Publicado por: Amir Somoggi | 16/fevereiro/2008

Da teoria à prática

Os números publicados pela empresa Deloitte essa semana sobre as receitas dos clubes europeus na temporada 2006-07 é um extrato muito significativo do momento econômico do futebol europeu atual, já que a evolução das receitas dos clubes demonstra como o planejamento estratégico de seus negócios foi vital para atingir esse alto grau de desenvolvimento mercadológico.  

Nesse ano os 20 clubes de futebol com maiores receitas da Europa geraram € 3,7 bilhões, uma evolução de mais de 11% em relação ao ano anterior e muito acima da média anual de crescimento dos últimos quatro anos que foi de cerca de 6% ao ano.  Esses 20 clubes representam nada menos que 29% do volume de recursos gerados com futebol profissional na Europa, que englobam as receitas dos clubes de futebol, Confederações Nacionais e Locais, UEFA e FIFA.  

A amostra analisada pela Deloitte esse ano apresentou uma evolução de mais de 34% em relação à temporada 2002-03 e não engloba possíveis recursos gerados com jogadores e outras receitas não operacionais como venda de terrenos e imóveis. 

Clubes com maiores receitas  

1º- Real Madrid

santiago-bernabeu.jpg

Em volume de recursos gerados o ranking das receitas da temporada 2006-07 consolidou o Real Madrid como clube que mais gera receitas no futebol europeu e no esporte global, com um total de € 351 milhões gerados. O clube de Madrid atingiu esse status graças à ampliação de recursos provenientes com seu novo contrato televisivo com a empresa Mediapro, que ampliou suas receitas de broadcasting em 45%, pela melhora de seus ganhos com hospitality no Santiago Bernabéu e também pelo volume astronômico de recursos gerados com a exploração comercial de sua marca.  

2º – Manchester United

old-trafford.jpg

O segundo destaque desse ano é o Manchester United, que com sua receita de € 315 milhões, foi o clube europeu que mais novas receitas operacionais gerou na Europa em 2007. O excelente resultado do clube é fruto da maximização comercial das reformas realizadas em Old Trafford e também pelo bom desempenho do time nas competições. Os Red Devils nessa temporada em relação ao ano anterior geraram mais de € 34 milhões de recursos novos com seu estádio, além de uma melhora em seus direitos de TV e novos recursos comerciais.

3º – Barcelona

camp-nou.jpg

Embora o Barcelona tenha caído uma posição no ranking desse ano, o clube catalão com sua receita de € 290,1 milhões pode se vangloriar de ser o clube que nos últimos cinco anos mais gerou receitas novas no futebol europeu. O clube dos culés, desde a temporada 2002-03, gerou impressionantes € 167 milhões de recursos novos no mercado. O Barça, com seu novo contrato com a MediaPro e melhora das receitas com patrocínios, exploração do estádio e seus sócios, tem reais possibilidades de brigar com Real Madrid e Manchester pelo topo do ranking nos próximo anos. 

4º – Chelsea

stamford-bridge.jpg

Outro importante destaque em receitas esse ano foi o clube londrino Chelsea, com uma receita em 2006-07 de € 283 milhões. O clube do magnata russo Roman Abramovich ficou na quarta posição do ranking graças as melhoras de suas receitas em 28% em relação à temporada anterior, fruto de uma substancial melhora de suas receitas comercias com uma evolução nesse ano de 36% e da ampliação dos ganhos dos Blues com o estádio Stamford Bridge com uma ampliação de 33%. 

5º – Arsenal

emirates-sstadium.jpg

Já a quinta posição do ranking foi ocupada pelo também londrino Arsenal que gerou com futebol profissional  € 263,9 milhões nessa última temporada. Se considerarmos as receitas com a venda do terreno de Drayton Park o faturamento global da companhia superou € 295 milhões em 2007. A evolução de mais de 37% com futebol foi resultado direto da maximização das receitas com o Emirates Stadium que injetaram mais de € 70 milhões de recursos novos nos negócios do clube. O Arsenal foi depois do Manchester United o clube que mais gerou novos recursos no futebol europeu na última temporada.


Responses

  1. Como você mesmo disse numa entrevista que só foi o Real Madrid por em ação(prática) seu plano de marketing para que o clube virasse uma potência nesse mundo lucrativo do futebol. Está certo que eles receberam uma ajudinha do governo (e que ajuda, trezentas milhas de dívida) mais isso não justifica o sucesso do plano de gestão que o clube aplicou. Como foi dito em posts passados, Madrid e Barcelona conseguiram globalizar suas marcas sem sair de casa.

    Abraços

    Ricardo,

    Atualmente temos cada vez mais exemplos de clubes europeus que construíram em poucos anos grandes negócios em torno de suas marcas, fundamentados em pré-requisitos estratégicos.

    Embora o Real Madrid tenha recebido uma grande ajuda do governo local, temos que considerar que o trabalho realizado foi incrível, pois em 2003 o clube gerava pouco mais de 58 milhões de euros com markeitng e atualmente superou 136 milhões de euros.

    Um abraço.

    Amir

  2. Concordo contigo Amir, bem capaz desse governo local recuperar todo esse dinheiro somente com turismo proveniente dos fanáticos madridistas que desembarcam na cidade todo ano, e não são poucos.

    Ricardo,

    Realmente isso pode acontecer, até porque dados divulgados pelo Real Madrid recentemente falam em 5 mil visitantes em média por dia em seu museu/tour pelo estádio.(ritmo similar ao que o Barça recebe também).

    Um abraço.

    Amir

  3. Quando fui apresentado a este relatório há alguns anos atrás, a 1.a coisa que me chamou a atenção foi a enorme capacidade dos clubes europeus, sobretudo os ingleses, que tenho estudado mais, em obter receitas de diversas fontes por meio de vários “players” do mercado de forma a que o desempenho esportivo tivesse o menor impacto possível nos resultados financeiros do clube, acredito que a partir daí, essa virou uma de minhas bandeiras.
    Compartilhando alguns dados, com vossa licença, a FAPL faz uma pesquisa com aproximados 25.000 torcedores na porta dos estádios ingleses e as respostas são interessantes e explicam muita coisa; apenas 10% dos torcedores atribuem ao desempenho do seu clube a decisão de “consumir o produto futebol” in loco, no estádio (isso reforça minha tese de que aspectos de identificação regional, social e parental são os mais importantes a se levar no planejamento mercadológico de um clube);91% dos torcedores que vão aos estádios dizem consumir produtos oficiais nas lojas do clube de forma rotineira, 30% deles diz chegar mais cedo para consumir dentro do estádio (Amir, taí um dado pra sua tese de bom catering!!!).
    A busca por uma linha base de receitas que dê sustentabilidade financeira ao clube com menor dependência do desempenho em campo gera estes resultados que o Amir compartilha conosco, o desempenho tem que servir para aumentar a lucratividade ao invés de fechar as contas no fim do exercício, a esperança vem do saber que nem sempre o futebol inglês e o espanhol foram assim, eles estão apenas 5 copas do mundo na nossa frente, 20 anos.

    Robert,

    Fico feliz que estamos estudando as mesmas fontes de pesquisa. Como você leu no meu post: Experiências de consumo nos estádios ingleses -20/01/2008, que apresento algumas conclusões da pesquisa realizada pela Premier League com os torcedores que frequentam os estádios.

    Utilizo os dados históricos da pesquisa para mostrar em minhas análises comparativas com o futebol brasileiro de como o catering e outros serviços nos estádios ampliaram muito a geração de receitas no futebol inglês e podem ser fonte de receitas estratégicas para os clubes brasileiros.

    Um abraço.

    Amir

  4. Amir, mesmas fontes + linha de pensamento = conclusões similares. Espero que possamos, cada um na sua zona de conforto trazer contribuições para nosso combalido futebol brasileiro.
    O que me seduz muito no estudo do marketing do futebol é o não negligenciamento, por parte dos clubes ingleses, de seu apelo regional, sua história e identidade e como isso é usado para gerar adesão e consumo, esses são fatores que não mudam aconteça o que acontecer.
    Talvez o aporte da sociologia e da psicologia social sejam alguns dos novos conceitos de marketing que nos servem de aprendizado ao invés da probreza das definições de “necessidade e desejo” de Kotler.

    Tais aspectos, de identificação e inserção social, estão, por incrível que pareça, nos próprios escudos dos times ingleses, sugestão, procurem nos sites destes clubes pela história dos escudos.

  5. olá eu gostaria sabe sobre a evolução do planejamento estratégico,porque estou fazendo um trabalho escolar sobre o futebol se pode de me ajudar ficarei agradecido obrigado at+ em tão.
    ateciossamente:robson

    Olá Robson,

    Cada clube utiliza os seus valores, história e realidade econômico-financeira para implementar seu planejamento de longo prazo.

    Um abraço.

    Amir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: