Publicado por: Marcos Silveira | 10/abril/2008

Direitos de rádio

Nesta quinta-feira (10/04) o Clube Atlético Paranaense, em mais uma prova de pioneirismo, divulgou um comunicado às emissoras de rádio.

A carta informa que, a partir de 10 de maio, data do início do Campeonato Brasileiro, o CAP vai exigir uma contrapartida financeira pelos direitos de transmissão radiofônica dos seus jogos.

Os interessados terão de pagar R$ 15 mil por partida ou R$ 456 mil pelo pacote com os 38 jogos do Atlético-PR no Brasileirão 2008.

O comunicado ressalta que a cessão dos direitos não é exclusiva e dá um prazo até 22 de abril próximo para as emissoras entrarem em contato com o clube “para formalização de contrato e credenciamento”.

Mauro_Holzmann

Mauro Holzmann, diretor de Marketing do CAP

A decisão não me surpreende. Há tempos que o diretor de Marketing do CAP, Mauro Holzmann, mostra preocupação em profissionalizar a cobertura da imprensa na Arena da Baixada.

O estádio do Atlético-PR, inclusive, foi o primeiro a limitar a presença de repórteres dentro de campo, permitindo o acesso apenas àqueles que trabalham para TVs que transmitem o evento.

A venda dos direitos de transmissão radiofônica é um tema polêmico, até porque outros clubes devem fazer o mesmo, mas eu vejo a notícia como inevitável para um mercado que busca se profissionalizar.

Minha única dúvida é pelo fato de o comunicado do CAP dizer que vai exigir a contrapartida “na condição de mandante ou não”. Creio que esse ponto seja discutível.

E você, leitor? O que acha da pretensão do Atlético-PR?

Como será que as rádios vão encarar a novidade?

Anúncios

Responses

  1. Uma coisa é o CAP querer…. outra é aceitarem e concordarem… acho difícil…. 15 mil é muito!

    Olá Manoel, você tem razão…

    Provavelmente muitas rádios vão chiar.
    E o valor pedido pelo CAP está muito salgado por um direito que sempre foi de graça.
    Acredito que as partes devem chegar a um meio-termo.

    Obrigado pelo comentário e continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  2. Eu sempre tive essa dúvida se as rádios pagavam alguma coisa pela transmissão, mas como a TV paga e , não sei no caso do Brasil, mas na Inglaterra( leia-se Premier League) pelo menos há a venda dos direitos da Internet, eu acho justo elas pagarem, afinal, elas devem faturar em cima dos jogos com venda de anúncios durante esses eventos.

    Mas se prepara q vai haver chiadeira com a justificativa que elas estão prestando um serviço para classes de poder aquisitivo mais baixo que não tem acesso nem ao PPV ou a Internet.

    Abçs

    PS: Eu já vi no site da FA a cobrança de taxa para rádios para transmitir partidas da FA Cup. Pode ser pouco, mas essa profissionalização mostra o pq os times ingleses chegam pelo 2º ano consecutivo com 3 dos 4 semifinalista na Liga dos campeões e 4 finalistas nos últimos 4 anos.

    Site FA: http://www.thefa.com/TheFACup/TheFACup/NewsAndFeatures/Postings/2004/06/Payments.htm

    Olá Carlos, obrigado pelo excelente link da FA Cup!

    Creio que o CAP está tentando marcar uma posição e vai acabar aceitando fechar os direitos de rádio por um valor menor. Ou até mesmo, dependendo do caso, com alguma permuta.
    De qualquer forma não deixa de ser uma sinalização do que vem por aí…

    Continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  3. Essa discussao de cobrar das radios ja eh antiga aqui no brasil e o atletico PR so ta fazendo isso agora por causa dos desentendimentos com a TV…

    A maioria das radios do brasil nao tem dinheiro pra pagar isso e ainda vai acabar prejudicando os outros times

    Falando em radio, uma materia do site do gremio:

    “Grêmio Rádio com imagens dos bastidores
    09.04.2008
    Gremionauta conferiu todos os detalhes

    Logo após o programa Conversa Tricolor*, entrou no ar a transmissão do jogo entre Grêmio e Atlético GO em áudio, com narração de Haroldo Santos e comentários de Luciano Rolla e Davis Wagner. Nas reportagens de campo, Márcio Neves e Rafael Pfeiffer, e no pátio do Estádio Olímpico, Bianca Ramos acompanhou os últimos torcedores chegando ao estádio.

    O diferencial foram as imagens ao vivo da torcida gremista, mostrando os bastidores do jogo em vídeo também. Claro que sem mostrar o jogo em si, pois estes direitos são reservados à Rede Globo.

    Além do áudio, o gremionauta pode acompanhar os bastidores da transmissão, ver o narrador e seus comentaristas, e os próprios repórteres em ação!

    Esse é o Grêmio inovando sempre!”

    *Conversa Tricolor eh um programa ao vivo com uma hora de duraçao q passa antes de todos os jogos do gremio no olimpico

    Mais de 5,2 mil internautas acompanharam a programaçao da GremioTV antes e durante o jogo de ontem (apos o jogo eles transmitiram tambem a entrevista coletiva do presidente e do tecnico) com acessos de 20 paises. Tem outra materia no site do gremio falando sobre isso e tambem destacando os primeiros acessos do continente africano a GremioTV (acho q sao os primeiros, vindo de Moçambique e Angola)

    Obrigado pelo comentário Borracho!

    Independentemente dos motivos, o CAP está apontando uma tendência do mercado.
    Imagine se o Grêmio fizer o mesmo e transmitir todos os jogos com exclusividade pela Grêmio Rádio? Já pensou quanto pode valer um anúncio? Não estou dizendo que vai acontecer, mas é uma possibilidade cada vez mais factível com as tecnologias móveis.

    Continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  4. A decisão do Atlético é muito polêmica. Na condição de repórter de rádio vejo que esta medida vai trazer um desemprego em massa a categoria. Vendo apenas o lado de cá, trata-se de uma exigência quase absurda, porque existe a contra-partida, uma vez que o nome do clube é divulgado gratuitamente por todas as emissoras. o retorno em midia e propaganda é grande para o clube.
    Mas temos que analisar pensando também no lade de lá. Já que as Tvs pagam, pq o rádio não pode pagar? Para isso seria necessário que todos os clubes se unissem para estabelecer uma cobrança por torneio e não por jogos de um único clube.
    O valor pedido pelo Furacão é porém um verdadeiro absurdo.O rádio pagou pelos direitos da Copa do mundo 150 mil doláres, muito menos que os 456 mil reais pedidos pelo clube.
    As vezes fico com a impressão que o Atlético se julga a cereja do bolo do futebol brasileiro.
    Por fim tenho uma dúvida? Quando o Palmeiras ou outro time paulista( ou ainda de outro estado) receber o Atlético como visitante, como eles pretendem cobrar as rádios da praça do jogo?
    Duvido que alguma emissora paulista deixe de transmitir o jogo ou pague esta soma de 15 mil reais.
    É um tema que deve ser desenvolvido com calma não podendo ser colocado em prática sem um grande planejamento.

    Seja bem-vindo Edu!

    É uma honra “recebê-lo” aqui no blog! 😉

    Parabéns pelo equilíbrio da sua análise! Apesar de ser “parte interessada”, você soube considerar os dois lados da polêmica. Fica fácil entender porque você é um ícone do rádio esportivo!

    Concordo que o valor pedido pelo CAP está fora da realidade e acredito que haverá um consenso para garantir as transmissões. Também acho difícil que o Furacão receba de alguma rádio local quando jogar fora de casa. Pelo menos nesse primeiro momento. Vamos aguardar os próximos capítulos!

    Abs,
    Marcos Silveira

  5. Marcos, me parece que o Atlético Paranaense está fazendo uma tomada de posição, ou “marcando o território”, se preferir. Claro que os valores são altíssimos, e se copiados nos mesmos termos por outros clubes fariam com que o custo de cobertura do campeonato nacional fosse superior a R$ 9 Milhões por rádio.

    Acho que é uma pressão para que o tema entre na pauta, apesar dos valores exagerados – o que pode ser uma tática de negociação, convenhamos.

    Não deixo de achar curioso que a Rádio Jovem Pan de São Paulo (que tem alcance em boa parte do país) transmita, de seus estúdios, um número enorme de partidas, do campeonato paulista à Champions League, o que sem dúvida torna as cotas de patrocínio mais valorizadas. E os custos podem ser iguais a zero?

    Também acho que nessa discussão vai surgir, de novo, o tratamento do futebol como “coisa pública”, argumentando que as rádios prestam serviço ao povo e que o futebol é um item “essencial”, e assim por diante. OK, mas e o tratamento de coisa pública quando o assunto são os impostos? Se vamos fazer futebol de graça, então que o governo deixe de cobrar INSS sobre a receita de bilheteria, entre outros impostos e taxas.

    Enfim, é um assunto que vai dar longas discussões.

    Abraços.

    Concordo inteiramente com você, Mauricio!

    Estamos pensando tão parecido que poderíamos fazer um blog juntos… hehe

    Abs,
    Marcos Silveira

  6. MEU CARO MARCOS SILVEIRA, ESTA ATITUDE É IMPORTANTE E ME PARECE DEMORAR A ACONTECER. VENHO LUTANDO DIARIAMENTE, ENVIANDO E-MAILS PARA TODOS OS ESPAÇOS DISPONÍVEIS NA INTERNET, CONTRA O “ABSURDO” DAS EMISSORAS DE R Á D I O, TRANSMITIREM JOGOS DE CLUBES SEM “NADA PAGAREM” AOS DONOS DO PRODUTO QUE SÃO ESTES MESMOS CLUBES. ORA, DÁ NÔJO VER COMO UMA BOA PARTE DESTES CARAS DE RÁDIO SE SENTEM DONOS DOS TIMES DE FUTEBOL. CONTURBAM AMBIENTES, FAZEM ILAÇÕES, PROVOCAM SITUAÇÕES EDIONDAS, COM SUAS FOFOCAS MUITAS VEZES SEM FUNDAMENTO ALGUM, E, ESCONDEM-SE ATRÁS DE UMA SUPOSTA “FONTE” QUE NÃO PODE SER DECLARADA. ESTES VEÍCULOS DE COMUNICAÇÃO CONSEGUEM ALAVANCAR (IMAGINO) “RIOS” DE DINHEIRO, EM PATROCIONIOS DE GRANDES EMPRESAS, SEUS PROFISSIONAIS METEM O PAU EM DIRIGENTES, COMISSÕES TÉCNICAS E JOGADORES, QUE SE DOAM AOS CLUBES E, INCRÍVEL, NADA PAGAM AOS TIMES DE FUTEBOL. POIS O ATLÉTICO-PR RESOLVEU DAR UM BASTA NISTO E SERVOR DE EXEMPLO PARA OS OUTROS CLUBES. E, ISTO NÃO É UMA PRÁTICA ARBITRÁRIA NÃO, VISTO QUE É TOTALMENTE AMPARADO PELA “LEI PELÉ”. ACORDEM SENHORES DIRIGENTES DE CLUBES. CORRAM ATRÁS DESTES SEUS DIREITOS. É HORA DOS DIRIGENTES DE CLUBE PROVAREM QUE NÃO SE AMEDRONTARÃO ANTE A FÚRIA QUE ESTA COBRANÇA PROVOCARÁ NA CHAMADA MÍDIA FALADA. HORA DE PROVAR QUE NÃO TEM RABOS-PRESOS COM NÍNGUÉM, OU TEM???… OS CLUBES PRECISAM E TEM DIREITO SOBRE ESTE FATURAMENTO. AFINAL, NÃO É JUSTO USAREM POR TANTO TEMPO, MANDAREM COMO MANDAM E NÃO PAGAREM POR ISTO.

    Olá José Donizete, obrigado pelo comentário!

    Pelo visto você está bem exaltado com essa situação, heim?
    Mas não precisa usar caixa alta nos comentários. Na Internet isso é entendido como grito. E aqui ninguém precisa gritar para ser ouvido! 😉

    Volte sempre e continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  7. Segundo o Parana-Online, o A. Paranaense ainda estuda como vai fiscalizar a transmissão das partidas fora de casa.

    O clube ainda diz que os valores, considerados altos pelas rádios de Curitiba, foram estabelecidos após “estudo amplo e detalhado, em nivel nacional”.

    Por fim, o artigo ainda diz que, caso nenhuma rádio compre os direitos de transmissão, o clube poderá alugar o espaço em alguma emissora, para transmitir os jogos, e não deixar o torcedor sem o serviço. Nesse caso, é claro, as eventuais receitas com patrocínios e merchandising ficariam com o clube.

    Segue o link para o artigo. É necessário, porém, efetuar um cadastro (gratuito) no site para acessá-lo.: http://www.parana-online.com.br/noticias/index.php?op=ver&id=341132&caderno=7

    Olá Ricardo,

    Obrigado pelo comentário e pelo ótimo link!

    O artigo confirma uma possibilidade que eu levantei no comentário do Borracho: o próprio clube pode fazer as transmissões e gerar novas receitas com isso. O que pode ser um bom negócio desde que seja bem planejado e estruturado.

    Mas ainda acho que as rádios (ou pelo menos parte delas) vai chegar a um acordo com o CAP.

    Continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  8. Classifico como uma atitude eleitista por parte do clube. Aliás, alguém conheceria o Atlético do Paraná se não existissem as transmissões pelas Rádios?
    Imaginem se todos os clubes resolvessem exigir o mesmo. A radiofonia esportiva se tornaria inviável. Pela exposição permanente nas rádios, o Atlético é que deveria colaborar com as emissoras.

    Seja bem-vindo Marcelo!

    Respeito a sua opinião, mas vejo um certo exagero.
    Se o plano do CAP vingar, outros clubes certamente farão o mesmo.
    E o rádio esportivo não vai acabar por isso, mas terá de se adaptar, como aconteceu com a TV. Alguns depoimentos neste post (inclusive de pessoas que trabalham ou trabalharam no meio) confirmam isso.

    Acredito que o próprio mercado saberá lidar com a questão…
    E pode até sair fortalecido do episódio. A hora pede equilíbrio!

    Volte sempre e comente mais vezes!

    Abs,
    Marcos Silveira

  9. Absurda.

    Descabida.

    Divorciada da realidade.

    Produto típico da cabeça do presidente do clube.

    Ola Emerson, tudo bem?

    Pelo visto você não gostou mesmo da idéia do CAP, heim? 😉

    Penso que a venda dos direitos de rádio (se confirmada) pode vir a ser um sinal de amadurecimento do negócio futebol no Brasil. Assim como tem acontecido com outras mídias e formatos.

    Imagino que muitas pessoas também devem ter ficado com o pé atrás quando se começou a negociar os direitos de TV por aqui. E hoje eles fazem parte do jogo e ninguém vive sem!

    Aliás, vou tentar fazer uma pesquisa histórica sobre isso para um próximo post.

    Abs,
    Marcos Silveira

  10. Marcos,
    tenho uma longa vida profissional ligada ao rádio. Por isso, sinto-me à vontade para falar. Valores à parte, acho muito natural e lógico que as rádios paguem pelos direitos de transmissão. Nenhuma delas reclama quando tem que pagar pela Copa do Mundo, pelos Jogos Olímpicos, pela Fórmula 1, pelo Pan… Por que o futebol doméstico tem que ser de graça?
    Sobre os jogos do Atlético-PR como visitante, talvez valha a analogia da TV: só se pode transmitir um jogo se as duas partes concordarem. Por isso mesmo é feito um contrato coletivo com o Clube dos Treze. Ou seja, se um dos dois não quer, não tem transmissão. Se nós vivemos dizendo aqui que os clubes têm que explorar com eficiência todas as possibilidades de arrecadação, por que não cobrar das rádios, que faturam em cima do futebol? Se está caro ou barato é uma outra discussão. Sopbre demissão em massa: quando se começou a cobrar das TVs, falava-se a mesma coisa. E não aconteceu. Recentemente, quando a prefeitura de São Paulo proibiu outdoors (Lei Cidade Limpa), falava-se também e, da mesma forma, não aconteceu. Quem tiver competência, continuará atuando normalmente. abs

    Grande Milton!

    Assino embaixo mais uma vez!

    Todos os comentários (a favor e contra) deste post são importantes para nos ajudar a formar opinião sobre um tema tão polêmico.
    Mas depoimentos de pessoas que trabalham (ou trabalharam) em rádio reforçam a importância de se preparar para as mudanças, que muitas vezes são inevitáveis.

    Se eu fosse dono ou diretor de rádio encararia os planos do CAP como uma oportunidade de crescimento e não como um obstáculo instransponível. A venda dos direitos radiofônicos, a médio prazo, pode representar um salto para um mercado que me parece um tanto quanto acomodado.

    Vamos aguardar novas repercussões e desdobramentos…

    Abs,
    Marcos Silveira

  11. O Atletico deu um tiro no seu próprio pé…só isso

    Olá Luciano, obrigado pela participação!

    Eu concordaria com você…
    …5 anos atrás! hehe

    Hoje, no entanto, prefiro ver como um tiro certeiro, uma evolução do mercado do futebol.
    Acredito que a iniciativa do CAP pode dar certo se a direção do clube souber lidar com as críticas e pressões que certamente vão surgir.

    Em breve saberemos qual foi o alvo atingido pelo tiro do CAP…

    Continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  12. Marcos, pelo que sei e comentei no OCE, há oposição à idéia dentro do C13.
    Fernando Carvalho, por exemplo, pelo que fiquei sabendo, manifestou-fortemente contrário (hehehehe… aliás, se ele ficasse a favor teria que enfrentar o Pedro Ernesto cara a cara, e seria perigoso do PE tirar-lhe a camiseta, rasgá-la, pisoteá-la…).

    TV é mídia mais concentrada, com poucas emissoras, giro maior, etc. O rádio é pulverizado ao extremo e, no frigir dos ovos, só as grandes poderiam participar da festa.

    O negócio futebol não precisa do dinheiro da rádio para ser profissional. Não por enquanto, pelo menos.

    Eu li seu artigo no Olhar Crônico, Emeson.

    Muito bom por sinal. (o que não é novidade).

    Não tenho dúvidas de que a idéia do CAP enfrenta muita resistência, inclusive no C13. Até porque eles adoram divergir! hehe

    Concordo com o argumento de que o rádio é pulverizado, mas esse tema precisa ser discutido. Não porque os clubes precisem do dinheiro das rádios, mas porque cada receita deve ser valorizada.

    Acredito que essa proposta do CAP possa se transformar num diferencial para as emissoras que resolverem pagar. Essas teriam vantagens exclusivas como repórter dentro de campo, cabine etc. As pequenas continuariam transmitindo, mas com uma infraestrutura reduzida.

    Enfim, logo logo vamos saber…

    Obrigado pelo comentário e continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  13. Meu caro Marcos, contundência, firmeza de posições, colocações claras e entendíveis. este é o meu foco. Parece que você não me entendeu direito e levou para o lado errado a minha idéia. Absolutamento não preciso elevar o tom para me fazer entender, até porque os participantes do “blog” tem ótimo nível. O fato é que venho de há muito tempo tentando provocar este tema, em todos os espaços que consigo na mídia. E, realmente a atitude do Atlético-PR, abre nova perspectiva aos Clubes de futebol. Por dois motivos. 1º) – tenho pavor de como determinados “profissionais???…” da grande mídia falada, aborda desrespeitosamente os Clubes de futebol e, em 2º lugar, como torcedor, vejo em qualquer possibilidade de receita, a saída para amenizar a penúria em que vivem estas entidades. Desculpe-me, não precisamos ser “docinhos” ou agradáveis em excesso, sempre que formos participar de alguma discussão, seja em qualquer campo da nossa existência. COERÊNCIA, CONTUNDÊNCIA E RESPEITO, é o que se deve esperar. Respeitarmos as formas de colocações de terceiros é absolutamente nescessário. Boa noite!

    José Donizete, não tenho nada contra sua opinião.
    Até concordo em alguns pontos.

    Minha única observação foi por conta da caixa alta.
    Como agora você não usou, tudo certo!

    Volte sempre e continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  14. Caro Marcos e amigos, pensei bastante antes de comentar este ponto, não era um tema que eu tinha em mente e estou dividido entre manutenção de minha linha de pensamento e ser repetitivo, se o último caso prevalece, peço desculpas.

    Minha posição quanto à idéia do CAP é o de concordar, o futebol é um evento privado que tem dono; por sua vez, este “dono” repassa os direitos de transmissão para a TV mediante remuneração; é assim e ninguém questiona a prática e sim negocia valores, o que é normal…no rádio não deveria ser diferente, afinal ele tem anunciantes que lhe conferem receitas; dizer que o rádio não deve pagar nada pois divulga o clube é inocente, no mínimo; hora de quebrar mais um paradigma deste mercado…sempre choca, gera ruptura, mas precisa ser assim.

    Acredito no imenso potencial do rádio como veículo de comunicação, tenho muito respeito pelos seus profissionais que tem que, ao vivo, dizer o que acontece sem o suporte da imagem e sem tempo para “editar seus textos”; não acredito que uma compra de direitos de transmissão traria um desastre ao negócio rádio, somos um país de 8 milhões de km2, existem lugares neste país onde a única conexão com o Brasil é a chatíssima “Voz do Brasil”, essa última é pra refletir.

    Obrigado pelo comentário, Robert!

    Concordo com sua análise, principalmente com a necessidade de quebrar mais um paradigma.

    Abs,
    Marcos Silveira

  15. Quanto fatura uma rádio do Paraná com os jogos do Atlético? Não tenho idéia.
    Independentemente disso, se eu fosse dono de uma rádio por lá, no lugar de reclamar, correria até a diretoria e negociaria a exclusividade da transmissão.

    Salve Cesar!

    Pelo visto seu “tino comercial” está bem apurado, heim? 😉

    Eu faria a mesma coisa, como escrevi no comentário do Milton Leite.

    Volte sempre e escreva mais vezes! (Inclusive no seu blog, que está indicado aqui nos Favoritos. Sinto falta dos seus posts!)

    Abs,
    Marcos Silveira

  16. O clube tem esse direito, não podemos nos deixar se influenciar pela lob que as rádios e suas associações faram para induzir a população achar que é “mal para nos”, que é “mal para eles esse negócio”. Para nos não é mal não. Quanto mais alternativas de renda nossos clubes tiverem, melhor para nós que torcemos para essas gremiações. Prefiro pensar no meu clube do que nas rádios. Quando se falava que as televisões terriam que pagar para transmitir os jogos criou-se um mito de que as televisões iriam falir. Alguém conhece alguma que falio ??? Eu particularmente não conheço nenhuma, e cada ano que passa a o investimento para transmitir o campeonato brasileiro é cada vez maior. Copa do Mundo, alguém acha aqui que as rádios transmitem de graça uma copa do mundo ? Cobra-se e bem para transmiti-la mesmo por rádio. “Quem roubou meu queijo ?” Muitos concerteza já leram este livro, as rádios emissoras não querem é desembolsar uma grana que sempre ganharam com isso, essa que é a verdade. Façam uma pesquisa em cada uma das principais rádios da sua cidade contranstando o que se paga fora de horário de jogos e no horários de jogos para se fazer um comercial. É muita grana que rola gente, muita mesmo. Essa grava vinha limpa até então para estes, o que o pionerissimo Clube Atlético Parananese que não é nada além do seu direito. Cobre do seu clube uma postura também diante disto, se o Clube Atlético Paranaense tiver triunfo nesta empreitada você acha que seu clube também não irá querer este dinheiro… Peço que antes de tomar uma posição, aceitando os argumentos dos radialistas peço que faça uma reflexão, para então defender as rádios emissoras ou seu clube. EU TENHO CERTEZA, QUE ESTA FONTE DE RENDA QUE É DE DIREITO SERIA MUITO INTERESSANTE PARA OS CLUBES.

    Seja bem-vindo Edson!

    Obrigado pelo comentário e participe sempre!

    Abs,
    Marcos Silveira

  17. Apoio a modernidade do Furacão. Não dou um mes para os outros clubes e estados seguirem essa nova postura.
    Canso de ver radios de politicos regionais tipo a BandaB em curitiba estarem revoltadinhos por não poderem mais fazer suas propagandas normais e POLITICAS aproveitando o poder de midia do clube. Tipo radio do Coração…radio do Deputado tal… aliás se fizermos um bom levantamento quantas rádios são de polícios?
    Chega de abuso!

    Seja bem-vindo Francisco!

    Obrigado pelo comentário. Espero que participe mais vezes!

    Abs,
    Marcos Silveira

  18. Marcos,

    Na verdade o gremio ja esta tentando isso:

    “Emissoras de rádio, venham para Grêmio Rede
    26.03.2008
    Cobertura total dos jogos do Grêmio

    A Assessoria de Comunicação do Tricolor Gaúcho, depois do sucesso pioneiro com o lançamento da Grêmio TV e Grêmio Rádio, está dando mais um passo de primeira. Os torcedores poderão acompanhar todos os jogos do Gauchão e Campeonato Brasileiro em uma transmissão de gremista para gremista.

    Emissoras de rádio AM ou FM, de qualquer parte do Brasil, que tenham como público ouvinte os torcedores do Grêmio, venham para Grêmio Rede.

    As rádios que tiverem interresse de entrar em rede com a Grêmio Rádio para a cobertura dos jogos do profissional no Gauchão, Brasileiro, Copa do Brasil e Sul-Americana, estão sendo convidadas para formação desta parceria que fará sucesso com os “Imortais Tricolores”. ”
    http://www.gremio.net/news/view.aspx?news_type_id=16&id=4248&language=0

    e agora alem da Gremio Radio e GremioTV vai ter tambem o Jornal Tricolor (lançamento no dia 18 de maio com 20 mil tiragens)

    Sobre a cobrança das radios vai acabar acontecendo, mas acho q ainda nao estao prontos pra isso… e eu ouvi uma entrevista com o presidente da ABERT na radio guaiba em q ele dizia q a federeçao catarinense ja havia tentado isso antes, mas a ABERT entrou na justiça e ganhou.

    Olá Borracho!
    Obrigado pelo comentário e pelas informações.

    Entretanto esse texto não menciona contrapartida financeira para fazer parte da “Grêmio Rede”…
    Você sabe se as rádios precisam pagar para participar?

    Abs,
    Marcos Silveira

  19. Alias, a assessoria de imprensa gremio esta merecendo um post em reconhecimento a tantas inovaçoes (especialmente a GremioTV, que na proxima semana completa um ano da primeira transmisao do Conversa Tricolor, o programa ao vivo que antecede os jogos no Olimpico Monumental)

  20. Acho q sim… eles nao vao fazer o trabalho para as radios de graça.

    Mas tem um telefone e um email pra contato la no link, tenho certeza q se tu mandar um email e dizer q faz parte de um blog cujo objetivo eh justamente valorizar este tipo de iniciativa eles vao ter o maior prazer em te responder, afinal o reporter aqui eh tu neh? a nao ser q vcs nao tenham interesse em publicar coisas sobre o gremio(o post sobre a arena vai sair ou nao vai????)

    Falando nisso, tem um programa novo na GremioTV, o “Gremio Arena” trara todas as noticias sobre a arena semanalmente (o 1º programa ja esta disponivel) e agora tambem tem a versao em ingles do GremioNews (ficou meio amador, mas pelo menos a guria q apresenta eh bonita hehehhehe)

    Olá Borracho,

    Mais uma vez obrigado pelas informações. Vou mandar um e-mail para obter mais detalhes.

    Tenho total interesse em postar sobre o Grêmio, para prestigiar a audiência de gremistas como você! 😉 O texto sobre a Arena está entre as minhas prioridades. Inclusive vou dar uma olhada no novo programa. Valeu pela dica!

    Abs,
    Marcos Silveira

  21. Vou aguardar o post sobre a arena entao… ja
    responderam o email?

    Amanha faz um ano q foi ao ar a primeira transmiçao ao vivo da GremioTV, aqui vai o link com a materia no site do Gremio:
    http://www.gremio.net/news/view.aspx?id=4686&language=0&news_type_id=1

    Vcs podiam fazer um post prestigiando essa inciativa pioneira no brasil q esta servindo de exemplo para varios outros clubes (Flamengo, Corintians, etc.) e q eh sucesso de audiencia, aproximando ainda mais o clube com os torcedores.

    E agora parece q eles querem aproximar o clube com os empresarios tambem hehehe… estreiou um novo programa, o “Base Gremista” com todas as noticias sobre as categorias de base (q eh uma boa alternativa pra quem nao tem uma rede globo “no quintal de casa” supervalorizando os nossos craques da base)

    Olá Borracho,

    Muito bom saber sobre o aniversário da Grêmio TV. É uma marca importante!
    Vou aproveitar o link que você mandou para postar algo esta madrugada.

    Entretanto, acho que precisam melhorar muito ainda. Eu assisti a alguns videos na semana passada. O Grêmio merece programas de mais qualidade, à altura de sua importância.

    A iniciativa do programa sobre a nova Arena é ótima e elogiável, mas o que é aquela versão do “Grêmio News” em inglês? Eu adoraria colocar o link aqui, mas acho que não é possível…

    Ainda não responderam meu e-mail.
    Vou tentar ligar lá…

    Continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira

  22. Pois eh…

    Diferente das outras TVs de clubes, q se eu nao me engano pagam para uma empresa (a mesma empresa por sinal) fazer tudo e por isso tambem cobram dos torcedores, a GremioTV eh feita pela assessoria de comunicaçao do gremio, e nao de imprensa como eu havia dito antes, e tem apenas como parceiras duas empresas:

    “Para concretizar o projeto, duas parcerias foram fundamentais. Uma com a PGM, produtora de vídeo responsável pelas imagens e implantação do estúdio de TV, no Olímpico. E a outra com a Hot Media, empresa responsável pelo suporte tecnológico que viabiliza a transmissão da TV on line.”
    http://www.gremio.net/news/view.aspx?news_type_id=16&id=3950&language=0

    Somente agora q a GremioTV esta mais conhecida e tem uma audiencia consolidada eh q estam surgindo patrocinios… acho q por ser uma coisa pioneira e ainda mais para um time fora do “eixo”, nenhuma grande empresa queria se arriscar nesse projeto (eh por isso q os gremistas ficam tao indignados quando nao reconhecem o pioneirismo da GremioTV, pois os caras fazem os programas na raça – como todo bom gremista gosta =D – pra depois darem os creditos aos times do eixo e ainda por cima fazendo uma propaganda pra eles em midia nacional e horario de grande audiencia)

    Ou seja, eh de gremista para gremista (e muito mais barato tambem! hehehe). mas a tendencia agora eh crescer cada vez mais e melhorar as parceriais e a qualidade da GremioTV

    Olá Borracho,

    Acabei de postar sobre a Grêmio TV. Não há dúvida de que o Grêmio foi ousado ao lançar uma TV pela Internet há dois anos. E tenho certeza de que está sendo recompensado, principalmente pela audiência e aceitação do torcedor.

    Mas o objetivo deste blog é falar de negócio e nesse aspecto o modelo gremista ainda tem muito a evoluir, concorda? 😉 Espero que a direção do Grêmio saiba tirar proveito dessa importante ferramenta de comunicação.

    Continue participando e ajude a divulgar o blog!

    Abs,
    Marcos Silveira

  23. Sobre o link, tem esse aqui q redireciona para a GremioTV

    http://www.gremiotv.net/

    Obrigado Borracho, mas o problema não é o link.

    Eu consegui entrar na Grêmio TV, mas não encontrei aquela versão em inglês para rever e mostrar para algumas pessoas. Por isso sugeri uma opção de busca no post que acabei de escrever.

    Obrigado pela ajuda e continue participando!

    Abs,
    Marcos Silveira


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: