Publicado por: Maurício Bardella | 17/junho/2008

Projeto da arena do Figueirense: um bom começo

O Figueirense possui um projeto de uma nova arena que começa muito bem. Nem tanto pelo andamento das negociações e obras propriamente ditas, mas pelos conceitos que norteiam o empreendimento orçado em R$ 400 milhões.

Inicialmente, a direção do clube avisa que a construção da arena que substituirá o estádio Orlando Scarpelli não está vinculada à escolha do estádio como uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, por mais que esse seja um importante fator de atratividade para os investidores e de motivação para o clube e seus torcedores. As obras devem ser iniciadas em 2010, com previsão de conclusão em três anos.

A escolha das dez ou doze cidades-sede do mundial deve ocorrer apenas no início do ano que vem. Mas considerando a independência da construção da arena em relação à escolha de Florianópolis como uma das sedes, o Figueirense já vem mantendo contatos com duas empresas privadas de São Paulo: uma delas se encarrega da captação de recursos e investidores para o projeto, enquanto a outra prepara um desenho de negócio que torne viável financeira e comercialmente a execução do empreendimento.

Do valor total do orçamento, R$ 150 milhões devem ser investidos na estrutura do estádio, e o restante na construção de toda a estrutura adjacente que permitirá a implementação de negócios complementares e proporcionará um grande aumento nos serviços oferecidos aos torcedores-clientes, com os aumentos de receita correspondentes para o clube e para os investidores.

Muito importante: não está previsto qualquer investimento público no empreendimento; todo o financiamento das obras ficará a cargo de investidores privados, que obterão seu retorno explorando os diversos negócios que a nova arena disponibilizará para o público.

A estrutura da nova arena será composta, segundo o projeto inicial, de elementos como:

◦ 40.000 lugares para os torcedores, sendo quase 15.000 desses assentos em áreas VIP
◦ 50 camarotes
◦ Shopping center com mais de cem lojas e praça de alimentação
◦ Dois centros de convenções
◦ Estacionamento com 1000 vagas dentro do complexo, e outro estacionamento com 1500 vagas na torre anexa, que terá mais um centro comercial
◦ Cinemas

Uma nova arena precisa ter seu potencial de mercado devidamente estudado e analisado para que se possa comprovar a viabilidade do negócio, além de definir diversos parâmetros que podem orientar o projeto em diferentes fatores que vão do número de assentos para os espectadores à estruturação dos negócios complementares que comporão o caráter multifuncional do empreendimento, como shopping centers, restaurantes, cinemas e assim por diante.

No quesito “potencial de negócios” a capital catarinense apresenta dados interessantes, que a princípio configuram aspectos positivos para o estabelecimento de uma arena multifuncional, como se pode ver abaixo:

– Habitantes: 396.723 (IBGE – 2007)

– PIB per capita: R$ 15.576,00 (IBGE – 2005)

– IDH: 0,875 (elevado)

O IDH – Ìndice de Desenvolvimento Humano – do estado de Santa Catarina em 2007 era de 0,882, o segundo mais alto dentre os estados brasileiros, sendo superado apenas pelo Distrito Federal. Este índice é resultado de uma combinação de vários fatores, dentre os quais se destacam riqueza, alfabetização, educação e esperança média de vida (longevidade), variando entre 0 e 1, sendo este último o índice que reflete o total desenvolvimento humano.

Florianópolis tem como alicerces de sua economia as atividades do comércio, prestação de serviços públicos, indústria de transformação e turismo. Especialmente por seu potencial turístico, pode ser uma boa aposta para se classificar como uma das sedes da Copa 2014.

Portanto três dos fatores mais importantes, em minha opinião, já estão presentes no projeto divulgado pelo Figueirense: o não emprego de dinheiro público (que deve levar a um correto e cuidadoso projeto de viabilidade do negócio para que gere retorno aos investidores), os positivos índices econômico-sociais da cidade, e por fim a não dependência da escolha de Florianópolis como sede da Copa 2014, já que este é um fator de muito orgulho para dirigentes e torcedores, mas que não necessariamente garante a viabilidade do negócio, especialmente após a realização do evento.


Responses

  1. Não é de hoje que o Figueirense vem se mostrando um clube com uma gestão um pouco mais séria e responsável do que dos demais clubes.

    Figueirente e Atlético-PR – mesmo com todos os problemas que o segundo tem por conta de seu presidente – estão um passo a frente do resto dos clubes do país. Até mesmo daqueles chamados clube empresa.

    Não se lucra em futebol apenas com os jogos mais e o Figueirense parece ter aprendido isso.

    Quem dera todos os clubes tivessem esse pensamento.

    Mais do que seriedade e responsabilidade, acho que a palavra visão se adequa melhor à estratégia gerencial do Figueirense. Penso que há outros clubes que, em maior ou menor grau, estão tentando também profissionalizar sua gestão e buscar alternativas para melhorar suas receitas e se tornarem sustentáveis.

    Um abraço,

    Mauricio

  2. Olá Maurício,

    Belo post!

    Somente temos que lembrar que embora o Figueira seja um exemplo de gestão a ser seguido pelos clubes maiores do Brasil, sua geração de receitas atual não comporta um investimento dessa magnitude.

    As receitas do clube sem considerar os atletas não atingem R$ 14 milhões atualmente.

    Um abraço.

    Amir

    Olá, Amir. Você tem razão, e eu diria ainda que nenhum clube brasileiro tenha receitas compatíveis com um investimento desse porte. Daí ser fundamental buscar investidores que financiem os projetos, oferecendo contrapartidas nos resultados e negociando para projetar as melhores receitas futuras para o clube.

    Um abraço,

    Mauricio

  3. Anunciaram nos jornais recentemente sobre a arena do Palmeiras que parece que vai sair do papel mesmo.

    Quando voce tiver algumas infos sobre a parceria poe aí pra nós!!

    valeu.

    Certamente, Marcelo. Esse é um projeto muito interessante. Abraço,

    Mauricio

  4. Ótimo. Espero que a Copa de 2014 seja organizada de forma eficiente e às claras. Essa Arena trará muitos benefícios à cidade, ao Figueirense e, principalmente, ao torcedor brasileiro que carece de respeito nos palcos de futebol.

    Todos nós torcemos para que essa e outras Arenas sejam concluídas e que não virem “elefantes brancos” após o Mundial. Podendo ser usadas e que sejam rentáveis para aqueles que investiram nos dias de jogos e nos demais.

    Ficamos felizes com essa – e que possamos dizer no fim do evento: excelência administrativa – gestão. E que seja feita nos demais clubes.

    Abraços

    * Eu conheço um site que possui informações quentes da Arena do Palmeiras que será construída junto a WTorre e financiada, também, por duas grandes empresas. Mas prefiro esperar a aprovação do Conselho, no dia 30/06. Assim que aprovada prometo passá-las. Enviei recentemente emails a vocês, mas não obtive respostas.

    Obrigado, Ricardo, essas informações serão muito importantes. Temos tido alguns problemas na checagem de nosso e-mail, desculpe pela falta de retorno.

    Mauricio

  5. Sobre a Arena Palestra Itália, teremos no dia 28/6 uma apresentação formal do projeto será feita para os Conselheiros, sócios remidos e convidados. Eu tenho informações sobre o modelo de negócio e o projeto, mas prefiro esperar esta apresentação para passá-las. Se precisarem, dia 28 mesmo as passo.

    OK, Vagner, agradeceremos caso você possa nos fornecer informações. E realmente espero que o conselho aprove o projeto.

    Li outro dia em nota na coluna Painel FC da Folha que em uma reunião do conselho palmeirense várias pessoas ficaram espantadas com o questionamento de um conselheiro que demonstrava preocupação quanto so destino de uma quadra de squach, que seria desalojada com as obras de remodelação do estádio. Tomara que os questionamentos, caso existam, sejam mais amplos e profundos e que o projeto realmente siga em frente.

    Um abraço,

    Mauricio

  6. O que me agradou muito nesta aposta do Figueirense é exatamente o fato de fugir do estigma “elefante branco”. O projeto é muito inteligente e, de certa forma, me lembrou um dos últimos posts, que falava sobre os estádios da Euro. Eles foram reformados com os pés no chão, compatível com o tamanhos dos países, bem diferente dos estádios que estão sendo construídos na Africa do Sul e os que foram construídos na Coréia e Japão.

    O projeto do Figueira é até parecido com a Arena Palestra. Muitos camarotes, de 40 a 45mil lugares e estacionamento. A única diferença é que o Figueira irá construir (se sair do papel) um Shopping Center, coisa que já existe ao lado do Palestra – o Shopping Bourbon.

    Será muito bom para o país do futebol contar com três estádios modernos (Figueira, Palestra e Arena do Atlético PR) e não apenas reformado, para a Copa do Mundo.

    Diogo, eu espero que o país conte, em um prazo relativamente curto, com vários estádios modernos e novos. Há projetos em Porto Alegre, Recife, Campinas e Belo Horizonte, para citar alguns exemplos.
    Como você mencionou, é um passo muito importante definir o tamanho-ótimo do estádio, sem sonhos megalomaníacos, pois isso tem grande influência nos custos previstos e no tempo de retorno do investimento.

    Mauricio

  7. Olá pessoal.

    está certo que devemos contruir arenas multi-uso etc, e tal.

    Mas sempre que falamos nisso copiamos o modelo que deu certo na europa, mas será mesmoq ue isso daria certo no Brasil? E isso não pode ser melhorado?

    Por exemplo, se vão investir toda essa fortuna, porque nao tentam melhorar ao invés de somente copiar?
    Shoppings, estacionamento, cinema, restaurantes, e só? E o diferencial? Porque não se constrói boates, para que tenha movimento de dia e de noite? Bares, Academias de ginastica, Faculdades para q tenha sempre gente circulando. Enfim, podemos sim copiar um modelo que deu certo, mas podemos tambem dar o nosso toque afim de tentar melhorar.

    Olá, Thiago. Você está certo, os projetos tem que ser customizados conforme as características do mercado local e as potencialidades de negócios. Acho até que, em certa medida, isso tem sido feito em alguns casos, embora ainda não possamos ver resultados porque, enfim, não há um novo projeto sequer em andamento no Brasil.

    Eu conheci um projeto (que não foi para a frente) que previa numa nova arena multiuso um grande espaço de entretenimento – algo como um parque de diversões, com atividades que incluiam esportes radicais – e teatros para shows, com capacidade de 2.000 pessoas em cada um deles. Enfim, as possibilidades são muitas, e é importante perceber que arena multiuso significa muito mais que um estádio que possa receber um show musical de vez em quando.

    Abraço,

    Mauricio

  8. E o post sobre a arena do Gremio?

    os indicadores de Florianopolis sao bons, mas tem outras coisas q devem ser levadas em consideraçao… sera q eh viavel um estadio com capacidade para 40 mil pessoas? qual eh a media de publico do figueirense, e quanto custam os ingressos atualmente? (nos proximos posts sobre projetos de arena vcs poderiam colocar esses dados, assim como o tamanho da torcida, nº de socios, etc.)

    outro problema eh q muitos gauchos migraram para SC, e estes obviamente torcem para Gremio ou inter e muita gente torce pros times do RJ tambem (algo parecido com oq aconteceu no nordeste) mas vendo por outro lado, isso pode facilitar as pessoas a enchergarem q ir a um jogo “local” pode ser uma forma de entretenimento…

    Borracho, o post sobre a arena do Grêmio está atrasado, mas vai sair…desculpe se parece meio burocrático de nossa parte, mas o Marcos Silveira será o encarregado desse post e já está trabalhando nisso.

    Alguns de nós fizeram estudos de viabilidade sobre novas arenas durante um curso de pós-graduação na ESPM, concluindo que o tamanho ideal para um estádio se situa normalmente entre 40 e 50 mil pessoas. Não se podem considerar apenas os níveis de ocupação atuais, já que uma nova arena tem como um de seus objetivos básicos aumentar a presença média de público, além de aumentar o gasto médio por torcedor nos jogos através do oferecimento de novos serviços. Um estacionamento, por exemplo, representa receita extra para a arena.

    Valeu e um abraço.

    Mauricio

  9. Vou usar deste post para passar as informações sobre a Arena do Palmeiras.
    Uma pequena informação sobre o Conselho que irá votar nos próximos dias. Dificilmente a Arena não passará. Dizem que será aprovada por aclamação. (mais detalhes no 3VV)

    Seguem os links:
    Aqui tem um texto do blog do Mauro Beting que mostra algumas questões importantes como o fechamento da “ferradura”:
    http://www.lanostracasa.com.br/files/3a8b3cfe0c1de15b30214852fb14ebdc-48.html

    Este mostra correções sobre o blog do Mauro, o cronograma das obras, detalhes e os investidores. Foi escrito por um participante da primeira reunião:
    http://www.lanostracasa.com.br/files/376d96e6d6d01184cffac72bc560d32c-49.html

    E neste mostra as projeções do faturamento com a Arena e diferenciando do atual estádio:
    http://terceiraviaverdao.blogspot.com/2008/06/uma-anlise-superficial-das-receitas-e.html
    (O 3VV é um excelente site, mostra tudo o que se ronda nos bastidores e sempre vem mostrando os trabalhos de marketing do clube, etc)

    Abraços e espero ter ajudado!

    Ricardo, obrigado pelas importantes informações. Vamos em breve escrever sobre esse projeto, torcendo para que ele realmente aconteça. Penso que pode significar uma transformação nos conceitos sobre reformas de estádios, especialmente se comparado ao modesto projeto de reforma do Morumbi, na minha opinião pouco ambicioso. Já o projeto de reforma do estádio Palestra Itália é realmente muito interessante.

    Um abraço,

    Mauricio

  10. A arena do figueira é um projeto fabuloso e de muitos anos de estudo. desde que essa gestao começou ja cantam a historia de fazer um estadio melhor para o clube. o figueira nao tem como fazer mais do que faz com as receitas atuais. o orçamento desse ano chega a 20 milhoes de reais. porem isso é muito pouco perto de clubes como sao paulo, atletico pr, corinthians e etc.

    o estadio novo é um passo para o clube subir em um outro nivel dentro do cenario nacional.

    um certo gaucho ae perguntou se o estadio vai encher. e eu digo que os estadios nacionais so enchem em jogos importantes. no maximo poe uma media de 18 mil por jogo.. o que nao é muita coisa. atualmente a nossa media é de 9mil por jogo. creio que com um estadio dessa envergadura o figueira tende a por um publico maior, sobretudo se montar times com condiçoes de brigar de igual para igual tem tudo para aumentar essa media

    com 12 sedes floripa ta praticamente certa na copa. cidade turistica com inumeras belezas naturais, coisa que nem porto alegre e nem curitiba tem, mesmo com toda a infra que possuem.

    o projeto ainda possui um hotel e um edificio garagem ao lado.

    floripa ainda tera um metro que passara a uns 300 a 500 metros do estadio, passando pela ponte hercilio luz, com entrega prevista junto com o metro para 2010.

    o metro ira ate a universidade federal passando pelo centro da cidade.

    alem disso floripa tera um porto para transatlantico com bares e marinas que sera um atrativo a mais para a copa.

    mesmo que a copa nao venha (o que sera uma burrice nao por uma cidade dessas na copa) o figueira tem condicoes de tocar esse projeto. o dinheiro vira de investidores externos.

    Luís, estamos de acordo. O potencial turístico de Florianópolis é um grande atrativo, como você bem menciona. Tenho alguns receios quanto aos critérios de escolha das cidades-sede, pois é claro que a disputa política será muito grande.

    Não apenas o Figueirense, mas qualquer outro clube brasileiro só teria condições de se envolver em uma empreitadas dessas com o aporte financeiro de investidores. A questão é negociar adequadamente os termos da parceria e considerar que haverá, com a arena, um novo cenário que poderá, se bem planejado e bem gerido, proporcionar lucros para todos os envolvidos.

    Um abraço,

    Mauricio

  11. O projeto do Figueirense é bastante interessante mesmo e agradeço ao Maurício pela extensa descrição deste acompanhada da análise ponderada e de qualidade, como é de costume.

    Há tempos repercutimos a necessidade da diversificação de negócios e consequente geração de receitas no plano de negócios em que se deve constituir a decisão de construção de uma arena, apenas o futebol ou o esporte de maneira geral não geram caixa o suficiente para um pay back exequível; o conceito de multi utilização também vem transcendendo os aspectos shows, naming rights, etc…é diversificação ao extremo, em que a única sinergia é a infra-estrutura física; já concluímos isso em diversos estudos, fóruns, etc.

    Vejo o projeto do Figueirense como um bom exemplo deste viés, suponho que estudos mercadológicos, em todas as frentes, tenham sido feitos e o projeto, à primeira vista, não me parece faraônico, mas é só 1.a análise.

    Florianópolis, cidade que conheço bem, tem potencial turístico e econômico sim e é séria candidata a ser uma das sedes, porém, como diz o Maurício, sabe-se lá quais critérios serão usados; uma pista de quais serão foi a ópera bufa de ontém patrocinada pelo Governo de Minas Gerais tentando vender o Mineirão, estádio ultrapassadíssimo com 27.000 assentos com visão prejudicada segundo estudo publicado na Folha na última segunda-feira, como sede viável da Copa por meio do cortejo de autoridades, presença de celebridades vazias, etc…lamentável, pra dizer o mínimo, enquanto isso o torcedor comum sofreu na mão dos cambistas, cadê a preocupação com processos e pessoas ? Isso também é MARKETING, de serviços, mas é.

    De fato nenhum clube tem como custear um projeto de tal magnitude e o apoio de investidores externos (ao clube) é fundamental, não só pelo aporte de recursos financeiros, mas pela fria análise de sua viabilidade.

    Abraços a todos,

    Robert

    Robert, endosso seu comentário sobre a festa no Mineirão, com a maquiagem do estádio paga com dinheiro público.

    Aos amigos mineiros aviso que não há nada nesse comentário contra o estado de Minas, em absoluto. Fato semelhante aconteceu no jogo da seleção em São Paulo, no estádio do Morumbi, quando a leve maquiagem do estádio serviu para que os políticos proferissem suas frases de louvor, de olho na abertura da Copa 2014.

    E em reais adequações físicas e melhoria no nível de serviços que realmente se reflitam em benefícios para o torcedor-cliente, nada foi feito.

    Mauricio

  12. Bom o Projeto do Figueirense..
    Só nao sei se os torcedores vao continuar com essa mesma média medíocre ou vao aumentar..
    Porque a torcida deles nao é tao grande assim..
    Acho que 40 mil pessoas é muito..

    Ja a Arena do Gremio..

    Ainda estou esperando pelo post que prometeram..

    Uma dica, Da uma pesquisada na comunidade da Arena do Gremio no Orkut…

    Matheus, como eu já disse em comentário anterior do Borracho, o post sbre a arena do Grêmio realmente está atrasado, mas o Marcos está preparando o material.

    Em qualquer projeto de nova arena deve ser considerado um aumento de público médio e receitas. Essa é uma pré-condição.

    Abraço,

    Mauricio

  13. Mas gaúcho gosta de invejar os outros né, daqui a pouco tão dizendo que tem a maior torcida do Brasil.

    Calma, Bruno, vamos deixar as rivalidades bairristas de lado.

    Eu pessoalmente acho o crescimento do Figueirense digno de nota. O projeto da nova arena é um reflexo desse crescimento e uma importante ação estratégica.

    Um abraço,

    Mauricio

  14. Nao tenho inveja.

    Na real quem tem inveja sao voces dos Gauchos…

    Só acho que mesmo com o aumento da média de público e tal.. acho que 40 mil pessoas pro estádio do Figueirense, nao vai ter um grande custo-benefício..

    abraço.

    Não sei qual seu parâmetro, mas tudo bem, é sua opinião. Agora, bairrismo é uma bobagem mais que superada, deixe isso para lá.

    Um abraço,

    Mauricio

  15. Eu não tenho inveja dos gaúchos, eles são tão chatos que nem eles se aturam e vêm pra cá encomodar agente ainda. Impressionante.
    Tenho orgulho de nascer em Florianópolis, e não troco essa terra por nada, assim como teus conterrâneos vem pra cá e nunca mais querem voltar pro rio grande.. acho que é inveja isso.

    Pois é, Bruno, essa discussão mesmo em tom amigável não é muito produtiva, não acha? Chegamos a um ponto em que nem importa quem tem razão. Rivalidades regionais são mais divertidas quando se limitam aos confrontos entre os times dos estados.

    Um abraço,

    Mauricio

  16. Maurício, obrigado, minha vez de endossar seu comentário sobre nada eu ter contra o Estado de Minas Gerais e que a mesma “ópera bufa” ocorreu em SP.

    Abraços,

    Robert

  17. Se fosse levar em consideração “MÉDIA” de público, nenhum estádio no Brasil precisaria ter mais de 20.000 lugares.

  18. como vi tem uns gremistas ae querendo diminuir a grandeza dessa publicacao do mauricio.

    nao vou entrar no merito da rivalidade pois isso é inutil. so vou usar como argumento a parada de publico.

    pouco importa o publico que ira ter no scarpelli. isso nao pode ser o foco. o foco do clube tem que ser a capacidade de publico que as competicoes da fifa e conmenbol exigem para suas competicoes. isto é o que realmente importa.

    nao entendi a logica do custo beneficio. afinal o projeto inclui um shopping, um hotel e um centro comercial, o que ira dar um aporte diferente ao clube, algo na casa dos 30 milhoes de reais por ano.

    isso sem contar os novos socios que deverao se juntar aos atuais, alem de um provavel publico maior. mas isso sera consequencia do projeto, repito, o foco deve ser outro, principalmente ser sede da copa. se nao der, nao faz mal, o projeto saira do mesmo jeito, talvez com algumas mudanças para torna-lo mais viavel.

    como o mauricio disse, nao sabemos os criterios que a fifa usa para definir sedes. mas se depender de força politica, nos também temos!! nao gosto de dar certeza, como fiz no outro post, em relacao a vinda da copa pra floripa. mas vejo boas possibilidades olhando a concorrencia, nao no sul, mas nos outros estados.

    o mineirao realmente me decepcionou, se nao arrumarem os pontos cegos, imagino que pode ficar fora da copa, ja que a fifa nao vai por o mineirao so pq o aecio neves esta amigao do ricardo texeira. se o estadio nao for bom eles riscam da copa sem do nem piedade. o que mais me decepcionou foi a vista de quem senta no ponto mais alto do estadio, uma vista muito ruim do campo, com o lado oposto quase emcoberto pela cobertura do estadio. acho que tudo tem solucao, e essas coisas podem ser arrumadas.

  19. Bruno, quem tem inveja do q aqui?

    eu acho uma boa iniciativa do figueirense, so fiz uma pergunta em relaçao a capacidade da arena… quem parece ter inveja aqui eh tu, q sem nenhum motivo saiu atacando o povo gaucho e o RS (q por sinal apresentou 2 excelentes projetos para 2014, sera q eh por isso? ou sera q eh pelo grande numero de gremistas q tem ai?) e muito pelo contrario, os gauchos adoram SC pois ele separa a gente do resto do brasil😀

    ah, e maior torcida do brasil nos nao somos, mas com certeza somos a melhor!

    “como vi tem uns gremistas ae querendo diminuir a grandeza dessa publicacao do mauricio.”

    entao olha de novo Luis, pq tu viu errado… e porto alegre nao tem belezas naturais? tu ja ouviu falar da zona sul de POA? e das ilhas do guaiba ou da laguna dos patos?

    isso deve ser tudo miragem mesmo:

    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=559870&page=3

    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=559870&page=4

    Mauricio, obrigado pelo esclarecimento. eu achava q pelo tamanho da cidade, media de publico, etc. a capacidade deveria ser por volta de 30 mil… e mesmo com uma arena nova e confortavel existe a possibilidade da media de publico cair no inicio pois os ingressos deveram custar mais, ai q faz diferença ter um bom numero de socios (por isso eu perguntei sobre socios, preço do ingresso, media, etc.)

    mas pelo q tu disse, esses 10 mil a mais podem nao fazer tanta diferença no preço da construçao e podem valer a pena pela renda extra quando tiver jogos importantes e o estadio lotar… eh isso?

  20. No dia 21 de junho assisti a uma apresentação sobre as obras previstas para a construção da nova Arena Palestra Itália. Na verdade, mais do que a construção da nova Arena a WTorre vai reformular toda a sede social da Sociedade Esportiva Palmeiras. Algumas novidades foram apresentadas. Inclusive todas as imagens de projetos que foram divulgadas no site oficial do clube devem ser esquecidas. Tudo mudou.

    Sobre a Arena, terá três anéis. O intermediário terá dois pisos de camarotes, somando mais de 260 camarotes de 12 pessoas cada sendo que todos eles serão modulares. No terceiro anel haverá um restaurante panorâmico que funcionará todos os dias da semana para sócios e não-sócios. A meta das piscinas será fechada e o campo deslocado sete metros em direção da Francisco Matarazzo. A capacidade segue com 42 mil pessoas com mais 2 mil lugares para imprensa e estacionamento para 1400 automóveis.

    O clube receberá também muitos benefícios. O ginásio II será demolido, bem como as quadras que ocupam o espaço hoje desde o estacionamento da entrada principal do Estádio. Um prédio destinado à receber as quadras poliesportivas, de tênis e campo de futebol society será construído. Outro prédio administrativo ocupará um espaço ao lado de frente para a avenida.

    50 milhões de reais serão destinados à remodelação do clube. Outros 220 milhões para o estádio e um centro de convenções que receberá eventos com teatros para 500 e 2000 pessoas.

    Um cronograma ainda foi apresentado. São datas bastante arrojadas. Vejamos:

    – 30/06/08 – Reunião do Conselho Deliberativo para aprovação do projeto
    – 18/07/08 – Lançamento da pedra fundamental. Início das obras.
    – 01/12/08 – Entrega do prédio que abrigará as quadras esportivas
    – 02/01/09 – Início das obras da Arena
    – 04/09 – Interdição do Estádio
    – 08/09 – Entrega do prédio administrativo
    – 15/12/10 – Entrega da nova Arena

    Com esta parceria o Palmeiras consegue remodelar o seu estádio e, além disso, reconstruir quase completamente sua sede social. Além das vantagens e das novas receitas que serão geradas pela nova arena, é ainda possível atrair mais sócios oferecendo um equipamento totalmente remodelado e moderno comparado com o que é hoje a Sociedade Esportiva Palmeiras.

    Sobre o negócio, não trataram nesta reunião. Pelo que sei são 30 anos de parceria. Nos primeiros 5 anos o Palmeiras fica com 5% da receita e com as bilheterias dos seus jogos. Para cada 5 anos aumenta 5% a participação do Palmeiras no uso da Arena e do centro de convenções até os 30% dos últimos 5 anos de acordo. O custo de manutenção do Estádio fica a cargo da WTorre.

    Pelo que sei o projeto passa pelo conselho dia 30 com facilidade. Mas nessas questões…nunca se sabe…É aguardar pra ver.

  21. Só para esclarecer. O restaurante do terceiro anel ocupará uma parte do anel. No restante serão cadeiras normais para a torcida.

  22. Mais um detalhe. Para se ter idéia do tamanho do prédio que abrigará as quadras esportivas. Um piso abrigará 6 quadras de tênis. Não será fechado com paredes. Será fechado com telas para ventilação e coberto com cerca viva formando alguns desenhos.

    Maurício, isso é tudo que sei até o momento.

  23. Ah! Não terá lojas tipo shopping center. Nem faria sentido já que será localizado entre o Shopping West Plaza e o Bourbon. Só terá o restaurante mesmo.

  24. querido bruno

    nao gostaria de entrar no merito da discucao pois o forum aqui eh de alto nivel..

    mas nao queira comparar florianopolis com porto alegre no quesito belezas naturais e potencial turistico.

    porto alegre eh uma cidade caracterizada por alta infra estrutura, tem lugares bonitos sim, eh obvio, como ate sao paulo tem.

    porem nao eh o forte da cidade. e nao chega aos pes da quantidade de belezas naturais que se encontra aqui ne. senao os gauchos nao sairiam de porto alegre para morar ou passar o verao aqui

    essa briga de cidades nao leva a nada, cada qual tem sua caracteristica. a cidade de porto alegre nao seria usada na copa para os turistas prourarem praia, e sim pelas coisas que a cidade pode oferecer, assim sera aqui caso a copa venha para ca, seremos uma das poucas capitais voltadas para isso na copa.

    sobre a capacidade tu ainda nao entendeu. nao adianta fazer um estadio para 30 mil. o padrao da fifa eh 40 mil para a copa e para realizar jogos oficiais de selecoes ou ate jogos de libertadores na final (por mais que seja dificil chegar la, nao adianta fazer um estadio do zero se nao for para contar com uma possibilidade dessas), entao pouco importa se a media sera x ou y, o importante eh o que as competicoes para a qual sera usado o estadio exigem de pulico

  25. Gaucho é povo invejoso mesmo

    esquecem que ate poucos anos atras a media de publico do Figueirense era maior que a do gremio, que agora com a moda “argentina” e com os bons resultados tornou a aumentar

    sem contar (1) que o Figueirense é o clube que leva MAIS TORCEDORES AO ESTADIO do Brasil proporcionalmente, se comparar o publico presente no estadio em relaçao ao tamanho da populaçao da cidade (média de publico de mais de 2% da populaçao da cidade presente no estadio, todo jogo) e (2) que o orlando scarpelli é o estadio com o maior percentual de lotaçao no país, com média de 49% de ocupação por jogo. ganhou o titulo de Caldeirao do Brasil da revista placar, por este motivo, inclusive

    entao, se tem algum estadio que tem que aumentar no brasil é o do Figueirense, que é o que mais enche no país

    o resto é inveja

  26. Bem, lendo o seu post, além dos comentário e de discuções tão pouco produtivas e beirristas, queria acrescentar que do projeto apresentado já tem algumas alterações sobre a execução, indiferente se o Figueirense e Florianópolis será sedo ou não da Copa.

    A diferença em não ser sede é a redução da capacidade para 31mil e modificações na cobertura (a FIFA exige cobertura ou parte delas em material transparente). Mas segue, a idéia desta Arena está no aproveitamento de 80 datas para eventos diversos (shows por exemplo)

    Já anunciado pelo clube a construção de outro estádio em Palhoça (cidade vizinha) com 20mil lugares (construído em parte do antigo estádio) para Jogos ditos menores – logo a capacidade de lotação já é algo já pensado pelos investidores.

    Lembro que o carro chefe das finanças do clube são os sócios (12mil atualmente) – patrocinadores e por último a televisão (1/3) – Diferente da grande maioria dos Clubes no Brasil sobrevivem graças as grandes cotas televisivas, chegando na maioria dos casos acima de 90% do orçamento do ano. Então, um clube dito pequeno que gerencia com inteligencia os parcos recursos e que tenta através da visão a longo prazo.

    Logo a Arena a ser construída não sobreviverá por causa do Clube e seus jogos, mas sim pela ocupação dos dias que não terá jogos!

    Mais detalhes do projeto em fase de aprovação no site da RBS

    http://www.clicrbs.com.br/clicesportes/jsp/default.jsp?tab=00003&newsID=a2199482.htm&subTab=00151&uf=2&local=18&l=&template=&section=noticias

    Abraços…

  27. o estadio do figueirense continuará com uma andar eu vai pra 2 ou tres

  28. Maurício, em Araraquara estão a todo vapor as obras da nova Arena da Fonte Luminosa, que vai ser um marco no interior de São Paulo, com 25.000 lugares cobertos, e onde a Ferroviária mandará seus jogos já na A2 de 2009. Veja o vídeo de apresentação da obra em
    http://br.youtube.com/watch?v=FZN0xjAbxg0, e fotos do andamento da obra no site oficial da Ferroviária- http://www.ferroviariasa.com.br/historia.php?id_historia=8
    Abraço.

  29. figuerense é muito ruim!

  30. Acabei achando esse topico de muito tempo atras.

    Havia um medo que se confirmou de o estado ficar de fora porque a escolha foi politica..

    uma pena, floripa e santa catarina tem qualidades de sobra para mostrar que outros estados escolhidos nao tem. alem das praias temos as culturas europeias aqui, creio que os alemaes, italianos, poloneses iriam adorar assistir aos jogos aqui. sem os jogos creio ser mais dificil fazer esses passeios, mas isso é secundario

    com a exclusao da cidade o projeto parou, principalmente pela direcao do clube na epoca que comecou a ser quesitonadas pelos resultados em campo, vide o rebaixamento do clube da serie A, e acabaram deixando a administracao do figueirense. a outra direcao diz que o projeto segue em estudos e tal mas conhecemos essa conversa

    o projeto provavelmente sera para 30 mil pessoas, os questionamentos que faziam aqui sobre a media de publico ainda vejo como sem nexo. o estadio tem de ser viavel sem contar com dinheiro de ingresso, alem do mais nem o gremio tem uma media de 20 mil pessoas, mas tudo bem

    nosso estadio atualmente é de 20 mil pessoas, e é muito limitado, apesar de muito confortavel

    negocio é torcer para a nova direcao estar falando a verdade e colocar em pratica o novo estadio, e nao usar isso para se promover, como muitos fazem ne


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: