Publicado por: Robert Alvarez Fernández | 30/agosto/2010

Estádio em Itaquera – Copa 2014 – Será que agora é sério?

Toda a imprensa noticiou no ultimo sábado com o devido destaque : o estádio paulistano para a Copa de 2014 será no bairro de Itaquera, e o estádio será do Sport Clube Corinthians Paulista, clube da segunda maior torcida do Brasil, a maior do Estado de São Paulo e de sua capital.

Por mais definitivo que isso possa parecer, sobretudo no tocante à indefinição reinante desde a “desqualificação” do Estádio do Morumbi, mesmo com diversos projetos de reforma e adequação, a notícia gerou mais perguntas que efetivamente respostas.

Mesmo sem nenhuma informação privilegiada, o F&N, por meio deste que vos escreve resolveu pensar um pouco a respeito e dividir com o nosso leitor, algumas de suas tentativas de conclusão.

O efeito midiático é impressionante, todos os meios de comunicação repercutem a questão, o clube completa cem anos de idade na próxima quarta-feira, e isso, para qualquer clube é um feito a se comemorar de maneira intensa e grandiosa, como comemorarão Santos F.C, S.E. Palmeiras, São Paulo F.C. e tantos outros clubes que temos pelo Brasil afora. Pelo que se comenta, a notícia seria dada durante as comemorações que se darão neste dia, mas vazou.

As associações ao projeto com o quadro político e eleitoral são inevitáveis. Temos eleição majoritária em pouco mais de um mês; o quadro caminha para uma definição em primeiro turno tanto no nível nacional como no Estado de São Paulo. Reparte-se o poder. Temos um presidente torcedor corinthiano, um governo de estado e uma prefeitura governados há anos pela oposição ao PT; o Governo Estadual e a Prefeitura da Capital há tempos sinalizam que não haverá dinheiro público para estádios; com o projeto “encaminhado”, como dizem, todos sairão na foto e correm para o cartório mais próximo para “registrar” a criança.

Falando algo sobre o projeto : seria um estádio de 48 mil lugares, a custo entre 300 e 350 milhões de reais. O custo unitário por assento fica em torno de quase oito mil reais, não parece absurdo, é até bastante razoável. Isto é possível porque o grande parceiro é uma contrutora grande, que construirá a custo. Até aí, tudo bem.

Para a abertura da Copa, são necessários mais de sessenta mil assentos, determinação da FIFA. Para tal, lê-se que seriam necessários mais 170 ou 180 milhões de reais. Mantendo a conta seriam mais 12 mil assentos, que custariam por volta de 15 mil reais cada, contando que para mais assentos é preciso já conceber a estrutura de forma a suportar mais lances de arquibancada, mais peso e mais pessoas, até faz sentido.

Para os nossos leitores de fora de São Paulo, onde e o que é Itaquera? Itaquera é um bairro da Zona Leste da Capital Paulista, zona esta que começa no bairro da Móoca, situado a poucos quilômetros do centro da cidade e que termina nos limites da Cidade com as cidades de Suzano, Poá, dentre outras. Lembrando, mesmo depois do Aeroporto Internacional de Guarulhos a cidade ainda continua pelo Sudeste até tais cidades vizinhas. A Zona Leste é extremamente populosa e grande geograficamente, tem seus bolsões de prosperidade e seus bairros bastante carentes, Itaquera é um bairro muito grande, com seu comércio, sua estrutura para atender a um público de baixa renda, classe média emergente e uma classe mais favorecida, esta última em menor escala, enfim, nada mais nada menos que um retrato do Brasil.

Em termos de locomoção a situação não é das melhores, apesar de servida por uma estação de metrô pertencente à linha 2 (vermelha) e por trens da CPTM, as opções de ligação viária são poucas e sempre bastante congestionadas. A distância do local do estádio à Praça da Sé, centro da cidade é de 18,7Km, ao passo que do centro ao Estádio do Morumbi são pouco mais de 14Km, pelo melhor percurso. A diferença não é tão mortal assim. Claro que o Palestra Itália e o Pacaembú são muito mais acessíveis, mas isso é outra estória.

Para tentar melhorar um pouco este quadro de acesso e atender às necessidades da população da região, deverá ser construída uma ligação entre duas grandes avenidas da região, obra já prevista antes do advento do estádio.

Em resumo, não é o fim do mundo nem tão pouco Miami, é um bairro paulistano como outro qualquer.

Diz-se nos “comunicados” ou em entrevistas do presidente do S.C.Corinthians Paulista e algumas autoridades públicas, que :

• O estádio será construído pela Construtora Odebrecht, que tem responsabilidade financeira sobre a obra;
• O investimento desta empresa será recuperado pela exploração de naming rights apenas, já li versões que seriam os mesmos naming rights e de camarotes, não sei qual é a correta;
• O S.C.Corinthians Paulista teria que, em 10 anos, completar o montante que não obtivesse em receitas de naming, e/ou de camarotes.
• O BNDES financiaria a obra;
• O estádio ficaria pronto a tempo para 2014.

Fácil, não? Ou estão já com tudo aprovado na prefeitura da Capital, com relatório de impacto ambiental aprovado, business case aprovado pelo BNDES e tudo mais ou é mais uma das bobagens em que a Cidade de São Paulo vem se especializando, projetos que não são reais e o tempo passando.

Antes das perguntas, algumas premissas :

• São Paulo é a única cidade que tem capacidade hoteleira próxima à capacidade mínima exigida pela FIFA para a abertura da Copa; a abertura tem que ser em São Paulo por isso e não pelo súbito amor do governo federal ou da CBF pela cidade, esse amor não existe, é necessidade mesmo.
• Um estádio tem vida útil de aproximados trinta anos, isso está no caderno da FIFA, já que as demandas mudam, a tecnologia muda e por aí vai. Lembrando que o ciclo de vida de um produto atualmente é cinco vezes menor que a cinquenta anos atrás.
• Dinheiro do BNDES não é dinheiro público, é um empréstimo de um banco, público, que pede garantias e um plano de negócios/viabilidade para ser liberado.
• Um estádio precisa de muitos eventos com boa presença de público para gerar caixa de forma a remunerar o investimento, estudos do pessoal do Amsterdam Arena, um dos mais bem sucedidos empreendimentos deste ramo, estimam por volta de cinquenta eventos.
• O prazo de construção gira em torno de três anos, isso com a tecnologia vigente, pré-moldados, etc…
• Não adianta ter estádio moderno se a estrutura de serviços prestados ao torcedor for ruim como é hoje, isso também tem que mudar muito para que se tenha um massa de público suficiente para remunerar o investimento.
• Investidor quer retorno financeiro, não faz caridade, essa conversa de futebol como entretenimento do povo já morreu há tempos.

Perguntas que vem, da observação de alguns fatos :

• Lendo o texto extraído da globoesporte.com : “O Corinthians pagará a empresa com o naming rights (direitos do nome). Traduzindo: o Timão venderá o nome da arena para uma empresa e o que arrecadar com essa cessão repassará à Odebrecht. O que faltar para atingir o total, o clube terá dez anos para devolver à empresa.” Vejamos bem, o clube sairá vendendo naming rights por aí, se não vender, ou vender abaixo do esperado, terá que colocar dinheiro do bolso para completar o que o investidor espera receber? Isso pode ser a maior bomba relógio para as finanças do clube.
• Espera-se que a arena esteja pronta em fevereiro de 2013, começando a obra em janeiro de 2011. É um desafio e tanto, de engenharia, de logística e de autorizações, alvarás, etc. Será que é possível? Caso seja, será um case de engenharia!
• Quem é o pai da criança ? Temos vários candidatos : O presidente da República, o presidente do Corinthians, o Governador de Estado em exercício, o prefeito da Capital, o presidente da CBF dentre outros, todos já demonstraram ser um pouco pais. Afinal, quem não quer sair nessa foto?
• Será que cozinhar o Morumbi foi apenas uma cortina de fumaça para que todas as amarrações políticas e econômicas fossem feitas? O projeto não foi feito na semana passada, com o design que tem, com tanta gente já bancando-o.
• Rolou uma pesquisa com sócio-torcedores do S.C.Corinthians Paulista há uns dois meses. Bem completa e bem feita, por sinal. Nela se procurava traçar perfil demográfico e de hábitos de consumo dos torcedores culimando com um questionário sobre quanto se estaria disposto a pagar por diversos assentos em diversas potenciais arenas, há alguma relação? Caso haja, pode ser um bom sinal, há um plano de negócio por trás.
• Existe massa de eventos na Cidade de São Paulo para remunerar o investimento? Ou o projeto é um monumento ao reinado de alguém? Sugestões : vide os pais da criança.
• Como fica a competição quando a cidade de São Paulo for receber os poucos shows internacionais que recebe? O Morumbi, já com seus investimentos amortizados, pode baixar o preço só pra dificultar economicamente a vida dos rivais? É uma possibilidade, não? Isso foi levado em conta, ao menos o risco?

Perguntas como estas surgirão aos montes, não há muitos detalhes, afinal se trata de uma negociação privada e nem todos os detalhes são abertos à população, mesmo havendo grande interesse e curiosidade sobre o assunto.

Apenas espero que : o projeto seja sério e sustentável com seus próprios recursos, que não seja mais um projeto que vira fumaça como tudo o que se disse aqui em São Paulo, que não tenha dinheiro público mesmo e que vença o projeto que for melhor para a Cidade de São Paulo, para a Copa e para o país. Desconfiado que fiquei após tantas coisas ditas e escritas, ainda não estou certo.

About these ads

Responses

  1. “Será que agora é sério?”
    Muito bom texto e colocações… É isso aí!
    Eu acredito que agora vai, mas se será de forma séria tenho ainda dúvidas…
    Espero que o povo não pague a conta e que SP tenha um estádio de primeiro mundo!

    Abração
    Fábio Salgueiro

    Fábio, obrigado pela participação e comentário. É pela seriedade que torcemos aqui, sem paixões por clube ou políticas. A conta quem tem que pagar são as receitas que a arena vai gerar, esperamos.

    Abraços,

    Robert

  2. MAIS UMA VERGONHA NACIONAL!
    POLITICAGEM DOS POLITIQUEIROS DO PT COMANDADO POR ESSA FIGURA “GROTESCA”: LULA FANFARRÃO MENTIROSO DA SILVA!
    NO FUTURO, UM NOVO ESCÂNDALO SURGIRÁ…!
    É VER PRA CRER!

    Aristides, vamos com calma. Do jeito que a coisa foi mostrada realmente parece deste jeito, mas vamos dar tempo ao tempo; eu creio que há problemas de sustentabilidade, falam em 30 milhões/ano de naming rights e considero isso improvável, pelo lado da desonestidade, não tenho elementos.

    Abraços,

    Robert

  3. Acho engraçado como tem INVEJA EM CIMA DO CORINTHIANS !!!!!!

    Fernando, sem essa, aqui não é espaço para clubismos, leia os demais artigos meus e dos demais colegas e você verá que elogiamos quem faz as coisas bem e criticamos quem faz coisa erradas, independente de quem seja, e somos criticados também, aceitamos isso numa boa…afinal, sabemos muito, mas isso está bem longe do saber tudo.

    Abraços,

    Robert

  4. Robert, com todas essas notícias publicadas e com grande envolvimento na concepção da arena como um todo, é realmente inevitável não pensarmos em política neste momento. Fico pensando, como você falou, quem será o pai dessa criança. A questão do naming também me intriga muito, pois o plano é que a arena se pague no período estimado, mas e se a realidade for outra?

    Excelente texto!
    Abraços

    Rodrigo, obrigado. Em ano eleitoral tudo fica mais complicado mesmo, essa criança vai ter vários pais e padrinhos…o plano de negócio é que pode virar o grande padrasto se ele não se concretizar, aí a bomba provavelmente cairá no colo do clube, o que será muito ruim.

    Abraços,

    Robert

  5. Gostaria de parabenizar a matéria só que você não quis dizer com todas as letras a verdade. Vai ter dinheiro público sim! Até o presidente do Corinthians falou que o projeto é pra 48mil e para aumentar a capacidade vai ter dinheiro público e sim, estava tudo armado isso faz tempo com Andrez na delegação do Brasil. Fritaram o Morumbi de propósito.
    ABS!

    Rafeal, obrigado, mas vamos separar as questões. Para o projeto inicial da arena não há investimento público mesmo. Onde há alguma possibilidade de entrar é na estrutura adicional para a Copa, quem assumiu o compromisso foi o Estado Brasileiro, ele que se vire então, mas reitero que não gosto da idéia de ver dinheiro público em arena alguma, mesmo em São Paulo, minha cidade.

    Abraços,

    Robert

  6. Bom texto, mas pergunto ao autor: de onde vem
    o dinheiro do BNDES? A taxa do BNDES é a mesma que a Selic?

    O dinheiro do BNDES vem de investimentos do tesouro nacional e de títulos que ele emite, que tem remuneração também, tal dinheiro é emprestado e devolvido com juros, abaixo sim da SELIC. Isso é uma atividade normal para um banco que tem por missão fomentar o desenvolvimento do país, com uma diferença, ele tem que voltar remunerado.

    Abraços,

    Robert

  7. Vejo apenas pelo lado do Torcedor Corinthiano que merece um estádio pelo tamanho de sua Torcida! Sobre Copa do Mundo e CBF prefiro que eles fiquem longe desse tema, pois com eles virá toda sujeira do cartel liderado por eles.
    Belo Texto

    Caro amigo Fabiano, vamos trocando nossas figurinhas aqui nos blogs da vida; obrigado pelo comentário e participação. Espero que dê certo, será uma atração a mais aquina cidade, embora tenha minhas dúvidas expressas no texto.

    Abraços à toda famiíla Facó, um por um.

    Robert

  8. Eu concordo com a maior parte do seu texto, principalmente na questão dos naming rights.

    Como trabalho exatamente com projetos de infraestruturas de grande porte, maiores do que um estádio, ressalvo ser possível executar a obra em tão pouco tempo.

    O problema não é a parte de construção propriamente dita, mas o tempo de liberação da obra. Nesse aspecto, o Palmeiras é o exemplo a NÃO ser seguido, pois não chamou todos que poderiam causar problemas logo ao início do projeto — como é usual em projetos de infra de grande porte, onde você chama todo mundo: ambiental, ministério público, associação de bairro etc. Quando o projeto chega para aprovação, já está tudo costurado.

    Mas ainda assim precisaria que a prefeitura e o governo do estado fizessem uma via rápida para aprovação do projeto, nada que a urgência da Copa não garanta.

    Por último, a Construtora Norberto Odebrecht fez o Engenhão por valor semelhante e deveria — ou o Corinthians deveria garantir — que a equipe de gerenciamento da obra fosse a mesma.

    Faz toda a diferença, e isso você pode confirmar com outras pessoas da área de Construção Civil, que o gerenciamento seja feito por equipe que já fez obra semelhante. Nesse caso, os problemas usuais de atraso das obras são mais bem conhecidos e ações mitigantes são tomadas antes.

    Álvaro, obrigado pela participação e comentários. Muito esclarecedora a sua abordagem sobre a questão obra e aprovações, concordo que o exemplo do Palmeiras é ruim, agora pipocando em aprovações, estudos, etc….complementaria com o caos Morumbi também, em que se acreditou que tudo sairia pela via política e por “não haver outra opção em SP” e deu com os burros n’água.

    O que me preocupa nas últimas coisas que li é a questão do clube ter que desembolsar recursos caso o investidor não obtenha as receitas que espera com naming rights, isso pode ser desastroso para as finanças do clube, podendo piorar o endividamento ou ter que ceder camarotes, parte de renda para honrar o compromisso. Afinal, naming rights no Brasil não dá resultado, por conta da Globo, cultura, etc.

    Abraços,

    Robert

  9. Bela matéria…bem escrito…abçs Duda http://eduardobottini.wordpress.com

    Duda, obrigado!

    Abraços,

    Robert

  10. Excelente argumentação!

    Marcos, obrigado! São apenas opiniões, com alguma calibração e com as informações que temos, só pra ajudar.

    Abraços,

    Robert

  11. Robert,

    É essa parte que você replicou que eu também estou confuso.

    Naming rights no Brasil não vale nada, primeiro porque a Globo não vai falar o nome do estádio e segundo porque é muito barato patrocinar a camisa de um time de futebol por aqui.

    Contudo, a nota oficial que saiu hoje toca em alguns pontos muito importantes, como a criação de uma empresa. Será que isso é suficiente para proteger o clube?

    E R$ 100 milhões/ano não é ufanista demais?

    Pois é, Álvaro, naming no Brasil virou a tábua de salvação para justificar os business cases dos estádios, só que aqui não rola, por todos os motivos que expusemos, tanto você como eu; até dá pra explorar, mas com valores bem mais modestos.

    Quanto a abrir uma empresa, parece aquelas coisas pra não contaminar a contabilidade dos demais envolvidos.

    100 milhões/ano não é ufanista, é impossível. São poucos os clubes que faturam mais que isso contando toda a operação. Viagem pura.

    Abraços,

    Robert

  12. Olha gente! vocês não se iludam com o carnaval feito pelo Andrés Sanches a respeito do estadio de Itaquera. Vocês acham que as empresas irião colocar uma soma alta somente pelos olhos verdes ou azuis dos torcedores? Claro que não, se não houver parceria no estadio mesmo depois de pronto eu duvido que o corintians terá recursos para bancar sozinho o estadio. Eu tive informações na internet de que o estadio seria uma parceria e que o corintians teira direito as gerai e arquibancadas e as empresas daría o nome do estadio e ficaría com as cadeiras cativas e camarótes. Portanto o estadio não séría só do corintinas e sim uma associação(ou parecería) com as empresas. Por isto é bom não fazer carnaval ante do tempo porque vai ficar feio outra vez.

    Walter, obrigado pela participação e comentário. Você leu em algum lugar aqui no texto, ou em algum comentário, que o “almoço” seria grátis? Ou que a cor dos olhos dos torcedores seria levada em conta no business case? Vamos com calma, a discussão proposta pressupõe que há dificuldades, que está se levando em conta os aspectos do negócio e seus riscos, esse é o nosso viés de análise.

    Pode ficar tranquilo que nós não entramos em Carnaval de dirigente, estamos bem vacinados.

    Abraços,

    Robert

  13. Engraçado é que quando o SPFC apresentou o projeto final o estádio estava apto para receber a abertura mas não estava garantido, agora o RT mal chegou a ver o projeto do estádio do Corinthians e já o garante como a abertura. Estranho, não ?

    Acho que a FIFA não vai aliviar quanto as exigências e o Corinthians pode passar a mesma coisa que o São Paulo passou, fora que embaixo do terreno em Itaquera passa um óleoduto da Transpetro coisa que a FIFA com certeza irá levar em conta. Na pressa é bem capaz que tramites legais irão ser facilitados, coisa que não aconteceria no Morumbi e que não está acontecendo na Arena Palestra.

    Marcell, obrigado pelo comentário. Creio que exista mais incompetência que má fé em tudo o que vem ocorrendo. Que existe uma má vontade do RT em relação ao São Paulo F.C. não há dúvida, assim como a cidade; mas por mais má vontade que ocorra se o SPFC tivesse apresentado um projeto realmente bom, não teria jeito, teriam que engoli-lo.

    Tecnicamente é o que pode ocorrer com o projeto de Itaquera, já apareceu a questão do óleoduto, outros problemas podem surgir na análise da FIFA, o custo pode explodir e esse é o risco.

    Começa a parecer que minha suspeita final, que é de mais um projeto pastoso e sem fundamento, pode se concretizar. Aguardemos.

    Abraços,

    Robert

  14. Gostei muito dos argumentos.
    Acho também que agora só se fala em copa e isso me deixa muito apreensivo. Da copa, só me lembro do meu álbum e eu já comprei o do campeonato brasileiro, pra ter de pensar em copa só daqui a 4 anos! kkkk
    Já viu que no site torcidapanini.com.br tem promoções incríveis valendo álbuns do brasileirão, mochilas adidas e até ipods?!
    Flw

  15. A imprensa paulista tem por si só por causa da massa que é maioria corinthiana, por medo de perder esta audiencia esconder fatos negativos deste clube. O que ocorre e que o dinheiro que a construtora vai levantar vira de recursos via BNDES,, ora recursos esses sim senhor vindo de impostos.. Portanto não ha dinheiro privado na questão. Quanto ao nome deste estadio a empresa precisa cercar de cuidados pois aqui no BRASIL na hora que um apelido de estadio pega dificilimente se tem a divulgação do patrocinador.

    Helcio, obrigado pelo comentário. Existem problemas sim que estão sendo levantados. Discordo quanto à classificação dos recursos do BNDES, é dinheiro de um banco público, que o empresta e que tem que ser devolvido remunerado, logo quem toma o empréstimo precisa pagá-lo, na conta final, é dinheiro privado. Parece que o BNDES empresta a fundo perdido do jeito que você fala e isso não é verdade.

    O problema de naming é uma barreira séria mesmo, nenhum investimento se paga só com isso como alguns querem que vejamos.

    Aguardemos os novos desdobramentos, abraços.

    Robert

  16. Robert,
    O SPFC apresentou um projeto que cabia no bolso, e diga de passagem a FIFA já havia aprovado, não para a abertura mas para as oitavas, e mesmo assim o Sr. Ricardo I (imperador do futebol brasileiro) não quis o projeto por picuinha com o clube. Essa é a verdade.

    Rogério, obrigado pelo comentário. O projeto do SPFC tinha vários problemas e algumas inconsistências, reitero que se o projeto fosse perfeito não haveria barreira política que mudasse isso, e não cabia no bolso tanto assim não.

    Para o sucesso da Copa, a abertura tem que ser em São Paulo, pois é a única cidade do país que tem condições de receber o contingente de pessoas que vem para este evento, estádio para jogos de grupo e oitavas não serve.

    Pra finalizar, cuidado,a falta de transparência por parte dos organizadores do evento e dos clubes envolvidos não permite “verdades”, mas sim opiniões.

    Abraços,

    Robert

  17. É algo inexplicável, que se consiga todas as licenças em tão pouco tempo. Esse estádio é apenas obras de politicagem e os cofres públicos vão acabar pagando.

    Sem contar essa questão dos dutos. Quem, em sã conciência, colocaria 50.000 pessoas para ficar pulando em cima de um material explosivo???

    Quando puder, volte com o Blog. Cada blog dá sua pequena contribuição para aumentar a Magia de ser Flamengo. Contamos com você.

    Warley Morbeck
    http://flamengoeternamente.blogspot.com/
    http://twitter.com/flaeternamente

    Warley, obrigado pelo comentário. Pelo que se vê ainda há problemas de licenças e autorizações para as obras, o que me faz pensar que este projeto é mais um factóide que se soma aos do Morumbi e seus projetos incompletos, ao Palestra que nunca começa a obra, à reforma do Pacaembú…Pirituba,etc…a cidade, infelizmente, vem se especializando em lançar projetos que não existem. O óleoduto é só uma mostra que tem se lançado projetos sem as devidas amarrações.

    Quanto à questão “Magia de ser Flamengo”, respeito o clube, mas não entendi o convite. Neste blog procuramos ser isentos, embora inevitavelmente cada um de nós tenha seu clube de coração.

    Abraços,

    Robert

  18. O CORINTHIANS VAI GANHAR EM PLACAS PUBLICITARIAS ,EM MAIOR RENDA DE BILHETERIAS,JA SOMOS O TIME QUE MAIS ARRECADA COM BILHETERIAS E OLHA QUE O MARACANA TEM MAIS QUE O DOBRO DE CAPACIDADE QUE O PACAEMBU E SO DE CAMAROTE QUE O TIMAO VAI ARRECADAR QUASE PAGA O ESTADIO….VAMOS SER O TIME MAIS RICO DO BRASIL E ENTRE OS MELHORES DO MUNDO

    Betão, obrigado pelo comentário e pelo entusiasmo. Me manda a planilha com o estudo que você fez para chegar a essas conclusões; estudo essa questão há vários anos e mesmo para um clube que arrecada muito, como o Corinthians, a conta é difícil de fechar.

    Abraços,

    Robert

  19. Sem contar essa questão dos dutos. Quem, em sã conciência, colocaria 50.000 pessoas para ficar pulando em cima de um material explosivo

    Chicco, acho que já li isso em algum lugar.Algo a acrescentar? Quanto ao óleoduto, quando questionada, a construtora disse que há como mitigar o risco….será?

    Abraços,

    Robert

  20. Professor

    Gostei do blog, parabens!!!

    abs

  21. o futebol pode chegar a 2011 sem credibilidade, se continuar com essa armação da quadrilha estalada na cbf, ricardo máfia teixeira e o presidente do corintitias que já conseguiu um ct e um estádio quase de graça para o corititias e ainda achou pouco está querendo o brasileiro tb no roubo , já foram quinze erros de juízes favorecendo esse clube corrupto, tiraram o murunbi da copa só por vingança ao são paulo, agora todos esses acontecimentos na frente do nariz da imprensa brasileira que a pedido da manipuladora de resultados organizações globo ficam omissa há tudo isso uma vergonha para o futebol brasileiro paixão de milhões de pessoas, os clubes tem que fazer uma super e mega união contra essa quadrilha na cbf , quem é mais forte o corintitias e ricardo lixeira ou todos os outros clubes juntos? novas eleições na cbf já porque a cbf está podre a vários anos com esse câncer infiltrado no futebol chamado ricardo máfia teixeira e agora com parceria do presidente do corintitias e a manipuladora de resultados organizações globo, estão mais fortes ainda é só os clubes querer se unir e fazer a coisa certa novas eleicões na cbf já, porque a cbf move a paixão de milhões de pessoas ela é do povo e não de uma pessoas só, o que a imprensa omíssa está fazendo é inadmissível, mais ainda acredito que tem pessoas dentro da imprensa do lado do bem porque o bem tem que prevalecer sempre, mais do jeito que está o corintitias vai virar um barcelona do dia pra noite e os outros vão todos virar um ibis no futuro bem próximo, o futebol não pode perder sua credibilidade porque se acontecer é o fim do futebol e da confiança dos torcedores.

  22. Criei um blog sobre meu time de coração que é Fluminense e gostaria de perguntar
    se você poderia me ajudar fazendo uma parceria de link comigo,desde já muito
    obrigado e parabéns pelo seu blog:
    http://fluzaoeterno.blogspot.com/

    Fluzão Eterno

  23. Olá
    Visitei o vosso site e achei-o bastante interessante.
    Gostaria de entrar em contacto convosco.
    O meu website é ritamourabrito@gmail.com
    Seria óptimo se me pudessem enviar um email.
    Obrigada!
    Rita

  24. Olá Robert,

    parabéns pelo artigo. Existe muito mais profissionalismo na Major League Soccer, que é a liga profissional dos Estados Unidos, isto é, um país onde o futebol está ainda longe de ser um esporte altamente popular (apesar dos progressos), do que no Brasil. Veja, por exemplo, o caso do Red Bull Arena em New Jersey. Acredito que você deva ter maiores informações sobre o estádio, mas, pelo que pude verificar, foi algo projetado de forma séria, de acordo com as expectativas de demanda para o espetáculo na região. É possível verificar maiores informações sobre o estádio no endereço a seguir: http://www.redbullarena.us/arena/stadiumfacts.aspx

    Um abraço Robert!
    Almir

  25. Robert, primeira vez que entro em seu blog. Gostei bastante e acredito que nem vá ver meu comentário. De qualquer maneira, estou mandando.
    Estou ansioso por um novo post sobre os desdobramentos do Itaquerão. Já se passaram 7 meses desde esse seu último post e as obras ainda não se iniciaram, não foi resolvido a questão dos dutos da Petrobras, o Governo isentou a obra do pagamento de impostos (uma forma de uso de dinheiro público) e o projeto obteve mais de 100 apontamentos criticados (alguns absurdos e de fácil adequação, porém, outros não).
    Grande abraço!

  26. Qual o em pacto que o a copa vai causar em itaquera ?


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 28 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: