Publicado por: Amir Somoggi | 6/agosto/2008

Déficit dos grandes clubes brasileiros superou R$ (300) milhões em 2007

Conforme publiquei em meu último post o mercado brasileiro de clubes de futebol cresceu muito em geração de receitas de 2006 para 2007 e os 21 clubes em maiores receitas do Brasil analisados pela empresa Casual Auditores Independentes atingiram o maior valor já registrado, com um total de receitas que superou R$ 1,3 bi.

 

Entretanto, mesmo com essa sensível melhora em suas receitas, os déficits do exercício dos clubes no mesmo período se ampliaram consideravelmente. Em 2007 os 21 clubes analisados apresentaram déficit do exercício de R$ (300,85) milhões, uma piora de 53% em relação a 2006. Apenas 6 clubes apresentaram superávits, que representam um valor de R$ 51,6 milhões, enquanto que os 15 clubes que apresentaram déficits do exercício representam um resultado negativo de R$ (352,5) milhões.

 

O principal motivo para essa piora nos resultados foi a ampliação de 39% nas despesas totais dos clubes, impulsionadas pela ampliação de 22% dos custos com o departamento de futebol, 27% de aumento das despesas com o clube social e esporte amador e 47% de incremento nas despesas financeiras. Além disso, houve uma ampliação nas contingências por conta de ajustes relacionados com a Timemania, que foram decisivos para que os clubes fechassem 2007 no vermelho, principalmente o Fluminense, que registrou mais de R$ (104) milhões em ajustes relacionados a essas contingências.

 

Os clubes que apresentaram os maiores superávits do exercício em 2007 foram o Internacional com R$ 18,9 milhões, Grêmio com R$ 14,7 milhões e Juventude com R$ 10,6 milhões. Os clubes que apresentaram os maiores déficits do exercício foram o Fluminense com R$ (139,5) milhões, Flamengo com R$ (59,2) milhões e Santos com R$ (36,6) milhões.

 

Os 21 clubes sem as receitas com transferências dos atletas apresentariam em 2007 um déficit consolidado de R$ (730,3) milhões, uma piora de  -81% em relação a 2006, provando que as transferências de seus melhores jogadores se tornaram essenciais para tentar buscar um equilíbrio financeiro em sua gestão.

 

 Maiores Déficits do Exercício sem Negociação de Atletas – 2007– Em R$ Mil

 

Fonte Casual Auditores Independentes

 

Um outro dado preocupante refere-se ao EBITDA dos clubes, que representa o superávit ou déficit das entidades antes de juros, impostos, depreciação e amortização e tem como principal objetivo mostrar o potencial de fluxo de caixa operacional das entidades. O EBITDA dos clubes analisados em 2007 pela primeira vez apresentou um valor negativo, conseqüência da ampliação das despesas das  entidades.

 

No último exercício o EBITDA consolidado dos clubes foi de R$ (14,9) milhões, uma piora de -144% em relação ao exercício anterior. Esse resultado foi conseqüência da piora do EBITDA de Fluminense, Flamengo, Santos, Vasco e Atlético-MG.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Responses

  1. A dependência dos clubes na negociação de atletas, é assustadora. Não precisa nem acompanhar muito os balanços para saber, só que analisando as demonstrações apresentadas, e o estudo da Casual (muito obrigado pelo envio) podemos ter a noção desta dependência. O único que apresentou superavit descontando a negociação de atletas, foi o Juventude, que por sinal foi um fracasso dentro das quatro linhas.

    Só com muito trabalho para conter isso. Os padrões salariais que tinham baixado no ínico da década, começaram a retomar padrões não condizentes com a nossa realidade, mas isso na tentativa de manter um pouco mais os jogadores aqui. Mas vendemos, e geralmente vendemos a troco pela necessidade.

    Vou tentar usar um exemplo para me expressar melhor:

    Estimei as principais receitas do Inter para 2009, com base no que eu conheço das políticas e das finanças, considerando uma troca de patrocínio já que o contrato atual termina entre dezembro e março de 2009.

    Em 2009 as cotas de tv serão de 24 milhões anuais, Receita do quadro social, 36 milhões, mais um patrocínio de 10 milhões, as principais receitas chegariam a 60 milhões. As demais receitas, todas dependem do resultado de campo em 2008, por exemplo, bilheteria e royalties, poderia estimar mas não me atrevo.

    O que significam esses 60 milhões para mim? Poder de barganha na negociação de outros contratos. Poder “trancar o pé” e não negociar jogador sem que seja paga a totalidade das multas recisórias, pois além de depender da negociação de atletas, vendemos muito mal esses jogadores. Daniel Carvalho quando se transferiu pro CSKA por exemplo, poderia ter rendido muito mais se ficasse mais 6 meses, e só saiu porque o clube precisava da venda do jogador lá em 2003 para pagar contas em 2004, sob risco de ficarmos sem crédito. Hoje a situação está um pouco diferente, mas ainda vemos muitos exemplos disso acontecendo.

    Abraços

    Olá Alcindo,

    Obrigado pelo comentário e pela análise, realmente você está certo essa realidade deve ser alterada para que nosso mercado não viva da venda dos atletas e principalmente desse desequilíbrio financeiro.

    Somente para complementar a sua análise o Inter apresentou em 2007 despesas sem considerar comissões sobre transações de atletas e participação de terceiros em atletas transacionados um valor de mais de R$ 97 milhões e considerando todos os valores pagos a terceiros uma despesa total de R$ 137 milhões.

    Realmente o clube deve buscar urgentemente novas receitas de marketing, exploração do Beira Rio e novos projetos de mídia, visto que suas despesas estão muito acima da geração de recursos operacionais da entidade.

    Um abraço.

    Amir

  2. Ano que vêm os prejuízos do Internacional serão ainda mais altos, visto que a folha salarial aumentou muito e ninguém saiu. Sem contar que vão precisar de $$$ para fazerem as obras do remendão.

    Dentre os 21 clubes analisados, se não me engano o Grêmio teve o maior EBITDA. Ou seja, enquanto o imortal encaminha o seu equilíbrio financeiro, a gestão Píffio está fazendo o contrário, jogando fora um trabalho de 10 anos, iniciado com o Fernando Miranda.

    Anotem o que eu estou dizendo. Se não mudar a política, em 3 anos o co-irmão vai estar mal das pernas.

    Já o Grêmio, com a construção da arena e dando continuidade ao trabalho que está sendo feito, certamente será um clube superavitário.

    Sei que muitos colorados vão criticar, os que não possuem argumentos vão dizer que o time é clube rico, que é clube grande, que tem dinheiro, blá blá blá..

    Só não se esqueçam que para comprar jogadores, o sci já está procurando investidores (mesmo com a venda de Fernandão, Iarley, Sidney).

    Saudações tricolores

    Olá Giuliano,

    Você está correto o Grêmio foi o clube brasilerio com maior EBITDA em 2007, com um valor R$ 6,9 milhões maior que o segundo colocado que foi o Internacional. O EBITDA do clube foi de R$ 44,3 milhões.

    Vale lembrar que essa evolução do Grêmio deve-se principalmente as receitas geradas com as transferências dos atletas e também pela melhora nas receitas com os sócios.

    O Grêmio vem mostrando um controle mais eficiente que o Inter nas despesas, mas também tem repassado recursos para terceiros referente a transação de atletas, que consumiu R$ 14,8 milhões de recursos do clube.

    Vale lembrar que parte das receitas futuras do clube servem para abater dívidas com o Condomínio de Credores, o que obriga a atual diretoria a investir pesado em novas fontes de receitas.

    Um abraço.

    Amir

  3. Essa questão das comissões e participação está evidenciada em nota explicativa, e deduzida da receita bruta, para a formação da receita líquida, o que na minha opinião seria o correto. Pelo que entendi e lembro da NBC T 10, ela não é tão específica quanto a esses critérios, apenas trata de se evidenciá-la. Mas como comentei em outra postagem, acho a análise pela receita líquida mais significativa, mas não prejudica a comparação com outras entidades que não utilizam a mesma metodologia, pois é só agregar à despesa, o valor da dedução. Saíria sim prejudicada a analise, se simplesmente registra-se pelo líquido.

    Abraços

    Prezado Alcindo,

    Confirmei essa sua colocação com um especialista em auditoria de clubes que me assegurou que as comissões e % na participação de direitos não devem ser registrados como dedução de receita bruta.

    Em nossa análise na Casual Auditores reclassificamos essa dado como custo do departamento de futebol, que seria a forma correta de ser apresentada.

    Um abraço.

    Amir

  4. Giuliano Vieceli

    Talvez tu esteja certo, mas tanto Inter como Grêmio estão utilizando algumas medidas aparentemente acertadas(refomulação/construção estádio, aumento do quadro social, entre outros, formação da equipe) de maneiras bem distintas, e ambas me parecem suícidas na questão de contratos com os jogadores(grêmio muitos empréstimos, Inter jogadores caros) na questão do estádio (Grêmio muito dependente de recursos externo, Inter muito dependente do capital próprio).

    A questão das parcerias com empresários para trazer jogador foi sempre utilizada na gestão Carvalho, e sempre foi necessário dividir os custos, os lucros e os riscos.

    Olá Alcindo,

    Sobre a questão referente aos atletas publiquei um post falando sobre assunto intitulado “Barriga de Aluguel”, que na minha opinião reflete a realidade atual dos grandes clubes brasileiros.

    Um abraço.

    Amir

  5. Obrigado Amir, verificarei o “Barriga de Aluguel”, e revisarei meus conceitos quanto a classificação da receita, devo ter interpretado errado a legislação, no que trata de registro da negociação pelo líquido da negociação.

    Olá Alcindo,

    O que o clube pode fazer é registrar as receitas como não operacionais e as despesas também com a mesma nomenclatura e registar na demonstração de resultado do exercício como: Resultado Não Operacional.

    Um abraço.

    Amir

  6. Amir,

    Os clubes brasileiros necessitam urgentemente passar por uma reformulação em sua gestão.
    Os homens que administram esses clubes não podem mais ficar de pires na mão (na percepção da palavra), dependendo da transferência de atletas, cotas antecipadas da TV e entidades, onde se regatam receitas antecipadas para que, na maioria das vezes serem utilizadas para pagamentos emergenciais e não para se efetuar ou executar ações de investimentos de médio a longo prazo.

    O Marketing (já citado por você), explorando o patrimônio maior de uma entidade, seu ‘NOME/MARCA’, fica mais do que evidente que seria há grande ferramenta para se gerar receitas (Caixa) e superátivs limpos.
    Ações de Marketing = receita (caixa) /superátivs a conseqüência > valor: ‘MARCA’.
    Muito ainda há por se fazer, e nada ou muito pouco, até o momento, se executa, para atenuar a sangria financeira por que passa os clubes brasileiros, na sua maioria.

    É nesse contexto que estarei nos próximos dias colocando na rede um blog/fórum para interagir com os internautas e conseqüente a isso visualizar opiniões idéias, onde com gestões e ações diferenciadas acredito que se pode sim, melhorar não só a situação financeira dos clubes, mais, por exemplo, manterem por um tempo maior os nossos craques em terras tupiniquins.

    Sempre que ótimos artistas participam de um espetáculo, o público prestigia em massa, por que se sabe que o espetáculo será de grande emoção e qualidade.

    Espero pela indicação deste conceituado blog.

    ATÉ QUANDO FICAREMOS NA TEORIA E QUANDO EXECUTAREMOS NA PRÁTICA?

    Grande Abraço!!!

    Olá Carlos,

    Assim que você lançar seu blog nos avise.

    Dê uma lida no meu post “Da teoria à prática” que analisei a realidade dos clubes europeus que exemplifica muito bem esse seu comentário.

    Um abraço.

    Amir

  7. Salve rapaziada do Futebol & Negócio, estou voltando a ativa depois de longas férias.

    O déficit financeiro dos clubes é projetado para dentro de campo também, não por coincidencia, a cada ano que passa as dívidas aumentam, e mal futebol apresentado pelos clubes também.

    Também não por coincidencia os clubes sulistas estão melhor representado neste cenário, sempre me pareceu que lá o pessoal tem mais nível e que o resto do times.

    O cenário é preocupante, mais alguns anos assim e a falência será a única saída para grande partes de clubes.

    Um abraço a todos!

    Sergio

    Olá Sérgio,

    Seje bem vindo de volta ao blog.

    Realmente estamos vivendo um momento bastante preocupante, já que a venda excessiva dos jogadores está transformando nosso futebol em uma exibição de segunda categoria. ( e somente estou falando de dentro das quatro linhas, que era ainda o nosso diferencial).

    A falência acredito que seja difícil, já que grande parte dos clubes tem estrutura jurídica de associãções, mas seguramente se nada for alterado o problema se aprofundará e os empresários e investidores de jogadores se tornarão ainda mais influentes em nosso mercado.

    Um abraço.

    Amir

  8. Baaah o Giuliano falou tudo!

    Não tem o que acrescentar..
    Em quanto o Grêmio se encaminha para liquidar suas dívidas, o inter(que tem bem menos dívidas) se encaminha para ganhar novas..Trazendo jogadores com altos salários para seu Centenada.

    Gostei muito do post, parabéns.

  9. Achei na Net:

    (deve ser algo bem aprecido)

    folhas salarias do principais times do Brasil

    Palmeiras 3,3 Milhões
    Internacional 3, 2 Milhões
    São paulo 3,1 Milhões
    Flamengo 3 Milhões
    Santos 2, 3 Milhões
    Cruzeiro e Fluminense 2 Milhões
    Botafogo, GMDM 1,5 Milhões
    Grêmio 1 Milhão
    Vitoria 650 Mil.

    O Internacional, mesmo com as contratações de peso – Andrés D’alessandro, Daniel Carvalho, Gustavo Nery – e jogadores caros – Nilmar, Alex, Guinazu – ainda gasta menos que o Palmeiras. Motivo: só cinco jogadores – Alex Mineiro, Marcos, Valdivia, Denílson e Diego Souza – somam mais de R$1 milhão na folha.

    No Santos, somente o 18º colocado, jogadores como Kleber e Fabio Costa, segundo o jornalista Milton Pazzi Jr, tentam viver com R$200 mil mensais cada. Já o atacante Kleber Pereira, R$ 240 mil. Finazzi, centroavante do São Caetano na Série B, recebe R$ 75 mil. E no no Fluminense, desde a primeira rodada na zona do rebaixamento, Washington custa entre R$ 200 e R$ 250 mil a cada 30 dias.

    Contudo, ninguém supera Vanderlei Luxemburgo. O vice-presidente do Palmeiras, Gilberto Cipullo, jamais revelou os números. Mas há quem diga que o salário chegue a R$ 500 mil, valor semelhante ao que ele recebia no Santos. Muricy Ramalho, técnico do rival São Paulo, ganha algo próximo dos R$250 mil.Estranho é ver o salário do gremista Victor, o melhor jogador do Campeonato Brasileiro segundo a revista Placar. O goleiro recebe R$15 mil mensais, um salário modesto para os padrões do futebol brasileiro.

    O Vitória é outro grande exemplo. Mesmo com uma folha mensal longe de ser milionária já esteve na zona da Libertadores e segue na briga pelas primeiras posições. O clube contratou o técnico Wagner Mancini e mesclou a experiência de Ramon (ex-Vasco), Ricardinho (ex-Cruzeiro) e Jackson (ex-Palmeiras) com a juventude de Marquinhos e Willians.

    A tabela do campeonato brasileiro mostra que nao precisa exagerar em grandes contratações com altos salários para disputar títulos, meu Grêmio nao perdeu para nem destes times esse ano. O Grêmio vem sendo assim desde que Paulo Odone assumiu a presidência do clube, em 2005, ja montamos uma equipe para ganhar a série B MUITO humilde (diferente do Corinthians, que ja deve ter gastado milhões em contratções, só se inspirou no nosso ex-treinador) sem estrelas, ganhamos. em 2006, matendo uma parte da base, e com reforços desconhecidos pelo Brasil, conquistamos o terceiro lugar do campeonato Brasileiro. em 2007, matendo boa parte da base e com mais alguns reforços(NENHUM de peso) conquistamos um vice campeonato da Libertadores da América derrubando times que tinham folhas salárias 3 vezes maiores que a nossa.E agora em 2008, refurmulamos a equipe estamos brigando pelo título sem gastar quase nada.

    Olá Matheus,

    Obrigado pelos dados.

    Realmente se o Grêmio for campeão com uma folha mensal de R$ 1 milhão será fantástico para o mercado brasileiro. Em 2007 segundo o balanço do clube a remuneração dos jogadores foi de R$ 1,7 milhão.(incluindo encargos sociais).

    Agora a pergunta é: será que o Grêmio manterá essa política austera para disputar a Libertadores de 2009?

    Um abraço.

    Amir

  10. Amir, primeiramente, obrigado pelo relatório completo do post passado.

    É aquela velha afirmação: enquanto os times não pararem de pensar que venda de jogador é a principal fonte de renda, eles não vão sair desse cenerário “vermelho”.

    Reparei que os gastos com departamento de futebol aumentaram, isso é muito perigoso, pois com essa inflação de salários sem nenhuma outra forma de geração de receita firme que cubra esses salários (o que não acontece), o risco de fechar no vermelho também inflaciona.

    Outra coisa é o aumento de despesas com o social.
    Aí te pergunto, o correto não seria a separação desse departamento social do futebol?
    Acredito eu que ficaria mais “simples” fazer projeções e planejamento de ambos, desafogando um pouco os gastos….

    Aí fica a mesma e já repetitiva pergunta: temos exemplos e teorias fortíssimas para melhorar as administrações. Mas quando elas serão postas em prática?

    Abraços

    Olá Ricardo,

    Os custos com o departamento de futebol não incluem as despesas com o social nem as despesas administrativas.

    Realmente os dados comprovam que os clubes vivem em um ciclo vicioso, já que o foco apenas no desempenho esportivo e na ampliação da folha vem obrigando as entidades a venderem seus jogadores para minimizarem seus déficits, quando é possível.

    Um abraço.

    Amir

  11. Caro Amir,

    Tenho comigo que, os que pleiteiam a enveredar para carreira de gestor na área esportiva (e me incluo), necessitariam de mais conteúdo em questão de eventos, WORKSHOPPINGS, discussões (troca de idéias/informações) com profissionais da área e demais… Seria um estágio de experiência, vivendo o ambiente esportivo no dia-dia.
    Conseqüente a isso, o desenvolvimento de trabalhos, no que tange as idéias, para melhora da administração dos clubes e entidades.
    O que se vê hoje é um grupo restrito, em grande parte, formado por ex-atletas, que após deixarem suas atividades, assumem um cargo, em clubes ou entidades, onde o mesmo não agrega uma formação para tal e sim pelo simples fato de ter vivido uma experiência profissional no âmbito, clube. Evidente que há as exceções.
    Acho esse fator importante um ex-atleta assumir um determinado cargo em um clube, mais não é tudo. O ex-atleta tem sim que passar por uma formação administrativa (de conhecimento em Gestão), para somar ao seu currículo um congênere esporte-administrativo.

    Com relação aos que não são ou foram atletas, também é evidente que, além de se prepararem para profissão, incluir-se ao seu currículo o convívio ou grande gama de informações que puder adquirir com clubes/entidades, atletas, ex-atletas…

    Acredito que não só apenas o fator conhecimento seja importante, às ferramentas para que sejam desenvolvidos esses conhecimentos adquiridos é um aspecto fundamental para uma mudança de mentalidade na administração, repito, de clubes e entidades.
    E hoje não às vejo ou tenho conhecimento. Evidente que possa ter, mais é poucas.

    Assim gostaria se me permite, deixar nesse espaço, a sugestão de se somar há informação (ões), sobre a radiografia da gestão de clubes e entidades e demais… Que a meu ver e de muitos, um trabalho riquíssimo feito por esse conceituado blog. Agrega-se (soma-se) a tal trabalho, informações sobre as ferramentas (na percepção da palavra) que podem ser utilizadas ou mesmo consultadas para melhor desenvolver projetos, que somem idéias e valores para uma melhor Gestão, não só no futebol mais para outras entidades que englobam o esporte.

    Um Abraço!!!

    Olá Carlos,

    Concordo com você que um dos males de nossa atual situação reside no fato que muitos ex-atletas estão à frente da gestão de importantes entidades, principalmente as Olímpicas.Não sou contra isso, apenas acredito que gestão/marketing/finanças/RH, etc, não se aprende em cursos de 6 meses de gestão esportiva.

    O modelo de gestão praticado pelo esporte brasileiro infelizmente é obsoleto e pouco criativo, além é claro de não utilizar de uma visão de longo prazo em sua administração.

    Certamente em futuros posts procuraremos abordar quais as ferramentas que podemos utilizar para mudarmos o panorama atual.

    Um abraço.

    Amir

  12. Amir,

    Agradeço!!! mais uma vez pela atenção e fico na expectativa não só da divulgação de ferramentas para que se possa efetuar mente, iniciar um planejamento (médio/longo prazo), de modernização nas administrações, hoje completamente a mercê da falta de criatividade, não só nos clubes do futebol brasileiros, soma-se também, entidades esportivas em geral.

    Um Abraço!!!

    Olá Carlos,

    Sempre que for possível farei posts abordando esse assunto.

    Aproveito para te indicar os posts Premissas Equivocada I e II que abordam um pouco a atuação dos players de nosso mercado.

    Um abraço.

    Amir

  13. Senhores,

    Parabens pelo excelente blog.
    Sobre o aumento de receitas dos clubes, pergunto: vocês já possuem uma análise comparativa dos modelos de negócio das duas arenas com projeto mais adiantado (Palmeiras e Grêmio, nesta ordem)?

    Olá Ronei,

    Fico feliz que você gostou do blog.

    Dê uma olhada nos posts passados, há tanto sobre a Arena do Grêmio como a do Palmeras.

    Um abraço.

    Amir

  14. Caro Amir,

    Mais uma vez volto à esse blog para perguntá-lo do que você achou de mais uma inauguração no Morumbi.
    O bar temático “Santo Paulo” no Estádio do Morumbi, o primeiro do Brasil, pode vir ainda a ser muito útil nas receitas do São Paulo?

    Lembrando que o São Paulo possui uma participação nos lucros de 10%. Abre de quarta à domingo, independentemente de jogo ou não, a partir do meio-dia.

    O Conceito do “Morumbi Concept Hall” tende a transformar todo o anel inferior do estádio em lojas, restaurantes, cafés, livrarias e até cinemas. Fora os camarotes, que renderam cerca de 3 milhões de reais aos cofres do Morumbi no ano passado, e serão ampliados.

    Você me disse no post anterior que a falha do São Paulo era investir somente no conforto dos seus profissionais e não investir na melhoria das condições pro torcedor, lembra? Acho que o tratamento do torcedor começa a melhorar no morumbi. Não só pelos empreendimentos feitos até agora, mas sim pela visão dos dirigentes. Eles mostram estar preocupados com o torcedor, mas trazer o torcedor ao estádio, do jeito que tem que ser feito, requer muita infra-estrutura.
    Tenho refletido sobre isso e não sei se valeria a pena investir tanto no conforto pro torcedor, arcando com possíveis dívidas, e não poder fazer isso em sua plenitude, já que não haveria dinheiro para a construção do estacionamento (tão desejado pela diretoria), para a construção da cobertura do estádio, e não haveria ainda os meios de transporte necessários para a comodidade do torcedor paulista (inexistência de metrô e mais linhas de ônibus – coisas que fogem da vontade do São Paulo)

    Essas reformas, terão que ser feitas com o tempo. Com ajuda de parceiros privados e com perfeição, para não dar passos para trás.
    Infelizmente o torcedor ainda irá sofrer um pouco nos estádios, mas acho que a diretoria do SP tem plena noção do que tem de ser feito.

    Gostaria de saber sua opinião.

    grande abraço!

    Olá Henrique,

    Acredito que esse lançamento do bar temático do SPFC é uma boa iniciativa, embora tenho certeza que com 10% de participação não ampliará muito as receitas do clube.

    O que me preocupa nesse projeto de revitalização do anel inferior é que fica cada dia mais difícil que o clube tome a atitude mais sensata em relação ao Morumbi, que seria implodi-lo e construir no lugar uma arena moderna e com amplo conforto para o torcedor.

    Iiniciativas como o bar temático devem ser parabenizadas, pela iniciativa em si, mas não creio que isso mudará radicalmente as dificuldades enfrentadas pelo torcedor que frequenta o Morumbi atualmente.

    Um abraço.

    Amir

  15. Muito obrigado pelas colocações Amir.

    O Blog está muito bom!
    Parabéns!

    Um abraço!

    Olá Henrique,

    Obrigado.

    Um abraço.

    Amir

  16. parabens amir pela excelente materia,concordo em genero,numero e grau,perfeito.
    eu particularmente sou um apaixonado pela associação portuguesa de desportos,uma cidade extramamente potencial de copa do mundo sem duvida,por sua infinitas qualidades,por seu imenso espaço,localização previlegiada,imaginamos o projeto começando do zero o que não poderiamos construir dentro dessa nova cidade caninde???um projeto ambicioso não geraria capital independentemente do futebol para o eterno futuro da agremiação???imagino uma cidade dos sonhos caninde começada do zero com um complexo no sub solo com estacionamentos,um super clube dentro de um predio,como exemplo o sesc pinheiros,interligado juntamente com uma super arena,quanto maior melhor,mais capital entra,meu exemplo perfeito seria a arena do benfica,interligando com um shoping center e no ultimo andar uma universidade,o shoping serviria de sustenção para tudo o que existiria na cidade dos sonhos caninde,assim concentrando mais capital,nesse shoping em cima poderia ter um heliponto,atras desse shoping uma mini casa de show,um anfiteatro,ao fundo da arena o predio de estacionamentos com a interligação dos estacionamentos do sub solo e tudo isso interligado,mauricio não seria um excelente investimento,um futuro eterno ao clube,instituição portuguesa,um bem para a cidade de são paulo,brasil.como o futebol brasileiro pode ter estruturas tão precarias???será que conseguiremos realizar a copa com dignidade???e depois que a copa passar o que vai ser das agremiações no futuro,pricipalmente daquelas que não se modernizarem,estruturarem e digo radicalmente,não somente construindo uma simples arena,o que vai ser do futuro dessas agremiações,instituições???não sei como anda o mercado dos investidores,parcerias,mas lendo uma materia a qual diz que os investidores vem com cerca de 1bilhão de euros para investirem nos potenciais clubes brasileiros para serem a sede da copa do mundo,mais cade???se escuta que vai sair ali,aqui,mas não sei não,eu apostava com toda certeza atualmente nesse novo projeto do palmeiras e parece que os embrolios,burocracias já começaram a surgir e já estou com o pé atras,e muitas outras no passado,até a propria portuguesa,botafogo,ambas a luso arenas,o do corinthians então nem se fala,será que as parcerias,os investidores estão realmente dispostos em investir em projetos como esse???porque se for para apostar em somente arenas,podem apostar que vai virar investimento jogado fora,vão virar verdadeiros elefantes brancos,se não tiverem,giro de capital diario,assim como gira um grande capital no sesc pinheiros,shoping center e etc,penso assim não sei se estou certo,mas cabe ao profissional mauricio,que deveria ser aplicado em todos os cargos de clubes,todos deveriam ter formação,curriculo,competencia,profissionalismo,todos os cargos deveriam existir um presidente de marketing,um vice eleito pelo proprio presidente do marketing e assim vale a todas as demais funções,infelizmente isso não acontece na grande maioria das instituições,vivem ainda na era pré historica,por isso não evoluem,não se modernizam,muitos por vaidades,orgulho e amor as carteirinhas.

    Olá Paulo,

    A Copa do Mundo ainda está em um estágio embrionário, acredito que até o final do ano saberemos quais serão as cidades-sede e assim os contemplados poderão estruturar seus projetos.

    Você está certo quanto ãos assunto Copa do Mundo, pois se todos fiarem focados apena sna construção de novos estádios, seguramente teremos vários elefantes brancos pelo Brasil, vide o Engenhão.

    Quanto ao seu projeto o ideal é apresentar diretamente para a Portuguesa.

    Um abraço.

    Amir

  17. em separado como podemos achar a divida detalhada da associação portuguesa de desportos.
    em relação a minha cidade dos sonhos cidade caninde tenho até um rabisco primario,que os profissionais o chamam de desenho em forma de massa,poderia lhe enviar para que pudesse dar uma opinião???esquecendo no projeto a cima ainda na cidade caninde caberia um hotel 5 e um hotel para as categorias de base,esse não seria o futuro para todos amir???obrigado pela atenção

    Olá Paulo,

    Infelizmente não tive acesso ao balanço da Portuguesa, mas pelo que sei as dívidas do clube são altíssimas.

    Um abraço.

    Amir

  18. implodir o morumbi, e vc acha que o tricolor teria condições de construir outro estadio? se ficar 15 anos sem ganhar nenhum titulo, como foi na epoca pra construir o morumbi, prefiro ir ao morumbi do jeito que esta.
    seu blog é show de bola, diferenciado, pq vc nao comenta só jogos vc fala da vida do clube, e isso é muito bacana. abs!

    Olá Juliao,

    Atualmente o SPFC teria que estruturar um projeto absolutamente novo para que isso ocorresse. Caso clube queira tema condições de fazê-lo, há várias alternativas no mercado.

    Quanto a sua dúvida, o clube poderia manter um time competitivo e investir no estádio, já que mantém um investimento pesado com seus CT´s e mesmo assim tem uma evolução a cada ano nos gastos com o futebol profissional.

    O nosso blog tem como objetivo analisar os negócios do futebol e esporte em geral e não temos como intenção discutir assuntos do dia-dia do clube, para isso há muitos sites e blogs esportivos.

    Um abraço.

    Amir

  19. Olá Amir!
    Acho sempre interessante suas postagens.
    Mas tenho uma dúvida neste trecho …que ajustes são esses da timemania e pq ele ocorreu ?
    Atualmente como vai este processo de quitação de dívida …melhorou?

    abraços
    Eliana

    Olá Eliana,

    Os ajustes por conta da Timemania são valores que não estavam registrados nos balanços dos clubes e para que as entidades pudessem aderir à Loteria tiveram que ser contingenciados. O maior deles foi apresentado pelo Fluminense. Outros clubes que tiveram que registrar esses valores foram SPFC, Palmeiras e Flamengo.

    A arrecadação da Timemania está bem abaixo das estimativas iniciais da Caixa Econômica Federal e se no ano que vem a arrecadação se mantiver nesse ritmo, a partir de 2009 muitos clubes terão que complementar com recursos próprios os valores das parcelas mensais devidas.

    Não tenho dados atuais sobre os déficits dos clubes em 2008, mas pelos dados de 2007 o que se pode concluir é que a Timemania até o momento ampliou os déficits dos clubes.

    Um abraço.

    Amir

  20. Nao sei se tu ja viu, mas ta passando uma serie de reportagens sobre a situaçao financeira dos grandes clubes do brasil na ESPN. Aqui esta o link para ver a primeira reportagem da serie:

    http://espnbrasil.terra.com.br/oburaconegrodofutebol/noticia/6534_CLUBES+EMPOBRECERAM+24+DE+2006+PARA+2007

    Nao sabia q o inter devia tanto.. e nao gostei da reportagem sobre o Gremio pois eles nao falaram nada sobre a arena, q vai ser uma grande fonte de renda e tambem acham q vai terminar o ano no vermelho (argh!) pq ainda nao conseguiu vender nenhum jogador.

    Metade do time do gremio eh formado por jogadores jovens e da base, e quase todos ja receberam propostas (isso sem falar no Douglas Costa q ainda nem estreiou mas ja eh “perseguido” por olheiros de clubes europeus). Isso tambem eh fruto do planejamento pois vem investindo pesado nas categorias de base.

    Alem disso tem a Libertadores do ano q vem (e o provavel aumento do quadro social) e o termino dos contratos de patrocinio, cujos valores o Gremio ja diz q vai tentar quadruplicar. Talvez o maior erro da direçao esse ano tenha sido perder o Roger de graça pro Catar, nos poderiamos ter lucrado no minimo uns 5 milhoes com ele…

    Olá Borracho,

    Estou acompanhando as reportagens, talvez um dos equívocos é que optaram por um acadêmico para fazer as análises das contas dos clubes, que não acompanha de perto o dia dia dos clubes.

    Obrigado pelo link.

    Um abraço.

    Amir

  21. Olá,

    Estou iniciando mestrado e pretendo trabalhar na linha de pesquisa de indicadores de desempenho aplicados em clubes de futebol. Gostaria de saber se vc tem algum material de leitura para me indicar no desenvolvimento deste estudo.

    Abraços,
    Everaldo

    Olá Everaldo,

    Entrarei em contato com você por email.

    Um abraço.

    Amir

  22. Olá Amir. Gostei muito do seu Blog. Bem, quase 2 anos depois das opiniões e respostas acima, gostaria de saber como anda atualmente – agosto 2010 – as finanças do meu querido Botafogo – RJ. O clube deve muito? Está aproveitando o Engenhão para arrecadar mais receitas? O Botafogo – RJ tem potencial para ser um clube rico em um futuro próximo ou isto é sonhar demais? E quanto as cotas de TV, quanto cada clube recebe atualmente? Grande abraço!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: