Publicado por: Francisco Ortega C J | 28/março/2008

Leandro Amaral – São Januário ou Laranjeiras?

Bem, amigos, nas últimas semanas estamos vendo um impasse dos mais bizarros no mundo do futebol pós Lei Pelé.

O jogador Leandro Amaral, que jogou por quase todos os clubes grandes de São Paulo, revigorou sua carreira quando foi jogar no Rio de Janeiro pelo Vasco da Gama, onde voltou a apresentar um bom futebol lembrando o seu início de carreira na Portuguesa.

Leandro Amaral no Vasco

Carreira de Leandro Amaral renasceu no Vasco (foto: Agência Estado)

Com tal fato foi valorizado, sendo disputado por outros clubes e sendo contratado pelo Fluminense no fim do ano passado.

OK, tudo isso nós já sabemos. O que eu gostaria de ressaltar aqui no blog é a questão da gestão da carreira profissional do atleta, pois acho que esse caso pode se tornar um exemplo clássico de como ser mal assessorado.

Hoje em dia todos os jogadores estão acompanhados de “empresários”, os quais por sua vez lhes prometem gerenciar suas carreiras, negociando contratos e salários.

O que aconteceu no caso do jogador Leandro Amaral é muito simples: o jogador estava desprestigiado no futebol com sua carreira em decadência; quando negociou com o Vasco viu que poderia ser esta a sua grande oportunidade e com isso assinou um contrato em que consta uma cláusula pela qual o Vasco teria automaticamente a preferência de renovar o seu contrato quando do término do mesmo. Vemos com isso que o contrato assinado era nitidamente uma aposta de ambas as partes, um contrato curto com previsão contratual de ser estendido caso o jogador fosse bem.

Por ironia do destino foi exatamente isso que ocorreu, o jogador foi bem na temporada, mas o problema foi que o mesmo não quis aceitar e cumprir o que havia assinado.

Isso acarreta, antes de mais nada, na ruptura de um dos mais consagrados Princípios do Direito, qual seja, o Princípio da Obrigatoriedade do Pactuado, onde o contrato faz lei entra as partes, pacta sunt servanda. Este princípio busca garantir um mínimo de segurança entre os contratantes.

Leandro Amaral no Fluminense?

O jogador optou pelo Fluminense sem indenizar o Vasco (foto: Jornal dos Sports)

A discussão do caso esta sendo levada para a questão trabalhista, onde o jogador alega um outro Principio Fundamental na área trabalhista que é o direito de livre escolha profissional, ou seja, o trabalhador pode escolher onde irá trabalhar, não podendo ser obrigado a trabalhar em um lugar sem o seu consentimento.

Ocorre que neste caso o jogador Leandro Amaral, assessorado por seu “empresário”, assinou um contrato com o Vasco da Gama onde consta uma cláusula de preferência para a renovação do mesmo, e dentro deste mesmo contrato existe uma cláusula penal da rescisão contratual, ou seja, neste contrato está prevista a livre escolha profissional do jogador, pois se ele ou seu “empresário” não querem mais jogar pelo clube com o qual tem contrato, basta pagar a multa.

Amigos, vocês acham que esta questão de empresários gerenciando a carreira de jogadores é benéfica para o jogador? Não estou falando para o futebol, mas especificamente para o jogador?

Neste caso, em que o jogador Leandro Amaral estava na melhor fase da carreira, é justo o mesmo ficar o primeiro semestre sem jogar? De quem é a culpa?


Responses

  1. No meu entender a culpa e’ nao so’ do empresario como do jogador.

    O Leandro passou um tempao desprestigiado, ate’ sem clube. Acho ate’ normal que para conseguir encaixa-lo num clube grande o empresario tenha aceitado o chamado contrato de risco, com certeza com o consentimento do jogador.

    A questao aih e’ de pura ganancia. Ele tinha contrato com o Vasco mas queria o dinheiro do Flu (Leandro e empresario).

    Ele tem mais e’ que permanecer no Vasco e o Flu que pague a multa pra tira-lo de la’.

    Abs

    Olá João,
    Infelizmente é isso mesmo que vai acontecer, o maior prejudicado é o próprio atleta, mas que isso sirva de lição para outros jogadores. e empresa sem competência.
    Abraço
    Francisco Ortega C J

  2. Não havia olhado essa questão do empresário. Olhando por esse prisma fica a sensação de que a coisa está sendo mal gerenciada, principalmente pelo Leandro e seu empresário, ainda se levarmos em conta a idade do Lenadro. Ele não é mais um menino e o tempo, para ele, está andando muito rápido e talvez por isso, como disse o João, a ganância tenha falado mais alto.

    Não gosto do Eurico Miranda nem um pouco, mas não há como deixar de dar razão ao Vasco e se a Justiça fizer valer o contrato, ou seja, o Leandro permanece no Vasco ou se paga a rescisão para que ele jogue por outro clube, será muito importante para futuras causas trabalhistas entre Clubes e Jogadores.

    Não sei o que você pensa, mas creio que o empresário do Leandro contou com a dicotomia que geralmente existe de clube-vilão/jogador-coitadinho, mas não sei se dessa vez levarão essa.

    Olá Gilson,

    Esta é a critica que tento mostrar no texto que é, chamar atenção para o mal gerenciamento de carreira de jogadores por parte dos empresários.
    O jogador deve buscar o que é melhor para ele, principalmente porque tem uma carreira curta, mas não pode nos dias de hoje ser tão ingênuo e acreditar em tudo que seus empresários falam, pois é o jogador que esta sem trabalhar.
    Abraço
    Francisco Ortega C J

  3. Não acho q seja benéfica essa situação para o jogador, já que o empresário fica c/ uma parte do salário do jogador e ganha uma comissão na transferência. Logo ele irá procurar um clube q faça o jogador estar numa melhor situação monetária e esquece adaptação dele ao clube, se tornar idolo do clube, ser referência para uma torcida.

    No caso do Leandro Amaral, a situação é um pouco diferente. No processo do jogador contra o Vasco, o ex-empresário, acho que José Renato, é testemunha a favor do Vasco, acusando até o Fluminense e seu técnico de aliciamento.

    O Leandro Amaral vai perder mais de um semestre, talvez mais de um ano já que o julgamento demora e caso passe um ano de contrato, eu acho que o Vasco vai entrar com uma ação na FIFA para prorrogar o contrato, isso já aconteceu no Brasil, acho q no Atl/PR com jogador machucado. Acho que seria mais interessante para o jogador entrar em negociação como Vasco para poder chegar a um acordo.

    Caro Carlos,

    Esta seria a melhor saída para o jogador, mas a questão agora virou clubistica e isso pode deixar ainda mais difícil a vida profissional futura do Leandro Amaral, mas como já comentei só o jogador esta perdendo, e por culpa de mau assessoramento, será que isso já não era previsto? Alguém imaginaria que o Sr. Eurico Miranda deixaria este fato passar batido? É muita ingenuidade!!!

    Abraço
    Francisco Ortega C J

  4. Bem Francisco, acredito que a maioria esmagadora de jogadores profissionais do futebol brasileiro não teria condições de negociar diretamente com os clubes seus contratos.

    Os jogadores profissionais vêm, na maioria das vezes, de famílias pobres, com baixíssimo nível escolar e nenhum conhecimento jurídico.

    Daí nasce a necessidade de um representante legal para estes profissionais não serem lesados em seus contratos com os clubes e de direitos de imagem.

    Porém, dentre os representantes legais dos jogadores de futebol, como em toda a nossa sociedade, existem muitas pessoas mal intencionadas, sem ética e moral.

    Gerando situações como está do Leandro, e tantas outras já acontecidas no futebol brasileiro.

    Acredito que os “empresários” são um mal necessário aos jogadores, mas os jogadores devem ser mais cuidadosos nas escolhas dos profissionais com que vão trabalhar, e com os contratos que vão assinar.

    Quanto ao caso do Leandro Amaral é simples, assinou tem cumprir, infelizmente para o profissional e para o futebol brasileiro, que deve perder um dos grandes atacantes do cenário atual para está primeira metade da temporada.
    Abraços!!!!

    Caro Jorge,

    Perfeito seu comentário, apenas acho que hoje em dia não existem mais jogadores “bobos” como nas décadas passadas, e neste caso específico o Leandro Amaral não é mais um garotinho fazendo o seu primeiro contrato.
    O empresário é um mal necessário, e digo mais, é uma peça fundamental para o profissionalismo do nosso futebol, mas com qualidade e nível profissional.
    Abraço
    Francisco Ortega C J

  5. Acho engraçado esta discussão toda. Leandro Amaral está completamente no erro. Ele tem um contrato válido, assinado por ele. Agora, amigo, tem que recompensar o time que lhe abriu as portas. Ficar lá, jogando feliz e contente, até que o contrato acabe. OU paga a conta! Simples assim.
    Esse assunto é mais chato do que o gol 1000 do romário! Só que desta vez, estou do lado do vasco!

    Caro Vinicius,

    Obrigado pelo comentário.

    Abraço
    Francisco Ortega C J

  6. Parafraseando W Luxemburgo: Contrato é para ser respeitado e não cumpri-lo.

    O jogador/empresário brasileiro está mal acostumado e não sabe respeitar um contrato. São muitos os casos onde o jogador força a barra e sai quando quiser do clube. Quantos vão para Europa com a intenção de pegar a grana e já voltar para cá seja por emprestimo, alegando que ao se adaptou a cultura e blablabla.

    Mas no caso do Leandro Amaral, esquecido pro futebol, viu sua grande chance de voltar a vitrine e assinou qualquer coisa que estivesse escrito lá, sem pensar que teria que cumprir, o importante era ter uma nova chance.

    É de direito do Vasco fazer valer o contrato, o jogador é muito mal assessorado pelo seus empresários, quesó pensam no dinheiro da transação e esquecem de ver as anuancias contratuais. São inúmeros os casos.

    A culpa claramente é dividida entre o empresário e do Leandro que deixa alguém despreparado tomar decisões em seu nome.

    Abraços,

    Perfeito Sergio,

    É exatamente isso, e como já mencionei o Leandro Amaral não é mais um garotinho assinando o seu primeiro contrato com clube e empresário.
    Infelizmente vemos empresários e jogadores visando apenas dinheiro no bolso, mas “gerenciamento de carreira” eles não sabem nem soletrar.

    Abraço
    Francisco Ortega C J

  7. Por incrivel que pareça dessa vez o Dr. Eurico tem razão. Ou o Leandro paga a multa ou fica no Vasco. O jogador ( assim como qualquer cidadão) precisa ser responsavel por seus atos.

  8. meu nome é joma so jogador profissonal ja jogei em clube como vitoria da bahia , portuguesa santista , rio claro . jogo de volante no momento estou sem clube queria um auportunidanti

  9. Sou procurador e tio de um atleta que atua no futebol japones,já pelo terceiro ano formou-se pela escolas japonesa ,fala fluentemente o lingua e é jogador profissional no seu primeiro contrato .Como devo fazer para uma ascenção do atleta visando uma equipe maior renomada ,ou seja um contrato melhor . Eu estarei fazendo o exame de agente fifa ainda este ano e gostaia de uma ajuda ou opinião dos senhores muito obrigado.Aguardo resposta.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: