Publicado por: Robert Alvarez Fernández | 6/janeiro/2010

Resposta à Violência -Se a moda pega…..

Na 13.a rodada do Campeonato Espanhol o Sporting Gijón recebeu o Sevilla em Gijón, cidade importante da região de Asturias, é de lá que vem minha família, hoje espalhada pelos quatro cantos do mundo. Tenho uma ligação muito forte com a região, familiares são sócios-torcedores do Sporting, que é um dos times mais tradicionais da Espanha embora a olhos externos, seja até um time pequeno.

Antes da partida, houve uma batalha campal entre os ULTRA BOYS, facção organizada que se diz “torcedora” do Sporting e suas contrapartes “sevillistas”; o bairro de La Arena se transformou em uma praça de guerra e o resultado da brincadeira foi uma dúzia de feridos, um forte intervenção da Polícia Nacional, prisão e identificação de sessenta e sete torcedores dos dois times.

Como contraponto, quando o Sporting de Gijón visitou La Coruña, pela mesma Liga, um grupo de seis mil torcedores do Sporting foi até a cidade galega onde se organizou um evento de confraternização entre as torcidas com um festival cultural e gastronômico, igual evento se planeja para o jogo da volta. Nada de dizer que é coisa de primeiro mundo nem nada, gente civilizada se confraterniza por meio do esporte em qualquer lugar do mundo, é só querer, desarmar o espírito e curtir.

O jogo onde houve o conflito foi na rodada de 12/13 de Dezembro, pois bem…pouco mais de vinte dias depois, a Comissão Anti-violência da LFP, propôs multar cada um dos sessenta e sete torcedores identificados em sessenta mil euros cada um, totalizando mais de quatro milhões de Euros; multa individual, pessoa física mesmo; as reações na Espanha são de apoio às medidas e contra os Ultras, de ambas as partes. Não conheço o sistema judicial espanhol, apesar de também ser cidadão de lá, mas de certo há como aplicar a sanção; vai doer no bolso um bocado, não é porque a Espanha fica na Europa e tem indicadores sociais de primeiro mundo que qualquer um tem sessenta mil Euros para gastar em uma multa, são quase cento e cinquenta mil reais, pode crer que tem gente que vai precisar renovar a hipoteca da casa onde mora.

Se a moda pega….não precisaríamos nem de CPMF nem de TIMEMANIA aqui no Brasil, e o leitor, que pensa da medida ? Justa ? Excessiva? Resolve?

Eu pessoalmente gostei, afinal quando eu, embora raramente, tomo multa de trânsito, não tenho como recorrer botando a culpa no radar, nem na sociedade, sistema, alinhamento dos planetas…

About these ads

Responses

  1. E se esses torcedores não pagarem a multa, o que irá acontecer? Cadeia?. Na minha opinião nada irá acontecer.

    Marcell, é possível que não aconteça mesmo, já que é uma proposta da Comissão e não ainda uma sentença judicial inconteste.

    Certamente, porém, essas pessoas serão processadas e acusadas tendo seu amplo direito à defesa posto o Estado Espanhol ser um país democrático e de instituições sólidas, porém, se não serão os 60 mil Euros ao menos abre-se o caminho para alguma punição, o que certamente vai deixar uma fazenda de pulgas atrás da orelha de quem pensa em fazer bagunça no entorno dos espetáculos esportivos.

    Abraços,

    Robert

  2. Rapaz, as cidades daquela região são lindas,(região ótima para velejar) não é de se estranhar que vivem abarrotadas de turistas, mas voltando ao assunto violência no futebol devo concordar que medidas extremas devem ser tomadas para combater os infratores.
    Acredito que o modelo inglês seja o mais eficiente adotado nos campos europeus.
    Há um protocolo rígido para assegurar o bem estar do torcedor que frequenta esses espaços, independente da incidência de casos, sejam eles altos ou baixos sempre estarão fazendo o mesmo para garantir que não haja incidentes.
    Poderíamos citar os exemplos das ligas americanas, um exemplo que foi até adotado pela Premier League é da elitização dos ingressos, não foi diferente com o New York Knicks.
    O popular time de basquete daquela cidade encareceu seu ticket médio para se ver livre dos fanáticos e baderneiros torcedores do Bronx.
    Essa é só uma entre tantas medidas que podem ser tomadas para evitar confusões em eventos esportivos , a discussão é ampla.

    Abraços

    Ricardo, obrigado pela participação, comentário e pelos elogios à “terrinha” de minha família.

    Acredito que o problema de violência deva ser combatido com inteligência e sem paternalismo para com seus vetores.

    As regras que coibiram a violência na Inglaterra, por exemplo, se deram muito mais na arquitetura de serviços e no rigor das punições que o aumento de preço dos ingressos, que veio na minha opinião, do robustecimento do produto futebol como um todo.

    Mesmo caso para os Knicks, quando o produto ganhou mais corpo e passou a ser visto por todos como opção boa e segura de entretenimento, a velha lei da oferta e demanda, que deveria ser quase uma lei da física tão inexpugnável que é, se encarrega de convergir os preços, não é?

    Abraços,

    Robert

  3. Come to South Africa. Open Site thru windows.

  4. A violência de nada serve no futebol ou em qualquer outra parte, as pessoas têm de se mentalizar disso mesmo


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 28 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: