Publicado por: Marcos Silveira | 4/março/2008

Esperança no Vasco?

Muito torcedor do Vasco esboçou um sorriso nesta terça-feira (04/03). Um sorriso tímido, é verdade, mas que tem sido raro no rosto do vascaíno nos últimos tempos.

O motivo não foi nenhum gol ou vitória dentro de campo, mas uma decisão (em segunda instância) da 8ª Câmara do Tribunal de Justiça do Rio, que anulou a eleição para o Conselho Deliberativo do Vasco, realizada em 13 de novembro de 2006.

O clube terá agora um prazo de 30 dias para convocar uma nova eleição. Se não fizer, pagará multa diária de R$ 30 mil.

Dinamite X Eurico

Dinamite X Eurico, em montagem do UOL

O programa Redação Sportv desta terça entrevistou por telefone o candidato da situação (e ainda presidente), Eurico Miranda, e o opositor (ídolo e maior goleador) Roberto Dinamite. Você pode ver (ou rever) a opinião de ambos no Globoesporte.com.

Apesar da decisão ter sido unânime, ainda cabe recurso. Ou seja: a disputa pelo comando do Vasco pode estar longe de terminar.

Mas no atual quadro do clube cruzmaltino, qualquer sinal de solução deve ser comemorado. O que não pode é uma eleição ficar tanto tempo sob júdice. O Vasco e principalmente os vascaínos não podem pagar a conta da vaidade alheia.

Quero saber a sua opinião sobre o futuro político do time de São Januário. O que vai acontecer? E o que deveria acontecer?


Responses

  1. Caro Marcos, sou flamenguista, e torço por uma administração séria nos clubes rivais, assim como torço pelo mesmo no meu clube.

    Atualmente no Rio de Janeiro o único clube que chega perto de alguma seriedade administrativa é o Botafogo, apesar dos arroubos de torcedor dos seus dirigentes.

    O Flamengo e o Fluminense são dirigidos pelas mesmas panelas à tempos.

    Os clubes pequenos, nem se fala, estão quase entrando em extinção.

    Acredito que caso o Eurico Miranda deixe a presidência do Vasco, e assuma o Roberto Dinamite, algo vá melhorar, mas não vejo no Dinamite o melhor nome para administrar o clube da colina.

    Lembre-se, nos “bons tempos” do Deputado Eurico, época em que o time da casaca ganhou muitos títulos, o Sr. Dinamite era aliado do mesmo, chegando a lançar candidaturas “casadas” nas eleições para deputado no Estado do Rio de Janeiro.

    Então, acredito que caso o atual presidente perca as proximas eleições, o Vasco atingirá uma pequena melhora administrativa, e uma conquista democratica enorme para os associados do clube. Mas não vejo em Roberto Dinamite, infelizmente, um nome sério para presidir um clube da grandeza do Vasco da Gama.

    Abraços !

    Ps: Tomara Deus que o Dinamite tenha mudado os seus conceitos da época em que era chapa do Dr. (rs) Eurico Miranda.

    Excelente comentário, Jorge!
    O Flamengo tende a ser melhor e mais forte na medida em que os clubes rivais forem mais bem administrados.
    Também não acho que o Roberto Dinamite seja a salvação do Vasco, mas acredito que ele daria uma injeção de ânimo no clube, que está desgastado pelos desmandos do Eurico.
    Abs, Marcos

    Olá Jorge,

    Não sei porque há esse goodwill com o Bebeto de Freitas, os números financeiros do Botafogo são catastróficos e o clube figura muito abaixo dos grandes clubes em geração de receitas. O Fogão merecia muito mais do que é feito atualmente.

    Um abraço.

    Amir

  2. Que noticia boa para todos os vascainos como eu…
    Ainda há esperanças que as coisas vão melhorar…
    Dá-lhe Dinamite!!!

    Seja bem-vindo Luciano!
    O futebol brasileiro precisa de um Vasco da Gama forte.
    E a mudança de comando pode ser um sinal de dias melhores…
    Vamos aguardar os próximos capítulos da novela.
    Volte sempre!
    Abs, Marcos

  3. Caro Marcos, vejo que você assumiu de vez o papel de “setorista” do futebol do Rio aí no BLOG.
    Independente de quem está certo ou errado, esse é o tipo de coisa que dificulta a profissionalização da administração esportiva no país; os clubes são organizações políticas onde o conselho manda, o presidente manda e todos passam por cima do bom senso e profissionalismo do administrador, além do mais , há inúmeras dificuldades em planejar a longo prazo, estratégicamente pois em dois ou três anos muda o rei, muda o reino, muda tudo e seu planejamento vai para o mais sagrado vinagre.

    Eurico ou Roberto, que seja o melhor pro Vasco, o futebol brasileiro precisa de clubes fortes, do Vasco ao Boavista. Mas que, aos poucos, estes presidentes se transformem em “Rainhas da Inglaterra” e deixem os profissionais trabalharem.

    “Setorista” talvez seja um certo exagero, Robert…🙂
    Mas não há dúvida de que eu tenho tentado falar sobre assuntos fora de SP.
    Em relação à sua análise, concordo plenamente! Seria ótimo que os presidentes dos clubes fossem “rainhas da Inglaterra” e deixassem o trabalho para profissionais. Já temos visto alguns avanços nessa direção, mas ainda tem muito profissional fazendo trabalho “voluntário”. Isso lá é profissionalismo?
    Na última sexta-feira o vice-presidente de Marketing do Corinthians, Luís Paulo Rosenberg, participou do programa Arena Sportv e declarou trabalhar “por amor à camisa”. O Júlio Casares faz a mesma coisa no São Paulo FC. Por mais que esses profissionais ganhem projeção com esse trabalho voluntário, fica configurada uma tremenda falta de profissionalismo.
    Os clubes de futebol poderiam arrecadar muito mais se tivessem uma diretoria totalmente profissional. Mas isso é assunto para outros posts e longas conversas…
    Abs, Marcos

  4. Caro Marcos, o “setorista” foi uma provocação saudável ao bom amigo de sempre.
    Os casos do Rosemberg e do Casares são emblemáticos mesmo, são profissionais de sucesso em seus ramos que decidiram fazer esse trabalho “voluntário”, mas como você mesmo disse bem, tal trabalho lhes dá um retorno de imagem bom, “there is no free lunch”…..porém, vejo como um pequeno avanço, não gosto, mas lembro que o diretor de marketing do Corinthians na gestão Dualib era MÉDICO (!!!), amigo do rei, conselheirão, etc….agora já é alguém do ramo, mais ou menos, mas já mais próximo..acredito na profissionalização, mas ela virá com o tempo, demorando mais do que nós desejamos, é o que eu espero e é uma de minhas bandeiras, creio que nossa. Abraço.

    Robert

    A provocação foi boa, Robert… E sadia mesmo!
    Mas achei melhor esclarecer. Eu gosto de falar dos times cariocas porque acredito que o Rio tem um mercado-consumidor de futebol com grande potencial. Por pior que seja a fase de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, as torcidas dos quatro times mantêm uma relacão passional com seus respectivos times. Esse “fanatismo” precisa ser mais bem aproveitado e fidelizado, não acha?😉
    Sobre a profissionalização, também acho que é melhor ter “Rosenbergs” e “Casares” trabalhando “de graça” (ou em troca de visibilidade) do que deixar o Marketing nas mãos de pessoas completamente sem preparo. Prefiro considerar que essa é uma etapa necessária do processo, uma evolução.
    O próprio Rosenberg disse no Arena Sportv que a boa gestão de um time vai obrigar os outros a se mexer também. E admitiu que se espelha em muitas idéias bem sucedidas do SPFC.
    Abs, Marcos

  5. Ola Amir, escrevi que a administração do Botafogo é a única no Estado do Rio de Janeiro que chega perto de alguma seriedade, mas é claro que tem seus problemas e defeitos.

    Porém, o Bebeto assumiu um clube despedaçado, na segunda divisão, sem patrocínio e praticamente sem time. Atualmente, o Botafogo está na primeira divisão, e há muito não corre o risco do rebaixamento, tem contratos de patrocínio, disputa títulos nacionais e continentais, e tem um time e um técnico competitivos no cenário nacional (mesmo levando-se em conta a ajuda dos “grupos de investidores”).

    Sei que é pouco se comparado a tradição do Glorioso, mas em pouco tempo de administração ele melhorou bastante a estrutura do futebol no clube.

    Abraços.

    Olá Jorge,

    Concordo que ele recebeu o clube em frangalhos, mas daí a colocá-lo no topo entre os gestores de clubes de futebol do Brasil vai uma grande diferença.

    Por exemplo, estou acompanhando desde o ano passado as receitas do Fogão no Engenhão e posso garantir que nada mudou. Mas infelizmente outros clubes, se estivessem com o estádio e não ampliassem as receitas, seriam classificados como incompetentes, já o Bebeto passa ileso…

    Um abraço.

    Amir

  6. Um clube médio incomoda muita gente; um Clube Grande incomoda muito mais!
    Ah! A propósito o orçamento para 2008 do Vasco está na casa dos 69 milhões, portanto um aumento de 98 %.

    Seja bem-vindo Aécio!
    Espero que o Vasco realmente volte a pensar grande.
    E que “incomode” os dirigentes de outros clubes numa saudável disputa pelo título de melhor gestão!
    Volte sempre!
    Abs, Marcos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: