Publicado por: Maurício Bardella | 30/junho/2008

Eurocopa dá audiência à Record

A Rede Record não tem motivos para se queixar do investimento feito na compra dos direitos de transmissão da Euro 2008.

No último domingo a emissora conseguiu obter a liderança de audiência na Grande São Paulo durante o horário de transmissão da final entre Espanha e Alemanha. Praticamente no mesmo horário a Globo transmitia a partida entre Cruzeiro e São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro.

A Record teve uma média de 16 pontos de audiência contra 13 da Globo, sendo que cada ponto de audiência equivale a cerca de 55,5 mil domicílios sintonizados. Em alguns momentos a record chegou a ter 20 pontos de audiência contra 10 da Globo!

 

Disputa entre Espanha e Alemanha fez a alegria da Rede Record

Já na partida semi-final entre Espanha e Rússia, disputada na quinta-feira (26/06), a Record conseguira um excelente índice de 13 pontos, contra 12 da Globo. Entretanto a vitória de domingo, se assim a podemos chamar, tem um significado especial por se tratarem de transmissões simultâneas de futebol.

Naturalmente que se pode argumentar que o nível de interesse despertado por uma competição como a Eurocopa, especialmente numa final, é maior que o de uma partida do campeonato Brasileiro, ainda em suas rodadas iniciais. De qualquer maneira, creio que o resultado deve ter preocupado executivos da emissora carioca e talvez chegue a demonstrar que o produto transmitido pela Globo não é assim tão “invencível”.

Por outro lado, alguns aspectos agregados ao produto (portanto não relacionados à qualidade do futebol disputado em campo) podem ter influenciado, e talvez nesse ponto haja ainda mais espaço para reflexão. A qualidade das imagens transmitidas no evento europeu realmente chegava a impressionar, com super slow-motions e detalhes muito ricos das expressões dos jogadores, das jogadas, das faltas e dos torcedores. Isso sem contar, é claro, com a excelência do produto, traduzida na beleza do cenário, nas arquibancadas lotadas e na organização impecável.  Já na transmissão do campeonato Brasileiro via-se o mesmo e conhecido padrão de qualidade, que por melhor que seja é em minha opinião inferior ao show de imagens da competição européia.

A superioridade técnica da Rede Globo, que outrora foi inquestionável, talvez já não seja mais tão clara em muitos aspectos, mesmo quando comparada à transmissão de partidas locais por outras emissoras do Brasil, como Record, Rede TV e Band. Uma das críticas que tenho ouvido, por exemplo, é quanto à narração em estúdio das partidas, que para o espectador mais atento empobrece a transmissão.

Há ainda uma outra questão que não é exatamente nova, mas que pode vir a afetar os índices de audiência (se já não estiver tendo conseqüências); falo da falta de empatia que a Globo alimenta com parte considerável do público, o que não parece preocupá-la. Na semana passada essa impopularidade foi reforçada com a transmissão da partida entre Bragantino e Corinthians para o Estado de São Paulo, em detrimento da transmissão de LDU e Fluminense. A emissora exerceu seu poder para alterar a tabela da Série B com a antecipação da partida do clube do Parque São Jorge, e trouxe grande descontentamento para os torcedores de todos os times que não o Corinthians (e mesmo esses talvez gostassem de assistir à final da Libertadores)! Afinal, por mais que se busquem índices superiores e imediatos de audiência, talvez haja resultados e longo prazo que a emissora ainda não percebeu, ou prefere ignorar.

Enfim, mesmo que sejam diferentes os conteúdos exibidos por Globo e Record nesse domingo, acho que o ocorrido deve merecer alguma reflexão, o que inclui avaliar se realmente é benéfico para o negócio futebol a quase exclusividade da emissora do Rio de Janeiro na compra dos direitos de transmissão das competições nacionais.

Anúncios

Responses

  1. Maurício, só tenho um palavra para resumir essa Euro:

    “Espetacular”

    Eu também fiquei impressionado pela qualidade das transmissões, a profusão de ângulos com direito até de uma câmera aranha complementa o espetáculo . Infelizmente não pude ir pessoalmente ao evento por motivos de saúde, uns amigos espanhóis me convidaram para ver sua seleção ser campeã(eles estavam certos).
    Fica aí um exemplo há ser seguido pelos lados sul-americanos, gostaria também destacar a qualidade do site oficial da UEFA, muito informativo e com conteúdo completo em português, lusitano, mais em português.
    Já o site da CONMEBOL…. prefiro não comentar!

    Ricardo, você tocou em um ponto interessante. A pobreza que vemos nos cenários do futebol brasileiro (estádios antigos, gramados medianos ou ruins e pouco público) não é pior do que o cenário visto, por exemplo, nos jogos da Libertadores -e aí entra sua observação sobre a Conmebol. Sempre muito longe do padrão europeu.

    As transmissões de Tv brasileiras, no entanto, ainda são muito superiores às feitas em países como Uruguai, Bolívia, Paraguai e mesmo Argentina.

    Um abraço,

    Mauricio

  2. Mauricio, tem como você dizer como é a repercursão do Campeonato Brasileiro no exterior? Eu tenho a sensação que as partidas do Brasileirão são transmitidas, apenas, pela Globo Internacional.

    Se os direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro estivessem em outras mãos, será que seria diferente?

    O direito de transmissão deveria ser mais aberto, para outros paises. Isso fortalece o campeonato e pode trazer investidores interessados em patrocinar o campeonato.

    Gabriel, sei que a Globo mantém estrutura voltada para a comercialização dos jogos do futebol brasileiro para o exterior. Devemos reconhecer que há algumas dificuldades, incluindo o fuso horário – um jogo noturno no Brasil acontece já na madrugada européia, ou pela manhã no mercado asiático.

    O Clube dos Treze já manifestou intenção de reformular a estrutura da comercialização internacional do futebol brasileiro, descontente com os resultados atuais, mas o fato é que não se chegou ainda a nenhuma solução, pelo que sei.

    Um abraço,

    Mauricio

  3. Bom dia!

    Eu morei na espanha, e nem sequer se fala do futebol doméstico do Brasil. Quando se fala em futebol brasileiro só se diz a seleção.

    E realmente, nosso futebol é muito pobre, não tem grandes estrelas, os times não jogam bonito, muitas faltas e etc, que empobrecem o espetáculo.

    De minha opinião, 50% poderia ser melhorado com bons arbitros, que proibissem a violencia, e que não apitassem faltas inexistentes.

    É, Thiago, o futebol brasileiro (no que se refere ao futebol doméstico) é um produto com vários problemas, inclusive na comercialização. Mas há pontos positivos que poderiam talvez ser melhor explorados, como o conceito de que aqui existe um celeiro de bons jogadores e a cada campeonato novos atletas se revelam e são transferidos para o exterior. Há também clubes de grande tradição – inclusive internacional – e médias de gols relativamente altas, além do fato que que quase nunca se pode prever com exatidão quem será o campeão, o que não acontece em muitos dos campeonatos da uropa. Concordo que o cenário o futebol brasileiro é muito pobre, com estádios antigos e quase sempre vazios.

    Há muito por se fazer, e parte desse trabalho talvez caiba a quem compra e explora os direitos de transmissão.

    Um abraço,

    Mauricio

  4. Baaah, nesse post tu falou tudo!

    Sinceramente, eu odeio a Rede Globo, pela sua manipulaçao de praticamente Tudo.

    As imagens da Euro dao vontade de ver o jogo, a narraçao tem enfase para os dois lados(diferentimente de como a gente ve por ai).

    Uma coisa que me irrita muito é na globo e na Band quando eles falam o que nao sabem dos times que nao estão no seu estado, falam muita besteira e inventam coisas nao sei da onde…

    “falo da falta de empatia que a Globo alimenta com parte considerável do público.”
    Aqui em Porto Alegre,no Olímpico, a globo é chingada quase todos os jogos, e quando o Galvão Bueno vem narrar, ele também é chingado.
    (poem no youtube: hey galvao vtnc)

    abraços e parabéns pelos 100 mil hits!

    Matheus, obrigado pelo comentário e pelos parabéns. Acho que o que o torcedor gaúcho sente se aproxima do que sentiam os paulistas em anos passados, quando a Globo era uma emissora com foco quase que exclusivamente no Rio de Janeiro – hoje não é mais assim, já que o núcleo paulista da emissora é bastante forte e o jornalismo esportivo é, na minha visão de espectador, customizado para os paulistas.

    Acho que precisamos de mudanças e a Globo, como empresa líder, deveria estar mais atenta a isso.

    Um abraço,

    Mauricio

  5. Meu caro. Sinceramente não consigo ver nenhuma aproximação, em termos de qualidade, de uma outra emissora à Globo. Acho até que isto seria bom. Mas, a emissora carioca está ainda a anos luz das outras. Tive oportunidade de assistir alguma pequenas passagens da eurocopa na Record. O que é aquilo???…. Narradores aos gritos até em laterais, ruins demais. Quanto a condição técnica de imagem, esta sim boa, até porque era da geradora europeia. Falar em Rede TV, é brincadeira: transmissões sem nenhuma qualidade, sobre todos os aspectos. O que se salva é apenas o bom Luiz Alfredo. Quanto ao fato da Globo antecipar o jogo do CORINTHIANS para quarta-feira, a resposta foi rápida. No domingo, a somatória de eurocopa + “são paulo” x cruzeiro, nas duas concorrentes (Globo e Record) foi exatamente a mesma audiência do jogo da segundona entre CORINTHIANS x “bragantino”. Isto não é audiência momentânea, é a normalidade da lógica. e mais, o torcedor não é simpático ou antipático aquela ou aquela outra rede de TV. Ele é oportunista. Ele vê aquela que lhe mostra exatamente o que quer ver. Abraços.

    José Donizete, obrigado por mostrar um outro ponto de vista. Eu discordo de você, mas isso faz parte de nosso jogo democrático.

    Eu também não gosto de narradores exagerados como vemos, por exemplo, na Record, mas me incomoda (e não apenas a mim, eu creio) a falta de empolgação que faz a transmissão ficar plastificada em muitos jogos que a Globo apresenta – faço aqui uma ressalva para o ótimo Luis Roberto.

    Realmente acho que a diferença de qualidade, especialmente em imagens, é muito menor hoje que em outros tempos, assim como a penetração do sinal no território nacional. E que a antipatia gerada pela Globo em alguns casos é um risco de longo prazo. Mas o ponto principal, na minha opinião, é analisar se realmente é bom que o futebol brasileiro seja monopolizado por uma emissora.

    Um abraço,

    Mauricio

  6. Tem outro aspecto também: o monopólio acomodou a Globo. Eles entregam um produto qualquer porque sabem que o telespectador não tem opção.

    Quem é assinante do Pay Per Wiew sabe o que eu estou falando. Chega a dar raiva.

    Concordo com o articulista que diz que o jornalismo esportivo da Globo – e Sportv – está customizado para São Paulo. O resto do país que se dane.

    A meu ver, isto ocorre porque os anunciantes estão lá. Subordina-se o jornalístico ao comercial.

  7. Em relação a empolgação excessiva do narrador da Record, acho que até nos defeitos da Record a Globo tem culpa. E o tal do “padrão”. Ninguém gosta do Galvão, mas parece que alguém na Record acha que narrador tem que ter o mesmo estilo. Então o cara adotou um estilo “haja coração” do Galvão e o elevou a enésima potência, parecendo narração de rádio. Em relação a comentaristas, é evidente que a Record não tem equipe de transmissão, e colocaram qualquer um(a) só pro narrador não ficar sozinho.

  8. Espero que a Globo tenha revisto algumas de suas posições em relação a transmissão esportiva.
    Parabéns a Record que fez excelente transmissão da Eurocopa, respeitando o telespectador coisa que a Globo quando tem os direitos não faz. A Globo faz monopolio, adquirindo os direitos de transmissão e priorizando a SPORTV.
    A Globo transmite a Liga Mundial de Volei, Grand Prix mas não transmite…. e olha que o brasileiro adora volei.
    Seria interessante a Record abrir sua programação da tarde e madrugada para trasmitir o volei também.
    Por que não transmitir também basquete? Jogos dos Pré Olímpico que também a globo passou na Sportv….
    Que a Record continue crescendo e aumentando sua cobertura esportiva…. OLímpicadas de Londres 2012 já é um exemplo

  9. Para se ter uma idéia, hoje a Globo mostrou em rede Nacional o treino do FLu antes da final da Libertadores, foram quase 2 mil torcedores..

    Sábado, antes do GREnal foram mais de 7mil gremistas ao Olímpico apoiar o time antes do Clássico.

    a Globo mostrou? NÃO.

  10. O grande problema para mim é a falta de qualidade da transmissão de TVs “alternativas” à Globo.

    Moro no interior do Rio Grande do Sul, cidade de Rio Grande, com 200 mil habitantes e a imagem da Record é deprimente, tive que assistir aos jogos da Eurocopa com a imagem cheia de vultos.

    A BandRS a um mês atraz trocou as antenas e a imagem chega tão boa quanto a Globo. A partir dessa data passei a ver programas esportivos e jornalisticos que são voltados para o público daqui, como a Globo faz em SP, contando com uma cobertura muito bem feita dos bastidores do futebol do estado.

    Então, mesmo que não tenhamos efeitos 3D e “super” tira-teimas, o mais importante é o conteudo, as pessoas, e se essas emissoras continuarem investindo nisso terão muito sucesso.

    Muitas pessoas estão vendo o campeonato Argentino e Uruguaio pela Justin.tv … não deve ser tão caro o direito de transmissão, talvez fosse um ótimo investimo para essas emissoras emergentes.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: