, graças à boa média de público na Série B e pelo bom desempenho do time na Copa do Brasil, com algumas boas rendas no estádio do Morumbi. As receitas com patrocínio e publicidade cresceram 19%, principalmente pelo excelente acordo assinado com a Medial e as cotas de TV com crescimento de 6%, um excelente resultado, já que mesmo sendo rebaixado para Série B e pela possível redução das receitas de TV, o time teve seus jogos transmitidos aos sábados e eventualmente às quartas-feiras em TV aberta e também em TV fechada, o que resultou em novos recursos financeiros.

 

Principais Receitas Corinthians – 2007 e 2008 (11 meses)

Em R$ milhões

 receitas-corinthians

 

O clube social e esporte amador apresentou um grande crescimento, evolução de 64%, mas pela falta de notas explicativas no documento publicado pelo clube não há como saber de onde são provenientes os R$ 5,4 milhões em outras receitas da atividade social.

 

No item outras receitas do futebol profissional o Corinthians apresentou em 2008 sua maior evolução percentual, com crescimento de 725%. Embora o clube não apresente essa informação, creio que esteja relacionado aos recursos com royalties, pela boa venda de camisas nessa temporada.

 

Assim, o Corinthians tem uma perspectiva muito positiva em 2009, graças ao Ronaldo e diferentes projetos de novas receitas que poderão ser criados. Os pontos fundamentais para o clube em termos de marketing na temporada 2009 são: conseguir ampliar suas receitas com os jogos no Pacaembu e também alavancar suas receitas com marketing, já que as cotas de patrocínio ofertadas atualmente são em grande parte do jogador.

 

Além é claro de seu principal objetivo esportivo do ano, que é conquistar a vaga da Libertadores em 2010 e para isso está contando com a ajuda do Fenômeno.

Anúncios

Responses

  1. Amir, só para parabeniza-lo a participação no programa Dossiê Sportv. A Sportv também foi bastante feliz em debater este tema e ter unido varias forças do futebol para exporem suas opiniões. Eu vou fazer meu TCC sobre: “O porque de uma marca investir num clube de futebol.” Abraços

    Olá Leandro,

    Fico feliz que vocë assistiu ao programa, o assunto é realmente necessário para o atual momento do futebol brasileiro.

    Estou certo que o Casual Report pode ser muito útil para sua monografia.

    Um abraço.

    Amir

  2. Pô Amir vc não avisa que falou sobre números do futebol no SporTV? hauhauhau
    ————–

    O Corinthians não pode desperdiçar a chance de ter um jogador do porte publicitário do Ronaldo em seu elenco. É o momento certo pra exportar a marca pro mundo.
    É incrível o impacto dessa contratação, lembro que fui ao shopping à faculdade, após o dia da contratação, com um amigo corinthiano – como vc deve saber, sou palestrino -, primeiro comentavam sobre os dois amigos “rivais” e logo depois perguntavam o que o palmeirense achava do Ronaldo no Corinthians. Isso era perguntado do caixa do banco aos lojistas do shopping.
    E por ventura, passamos na Nike e lá já tinham sido vendidas + de 50 camisas.

    Não sei se pra vc, mas pra mim foi a melhor jogada de marketing do ano (quem sabe da década) no futebol brasileiro.
    E como bem sabem, o melhor marketing do futebol é o resultado. Só resta esperar pra saber se isso se concretizará. Mas até lá, dá pra fazer muita coisa.
    —————
    Parabéns pelo sucesso do blog (quase 230 mil visitas) e pelos ensinamentos passados ao longo deste 2008. Tanto aqui quanto em palestras.

    Boas Festas!

    Abraços

    Olá Ricardo,

    Realmente a contratação do Ronaldo foi uma bomba na nossa realidade atual. Para mim, está entre as maiores oportunidades de marketing esportivo criadas para um clube brasileiro.

    Entretanto essas novas receitas que podem ser criadas serão divididas entre o clube e o jogador, o que diminui o impacto financeiro líquido do projeto.

    O Ronaldo pode mostrar ao mercado brasileiro de futebol, a força de um ídolo como parte fundamental da cadeira produtiva do esporte mais popular do planeta.

    Fiquei contente em conhecê-lo e desejo a você e a todos os leitores do blog um feliz 2009!

    Um abraço

    Amir

  3. Olá Amir

    Grande a repercução, principalmente na midia, diante da contratação de Ronaldo pelo Corinthians.
    Agora, analisando pelo lado técnico, já que o lado do Marketing foi um grande sucesso. Se Ronaldo não vier a jogar pelos menos uns 30% do futebol que sabe, vamos diconsiderar a parte fisica, que se espera (somos sabedores que o futebol é na sua quase totalidade é “EMOÇÃO”), qual será o impacto sobre às receitas, ações futuras, e demais projetos… no processo??
    Você como um expert no assunto, poderia efetuar um cometário futurista?

    De antemão, um FELIZ NATAL a você e consequentemente aos seus e um excelente 2009… Estaremos juntos?!

    Grande Abraço?!

    Olá Carlos,

    O Ronaldo por si só em termos de mídia e potencial comercial já vem mostrando sua força.

    Agora a questão esportiva é bem mais complicada. Tenho comentando na imprensa, que se o Ronaldo conseguir marcar 10 gols na temporada o impacto será gigantesco e isso ocorreu com o Adriano que ajudou o SPFC no Paulistão e Libertadores.

    Os gols do Ronlado e o plano do Corinthians para 2010 podem colocar esse projeto entre os principais cases de marketing esportivo no Brasil.

    Boas festas e um feliz 2009!

    Um abraço.

    Amir

  4. Amir, se possível gostaria de um post sobre a valorização da marca São Paulo. Li em alguns lugares na internet, que em 2001 o SPFC tinha contrato de patrocínio de R&6 milhões anuais, e o contrato que esta a vencer já chega a R$16 milhões. Em negociações para 2009, o clube quer chegar a um valor aproximado de R$30 milhões. Como faz bem ter profissionais na gestão do Clube e ganhar títulos, não?

    Grande abraço, boas festas.

    Olá Leandro,

    Realmente os valores recebidos pelos clubes brasileiros cresceram muito e o SPFC foi talvez o maior responsável/beneficiado dessa melhora. O clube ampliou consideravelmente suas receitas de marketing e com o estádio do Morumbi nesse período.

    Vamos aguardar 2009 para ver quais os valores o clube conseguiu na negociação com patrocinadores.

    Um abraço e boas festas!

    Amir

  5. Com tanta pirataria, cambistas, noitadas e muitos mais , não é levado em considerações para avaliar as reiceitas do clube, e se o Ronaldo não jogar ou até mesmo jogando e o time começa a perder, como é que fica, é bom lembrar que na Italia e na Espanha a marca Ronaldo estava pessíma em vendas, por que no Brasil daria certo, será também que uma empresa quer ter seu nome estampado em uma pessoa cheia de altos e baixos, enfim acredito nos seus numeros, embora o departamento de marketing do Corinthians não é de confiança, basta ver a mentira dada pela não renovação do contrato com a Medial, foi absurda e descabina (o retorno para a Medial foi muito grande e não tem demanda), fala serio estão dispensando dinheiro.

    Olá Valdir,

    Você citou vários aspectos.

    A questão da pirataria atingirá esse projeto como qualquer outro. Mas o clube em 2008 conseguiu uma boa evolução em sua venda de camisas oficiais e deve ocorrer o mesmo com o Ronaldo em 2009.

    Sobre a questão esportiva relamente é ainda uma incógnita, já que o que você comentou que uma empresa pode ter dúvidas em associar sua marca ao jogador. Por isso, creio que buscaram essa alternativa de patrocínios nas mangas e calção.

    Agora sobre essa história da Medial, creio que empresa acredite que R$ 16,5 milhões/ano é um investimento pesado em marketing. Se bem que esse montante representa cerca de 30% da verba de marketing e vendas da empresa.

    Segundo os relatórios trimestrais da Medial de 2008, em 2007 a empresa tinha 1,39 milhão de clientes e até o final do terceiro trimestre tinha subido para 1,5 milhão.

    Em 2007 a empresa comprou três empresas, incluindo a Amesp e em 2008 fez duas outras aquisições no valor de R$ 50 milhões.

    Portanto não creio que seja por excesso de demanda por culpa do Corinthians.

    Um abraço.

    Amir

  6. DO BLOG DO CITADINI:

    29/12/2008

    Pacaembu II

    O Pacaembu é muito pequeno para o Corinthians. O clube de maior torcida da maior cidade do Brasil não pode mandar os seus jogos em estádio com capacidade para apenas 35.000 pessoas. É ridículo.
    O Hertha Berlin joga em um estádio com capacidade para 76.000 pessoas. O Bayern joga em um estádio para 66.000 pessoas. O Borussia joga em um estádio para 69 mil pessoas. O Real joga em um estádio para 80.000 pessoas. O Barcelona joga em um estádio que comporta 98.797 pessoas. Na América Latina, o América do México tem o Estadio Azteca, para 115 mil pessoas.
    O Flamengo joga no Maracanã, para 92 mil pessoas. O São Paulo tem o Morumbi, para 75.000 pessoas. Os exemplos são inúmeros, pelo Brasil (Inter, Grêmio, Coritiba) e pelo mundo (Manchester United, Newcastle, Milan, Porto), de clubes com torcidas bem menores do que a Fiel, que mandam os seus jogos em estádios muito maiores do que o Pacaembu.
    A situação é absurda. Inadmissível.

    E a questão extrapola o Corinthians. A Administração Pública e os organizadores da Copa-2014 têm a obrigação de enfrentar o caso.
    Berlim tem um estádio com capacidade para 76.000 pessoas (população da cidade: 3.392.026 habitantes).
    Munique tem um estádio para 66.000 pessoas (população: 1,23 milhões de hab.).
    Dortmund tem um estádio para 69 mil pessoas (população: 590 mil habitantes, apenas).
    Madri tem um estádio para 80.000 pessoas (população: 3.162.304).
    O Camp Nou do Barcelona comporta 98.797 (população 1.605.602).
    Na América Latina, a Cidade do Mexico tem o Estadio Azteca, para 115 mil pessoas (população: 8.720.916, sendo 22 milhões em toda a área metropolitana).
    O Rio de Janeiro tem o Maracanã, para 92 mil pessoas (6.000.000 de hab.).
    Enquanto que São Paulo, com 10.886.518 habitantes, maior cidade do Brasil e de todo o Hemisfério Sul (a região metropolitana tem 19.949.261 habitantes, que fazem dela a 6ª metrópole mais populosa do mundo), conta com o que?

    A cidade de São Paulo conta com o ultrapassado e deficiente Morumbi, com a reduzida capacidade de 75.000 pessoas. É muito pouco. São Paulo mereceria um estádio para, pelo menos, 100.000 pessoas, que fosse o maior do país. A realização da copa do mundo no Brasil deve ser aproveitada para solucionar a carência apontada. Cabe à administração pública e aos organizadores da Copa-2014 se conscientizarem disso.

    Olá Thiago,

    Obrigado pelo texto.

    Acredito que pelo tamanho da torcida do Corinthians o time pode ter um estádio do tamanho que desejar.

    A questão é outra, basta analisar qual a média de público do time nas competições e você verá que o Pacaembu está de bom tamanho.

    A tendência mundial é construir estádios menores e ampliar consideravelmente o ticket médio do gasto do torcedor.

    Que adianta o Corinthians ter um estádio para 100 mil pagantes e seu ticket médio ficar em R$ 10/torcedor?

    Com relação aos exemplos europeus, muitos clubes têm estádios enormes, com % de ocupação altíssimo e nem por isso estão entre os clubes que mais ganham dinheiro com matchday.

    Um bom exemplo é o Borussia,tem uma média elevadíssima e uma receita com seu estádio muito baixa, pois o clube ainda não conseguiu ampliar consideravelmente o gasto médio do torcedor.

    Um abraço.

    Amir

  7. Olá Amir, no Estadão deu que as vendas das camisas do Corinthians, venderam 500 mil unidades, abaixo do esperado pela Nike, vc acha que a diretoria e o marketing do clube, não só do sitado, mas dos clubes do Brasil inteiro dão informações sérias e confíaveis em que possamos levar em considerações, exemplos de patrocinios em camisas, anunciados um valor e nos inventarios outros, bilheterias, ações de marketing que visivelmente não deram certas e por ai a fora, sem contar os retornos financeiros nas transações de atletas.

    Olá Valdir,

    Eu li a matéria e fiquei chocado com o dado. Acredito que um contrato que trabalhe com a garantia mínima de 500 mil camisas é muito elevado para o mercado brasileiro.

    Um clube vender 500 mil camisas oficiais (Nike) é excepcional e deveria render um bom volume de recursos para o clube.Até porque um contrato de R$ 5 milhões/ano é muito baixo para exigir a venda de 500 mil camisas oficiais.

    Sobre as ações de marketing realmente muitas vezes não dão certo, pois são fundamentadas na boa e velha “tentativa e erro”.

    Cada vez mais os clubes serão cobrados para ampliar a transparência dos dados, não apenas os contábeis, a fim de dar credibilidade a sua gestão.

    Um abraço.

    Amir

  8. Amir, o divulgado pelo clube era de 3 milhões de camisas vendidas oficiais!

    Olá Valdir,

    Nesses 3 milhões de unidades vendidas divulgo pelo clube há um grande número de camisas que não são da Nike.

    Pela matéria do Estadão as 500 mil camisas são da marca Nike.

    Um abraço.

    Amir

  9. Tem que fazer o pessual gastar dentro do estádio. Aí, mesmo que o estádio seja peuqeno, o clube vai arrecadar bastante. Mas não só em dias de jogos. Tem que ter algo durante os outros dias, isso faz a diferença.

    Olá Rodrigo,

    Realmente você está certo, o gasto do torcedor além da compra do ingresso é indispensável para um clube ampliar consideravelmente as suas receitas, além de oferecer um serviço melhor dentro do estádio.

    Um abraço.

    Amir

  10. Realmente, muito estranho o atual comportamento da diretoria do Corinthians nessa questão de estádio.

    Todo mundo sabe que os bambis morrem de medo que o Corinthians construa um estádio grande. Seria quase que a falência deles, porque, sem a Fiel, o Morumbicha é deficitário.

    Com a realização da Copa de 2014 no Brasil, seria INEVITÁVEL A CONSTRUÇÃO DE UM NOVO ESTÁDIO NA CIDADE DE SÃO PAULO. São Paulo é a maior e mais importante cidade do Brasil, e não possui nenhum estádio que preste. São todos velhos e, com exceção do Morumbicha, pequenos.

    É importante dizer que aquele papo de que “estádios modernos têm que ser arenas para 40 ou 50 mil pessoas” é balela no caso de São Paulo. Isso aí é estádio para Curitiba ou para cidades européias. Não dá para comparar com São Paulo, que tem uma população de 20 milhões na área metropolitana e uma torcida como a Fiel! A nossa realidade é outra.

    Voltando aos estádios de São Paulo: o Pacaembu é confortável, mas está ultrapassado, é pequeno, além de tombado, o que inviabiliza grandes reformas; o Chiqueirão vai ser modernizado, mas vai continuar pequeno; o Morumbicha não tem jeito, é ultrapassado, desconfortável, inseguro e tem problemas estruturais sem solução; a Fazendinha é pequena demais.

    A solução clara, cristalina, necessária, seria a construção de um novo estádio na cidade. E não adianta falar da crise econômica. VÃO SER CONSTRUÍDOS NOVOS ESTÁDIOS. Em qualquer lugar do mundo foi e continuará sendo assim. A Copa do Mundo é o evento esportivo mais importante que existe, e só acontece de 4 em 4 anos. Não se concebe realizá-la em estádios remendados. Em todas as copas são realizados investimentos de infraestrutura e são construídas novas praças esportivas. É bom para o futebol e bom para a economia, em nível internacional (não se esqueçam, vivemos em uma sociedade global).

    Dos novos estádios que serão construídos no Brasil, nenhum é mais necessário do que na capital paulista. Mas, aí, ocorrem dois problemas: primeiro, o novo estádio, fatalmente, acabaria vinculado ao clube mais importante da cidade e do Brasil, o Corinthians, pelo fato de ser o mais carente de uma grande arena – o que os anticorinthianos, simplesmente, não admitem; segundo, provocaria a já citada falência dos bambis, o que provocou uma reação forte deles nos bastidores (onde sempre tiveram muita força).

    É por isso que a prefeitura de São Paulo, através do Kassab e do Feldman (detalhe: os dois são bambis) passou a querer empurrar o Pacaembu para o Corinthians. A coisa é tão descaradamente para favorecer o São Paulo, que o Juvenal Juvêncio e o Marco Aurélio Cunha defenderam a proposta da prefeitura!

    E o pior: o Corinthians se interessou!

    O Corinthians conseguiu em 2008 o voltar, com brilho para a Série A; disputou a final da Copa do Brasil, e só não ganhou porque foi assaltado (com direito a tiro) na Ilha do Retiro (onde o Sport ganhou com um gol impedido e com um pênalti não marcado sobre o Acosta); fechou o maior contrato de patrocínio do país, com a Medial; contratou o Fenômeno, o que foi notícia no mundo todo.

    Só que o comportamento que o Andrés Sanchez e o Rosemberg estão tendo na questão do estádio vai apagar tudo de bom que foi feito até agora. Estão praticando um crime contra o Corinthians. E a coisa parece consciente porque, no mesmo dia em que os bambis foram reforçar o lobby no Palácio do Governador, o Corinthians anunciou essa reforma da Fazendinha.

    Pô, reformar para que? A torcida do Corinthians não cabe ali! Só vai servir para jogo sem importância, ou seja, se o Corinthians estiver eliminado e cumprindo tabela. É para isso que contrataram o Ronaldo? E a Libertadores? Não dá para jogar ali! Os bambis não deixaram nem o Atlético-PR jogar na Arena da Baixada, que é bem maior que a Fazendinha!

    E quer dizer que o Corinthians vai chegar no ano do centenário, em 2010, com dois estádios, a Fazendinha e o Pacaembu, que não valem por um? Ao invés de estarmos construindo um estádio que possa comportar a Fiel em todos os clássicos e decisões?

    Está errado! Os corinthianos não podem aceitar isso!

    Olá Claudio,

    Infelizmente na atual conjuntura do futebol brasileiro, nenhum clube tem condições de erguer um estádio ( de qualquer capacidade) sem apoio de investidores, por isso os clubes ou buscam esses parceiros ou utilizam o melhor que o mercado atual oferece.

    Um abraço.

    Amir

  11. Olá Amir,
    perdoa-lhe pois não sabes o que fala!

  12. Bom, discordando do amigo acima.
    São Paulo é a cidade mais importante do Brasil? E o Rio? São no minimo iguais ao país, cada um com suas caracteristicas, mas eu diria exatamente iguais.
    Segundo, o corinthians é o clube mais importante do Brasil e merece o melhor estádio? Diria que o mais importante no Brasil neste momento é o São Paulo, e senão, flamengo, grêmio, internacional. Enfim, clubes que são conhecidos em outros países do mundo, mas nunca o corinthians, que é idolatrado somente pela imprensa de SP.

  13. Thiago, como vc consegue escrever tanta asneira em tão poucas linhas?

  14. Amir, vc disse que a média de público do Corinthians por jogo é de 10 mil??? Não é possivel, vc devia estar drogado qdo escreveu isso!

    Vitor,

    Eu nunca disse que essa é a média de público do Corinthians, não sei de onde você tirou esse valor.

    Eu apenas disse que a média atual e dos últimos anos sugere que a capacidade do Pacaembu é suficiente para o clube.

    Um abraço.

    Amir

  15. Amir nao sei se é verdade mas escutei uma historia que o timao iria contratar o samuel etooe o tevez iria voltar tambem, seerá que é verdade?
    tem alguma probabilidade de isso acontecer?
    abraços ai

  16. sexo


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: