Publicado por: Amir Somoggi | 13/dezembro/2008

Panorama Financeiro do Futebol Brasileiro

A Casual Auditores Independentes acaba de publicar seu primeiro report, que começou a ser vendido essa semana. O Casual Report – Panorama Financeiro do Futebol Brasileiro, apresenta uma profunda e exclusiva análise sobre a gestão dos principais clubes de futebol do Brasil, com os dados financeiros individuais de cada grande clube, além de informações históricas consolidadas do mercado brasileiro de clubes de futebol no Brasil entre 2004 e 2007.

 

O estudo contém análises sobre as informações dos maiores clubes de futebol do Brasil como: a situação patrimonial dos clubes brasileiros, receitas e despesas, superávits e déficits e a implementação dos indicadores de desempenho para a gestão de clubes de futebol. A parte final do estudo conta com projeções inéditas sobre o mercado doméstico dos clubes de futebol e o desenvolvimento das principais fontes de receitas dos clubes brasileiros para os próximos anos, com a perspectiva da realização da Copa de 2014 no Brasil e análises sobre o mercado europeu de futebol

 


 

Para saber mais sobre o Casual Report

http://www.casualauditores.com.br/Casual_Report.htm

 

casual-report1

 

Alguns dados do report

Entre 2004 e 2007 o mercado brasileiro de clubes de futebol analisado pela Casual Auditores, apresentou uma melhora substancial nas receitas geradas, conseqüência direta da exploração das diferentes fontes de recursos gerados pelas entidades. Entretanto, no mesmo período as despesas dos clubes também se ampliaram, bem como seus déficits e suas dívidas. Nesse período as receitas consolidadas geradas pelo mercado brasileiro de clubes de futebol se desenvolveram muito, com uma melhora de 63% e atingiram R$ 1,6 bilhão no último exercício. Essa evolução representa um crescimento médio nesse período de R$ 157 milhões de recursos novos gerados a cada ano.


 

Entretanto no mesmo período, o mercado brasileiro de clubes de futebol apresentou uma evolução em seus gastos superior ao ritmo de geração de receitas. Entre 2004 e 2007 a despesa consolidada gerada pelo mercado brasileiro de clubes de futebol cresceu 81%, o que representa uma evolução média de aumento de gasto nesse período de cerca de R$ 220 milhões a cada ano.


A Casual Auditores identificou, analisando a realidade de cada clube brasileiro, que há um mercado a ser explorado pelos clubes de futebol no Brasil de quase R$ 1 bilhão para os próximos cinco anos, sendo R$ 360 milhões em receitas de marketing, R$ 280 milhões em recursos de mídia e R$ 320 milhões em receitas com os estádios.

 

A Copa de 2014 pode transformar radicalmente o futebol brasileiro, deixando um profundo legado para os clubes de futebol no Brasil. O Casual Report apresenta diversas informações sobre o mercado europeu de futebol com aspectos relacionados aos projetos de marketing e exploração comercial dos estádios dos grandes clubes do Velho Continente. O estudo mostra ainda o legado da Copa de 2006 para o futebol alemão, que nesses últimos cinco anos apresentou uma evolução significativa em suas receitas, principalmente pelos gastos do torcedor nos estádios. Os 36 clubes da Bundesliga 1 e 2 entre 2003 e 2007 viram suas receitas com seus estádios crescerem 66%.

 

 


Responses

  1. Amir, nenhum post ainda sobre Ronaldo e Corinthians?

    Confesso que gostaria de ouvir sua opinião.

    Abraços.

    Olá Ermiro,

    Assim que possível, farei um post sobre o assunto.

    Um abraço

    Amir

  2. Fora do tópico, desculpa. Qual é a estimativa de ganho financeiro com a contratação do Ronaldo?

    Olá Fabio,

    Como um comentário meu que foi publicado na revista Época dessa semana, o Corinthians pode gerar entre R$ 10 e R$ 20 milhões novos em recursos com os jogos do clube e marketing por ano, graças a essa contratação bombástica.

    A questão é saber quanto desses recursos novos ficarão com o clube e se serão bem estruturados, a fim de explorar ao máximo essa oportunidade.

    A exposição na mídia até o momento é impressionante!

    Um abraço.

    Amir

  3. CORINTHIANS X FLAMENGO

    1)
    O CORINTHIANS foi fundado por um grupo de trabalhadores humildes, e se tornou o primeiro clube popular a participar do então elitista campeonato paulista.
    O FLAMENGO nasceu como clube de regatas, e, como tal, era um clube de elite. Chegou a se retirar do campeonato carioca para boicotar a participação do Vasco, pelo fato deste contar com jogadores negros.

    2)
    O CORINTHIANS começou a arrastar multidões para ver os seu jogos ainda na época em que disputava campeonatos na várzea. Sua torcida nunca parou de crescer e de acompanhar o time, nem mesmo nos piores períodos, como os intermináveis 22 anos sem um título paulista. Ganhou, por isso, o apelido de Fiel. A Fiel protagonizou a mais grandiosa demonstração de amor de uma torcida ao seu time em todos os tempos: a Invasão Corinthiana de 1976, quando mais de 70 mil corinthianos foram maioria em um Maracanã lotado para a semifinal do Brasileirão contra o Fluminense.
    O FLAMENGO acabou se tornando um time de massa, em grande parte graças à militância de jornalistas como Ari Barroso e Mário Filho, que difundiram a paixão rubro negra no Rio e em todo Brasil, na chamada “Era do Rádio”. Com o advento da televisão, coube à Rede Globo manter a chama acesa. O Flamengo possui grande parte dos recordes de público do futebol graças ao fato de ser a maior torcida do Rio e Janeiro, cidade onde está localizado aquele que é o maior estádio do Brasil há mais de meio século: o Maracanã (curiosamente, os dois momentos mais grandiosos vividos por um time no estádio foram corinthianos: a Invasão de 1976, e a conquista do 1° Campeonato Mundial de Clubes, em 2000).

    3)
    O CORINTHIANS é o clube mais importante da maior cidade do Brasil, São Paulo. O futebol paulista assumiu a hegemonia absoluta do futebol brasileiro nos anos 90 e, de lá para cá, sua superioridade é cada vez maior em relação àquele que ainda é o segundo centro mais importante, o Rio de Janeiro.
    O FLAMENGO é o clube mais importante daquela que já foi a maior cidade do Brasil, o Rio de Janeiro. O futebol carioca encontra-se em nítida decadência, há vários anos. Se não fosse pela localização da CBF no Rio, certamente o futebol carioca teria muito menos relevância do que ainda mantém.

    4)
    Corinthians e Flamengo são os times que ocupam mais espaço na imprensa brasileira. O tratamento que recebem, apesar disso, é muito diferente.
    O CORINTHIANS é, tradicionalmente, discriminado pela maior parte da mídia. O fato pode ser explicado pelo preconceito que existia, décadas atrás, pelas raizes populares do clube. Embora os valores tenham mudado, o ranço da implicância com o Corinthians permanece. Por fatores mercadológicos, concede-se muito espaço para as notícias do Timão, mas a versão que é dada dos fatos muito vezes apresenta um viés anticorinthiano.
    O FLAMENGO é, historicamente, um queridinho da imprensa, desde os tempos românticos do rádio. Só o São Paulo (devido, em boa parte, ao agressivo trabalho de promoção que realiza junto aos membros da imprensa), recentemente, passou a rivalizar, nesse quesito, com o rubronegro. O oba-oba que prevalece na divulgação das notícias relacionadas ao Flamengo serve como combustível para a animação de sua imensa torcida. Porém, algumas vezes a dura realidade dos fatos contraria a versão festiva da imprensa, causando grandes decepções nos torcedores (como acaba de acontecer no caso da contratação do Ronaldo).

    5)
    O CORINTHIANS é o maior campeão estadual de São Paulo, com 25 títulos.
    É o maior ganhador do Torneio Rio-São Paulo, com 5 taças.
    Ganhou 2 Copas do Brasil.
    Possui 4 títulos do Brasileirão.
    Possui a honra eterna de haver sido o campeão do 1° Mundial de Clubes.
    .
    O FLAMENGO é o segundo maior campeão estadual do Rio de Janeiro, com 30 títulos.
    Possui 1 conquista do Torneio Rio-São Paulo.
    Ganhou 2 Copas do Brasil.
    Possui 4 títulos do Brasileirão.
    Foi campeão 1 vez da Libertadores.

    6)
    O CORINTHIANS é, praticamente, uma religião. Possui mais que torcedores, possui fiéis – para os quais as derrotas têm o significado de provação, tornando ainda mais consagradores os momentos das conquistas.
    O FLAMENGO é o Mais Querido. Seu imenso contigente de seguidores constitui-se, mais que de torcedores, de simpatizantes pela imagem quase sempre positiva que lhes chega do Mengão.

  4. Quem bom ter um novo post por aqui…

    Amir, pelos resultados obtidos pelo estudo, fica provado que os negócios no Brasil cresceram e parece que a tendência é aumentar com o passar dos anos.
    Porém, existe esse dado dos prejuízos constantes.
    O que há de errado? Ainda muito investimento visando somente a curto prazo?

    E uma coisa que ainda me intriga, que se atribui a esses deficits.
    A questão do social ainda consumir receitas adquiridas pelo futebol. E a sua constante geração de prejuízos pro clube num geral.
    No Palmeiras, a informação que tenho que o defict é de R$5 mi só no social.

    A solução, é a separação dos dois, com uma gestão mais específica para cada um?

    Perdoe-me por tantas questões… hauhauah

    Abraços

    Olá Ricardo,

    Peço desculpas aos leitores, é que estou com pouco tempo para me dedicar ao blog.

    Com relação às colocações, realmente o mercado brasileiro nos últimos anos apresentou um desenvolvimento em suas fontes de receitas. A perspectiva para 2008 é positiva e temos um gigantesco potencial para ser gerado entre 2009-2014.

    Por outro lado nesse período as despesas dos clubes se ampliaram, não apenas relacionadas ao futebol, mas também ao social, financeiras, administrativas, contingências, atualização de tributos,etc…

    Assim embora o faturamento cresça, principalmente com venda de jogadores, os custos de opearção dos clubes é a cada ano maior.

    Assim, nesses anos, esse desequilíbrio entre receitas e despesas dos clubes acarretou em grandes déficits e dívidas, que vão muito além do devido ao Governo.

    Com relação ao social sou a favor da separação, mas sei que é dificíl, em virtude da questão política que envolve a área.

    O social gera importantes receitas para muitos clubes, mas em geral fecha para muitos clubes grandes.

    Um abraço.

    Amir

  5. Grêmio avança no campo do Varejo
    17.12.2008
    Crescimento da GrêmioMania é destaque na Zero Hora

    Na última segunda-feira, 15/12, o Informe Econômico de Lurdete Ertel, na Zero Hora, destacou o avanço do Grêmio no campo do varejo em todo o Estado.

    Segundo a coluna, o clube arranca 2009 com mais quatro lojas da rede GrêmioMania, nas cidades de Uruguaiana, Itaqui, Cachoeira do Sul e Capão da Canoa.

    Desde 2005, quando o esquema tático da rede foi remontado pelo vice-presidente Cesar Pacheco, a receita de royalties do Tricolor Gaúcho ampliou em 5.000

    fonte:
    http://www.gremio.net/news/view.aspx?id=6824&language=0&news_type_id=1

    Olha o crescimento do marketing do Grêmio..

    Queria ver um levantamento individual dos clubes no ano de 2008 assim como foi feito em 2007..

    abraço

    Olá Matheus,

    Segundo os balanços do Grêmio as receitas com royalties de 2003 a 2007 cresceram pouco, em 2007 foi de R$ 756 mil.

    Em royalties gerados o Internacional está na frente.

    Um abraço.

    Amir

  6. obs:
    faltou os por cento de dos 5.000

    Arumando..
    5.000%

  7. Amir
    Devido a crise economica mundial que estamos passando com enormes cortes em despesas quais são as suas perspectivas de impacto na preparação do Brasil para sediar a Copa de 2014? será que corremos o risco de não conseguirmos montar toda a infra-estrutura?

    Um abraço

    Olá Roberto,

    A crise atual faz com que o projeto para a Copa de 2014 fique em compasso de espera.

    Se realmente a crise diminuir no segundo semestre de 2009, acredito que não tenhamos tantos problemas. Agora se prosseguir em 2010, 2011,… seguramente encarecerá os projetos atuais com os estádios.

    Um problema sério é que se houver desaquecimento da economia brasileira, o Governo arrecadará menos e em tese terá menos recursos para investir em infra-estrutura urbana, indispensável para que o evento gere um profundo legado para o país.

    Um abraço.

    Amir

  8. Fala grande amir, finalmente apareceu novamente.

    Bem sou viciado em estatisticas de futebol, tudo que tenha haver com patrocinios, contas de tv, resumindo tudo financeiramente falando sobre receitas e depesas.

    Espero que vc possa ter em breve mais tempo para nos informa mais sobre essas noticias!

    Grande abraços Flamenguista. =^D

    Olá Deyvid,

    Na medida do possível vou publicando novos posts.

    Um abraço.

    Amir

  9. Amir, parabéns e obrigado pela publicação, para nós pesquisadores do ramo será de enorme ajuda assim como tem sido os relatórios.

    Recomendarei a compra à Escola para que nos sriva de referência.

    Atenciosamente e abraços a todos,

    Robert

    Olá Robert,

    Um dos principais objetivos do report é disseminar as análises, projeções e informações em geral, para agregar vaçor para a Indústria do Futebol no Brasil.

    Um outro objetivo é entender como o mercado brasileiro de clubes se desenvolveu e qual o potencial para os próximos anos, considerando uma gestão antendada com modernas técnicas de marketing.

    Um abraço.

    Amir

  10. Olá, Amir.

    Na contramão do pensamento geral, tenho a impressão de que a atual crise financeira mundial possa ser benéfica para os clubes brasileiros de futebol.

    Como sabemos, uma das maiores fontes de despesas dos clubes é o salário dos jogadores, que tem sido inflamados pelo assédio dos clubes europeus aos nossos jogadores.

    Com a crise batendo na porta dos clubes europeus, as cifras dos salários astrnômicos devem se reduzir. Muitos patrocinadores já tomaram a decisão de reduzir o gasto com patrocínio. Outros simplesmente decidiram parar com a brincadeira.

    Essa redução, inevitavelmente vai desembarcar em terras brasileiras. Aquele argumento de que o jogador tem proposta do exterior vai se tornar cada vez mais vazio, dando maior poder de barganha para os clubes na hora de negociar contratos com os jogadores.

    Em resumo: A situação vai melhorar para os clubes, e piorar para os jogadores. O que você acha?

    Abraços.

    Olá Georgios,

    Isso realmente pode acontecer, facilitando a permanência dos jogadores, sem ter que pagar salários fora da nossa realidade.

    Por outro lado o desaquecimento dos recursos com as transferências e somado a falta de crédito e possível desaceleração dos recursos com patrocínio podem complicar muitos clubes.

    Para mim, a grande janela de oportunidade nessa crise é estabelecer relações mais estreitas com o torcedor, através de canais de comunicação e ofertas comerciais diferenciadas, o que pode atrair o interesse de muitas empresas, mesmo em crise.

    Mas esse público consumidor também pode ser afetado pela crise, aí a melhor solução é reduzir as despesas.

    Um abraço.

    Amir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: